Coronavírus / Covid-19

Quadros de propagação da Covid-19

COVID-19 EM PORTUGAL

Fonte: ESRI Portugal


MAPA INTERATIVO: CASOS CONFIRMADOS DE CORONAVIRUS

Fonte: Johns Hopkins University

O que é a Covid-19?

COVID-19 é o nome oficial, atribuído pela Organização Mundial da Saúde, à doença provocada por um novo coronavírus, o SARS-COV-2, que pode causar infeção respiratória grave como a pneumonia.

Este vírus foi identificado pela primeira vez em humanos, no final de 2019, na cidade chinesa de Wuhan, que foi detetado na China, no final de 2019, e o seu nome significa “síndrome respiratória aguda grave – coronavírus 2”.

A Organização Mundial da Saúde decidiu atribuir à doença causada pelo SARS-COV-2 um nome que fosse fácil de transmitir e que não indicasse nenhuma localização geográfica, um animal ou grupo de pessoas. O nome, COVID-19, resulta das palavras “corona”, “vírus” e “doença” com indicação do ano em que surgiu, 2019.

Sintomas

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, OMS, os sinais mais comuns de Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus, são semelhantes aos de uma gripe:

  • febre
  • cansaço
  • tosse seca
  • falta de ar (dificuldade respiratória)

Alguns doentes têm dores musculares, congestão nasal ou pingo no nariz, garganta inflamada e diarreia. Estes sintomas são geralmente leves e começam gradualmente.

Nesta fase, é importante saber se o doente esteve numa área com muitos casos ou se contactou com uma pessoa infetada para fazer o diagnóstico.

Em casos mais graves pode evoluir para pneumonia grave com insuficiência respiratória aguda, falência renal e, até mesmo, levar à morte.

O período de incubação estimado da COVID-19, até ao aparecimento de sintomas, é de entre 2 e 14 dias.

Como agir em caso de suspeita

Em Portugal, quem suspeitar estar infetado ou tiver sintomas – em particular febre, dores no corpo e cansaço – deve contactar a linha SNS24 através do número 808 24 24 24 para ser direcionado pelos profissionais de saúde.

A DGS pede que quem tiver sintomas não se dirija aos serviços de urgência., devendo manter-se em isolamento preventivo em casa.

Como se transmite, como prevenir

A COVID-19 pode transmitir-se por:

  • gotículas respiratórias
  • contacto direto com secreções infetadas
  • aerossóis em alguns procedimentos terapêuticos (por exemplo nebulizações)

A Direção-Geral de Saúde (DGS) recomenda o reforço das medidas de segurança, tais como tapar o nariz e boca quando espirrar ou tossir, utilizar um lenço de papel ou o braço e deitar o lenço de papel no lixo.

A DGS recomenda ainda que se lave frequentemente as mãos com água e sabão ou com uma solução de base alcoólica e evitar contacto próximo com doentes com infeções respiratórias.

De acordo com informação da Organização Mundial da Saúde, não há evidência de que os animais domésticos, tais como cães e gatos, tenham sido infetados e que possam transmitir a COVID-19.

Qual é o tratamento?

O tratamento da COVID-19 deve ser priorizado para quem mais dele beneficia, tendo em conta a situação epidemiológica e as características individuais dos doentes, nomeadamente a idade, a imunidade e o risco clínico de progressão para doença grave, hospitalização ou morte. Pode incluir diferentes tipos de medicamentos:

  • antivirais
  • anticorpos monoclonais
  • oxigenoterapia

Desde o início da pandemia que têm sido feitos esforços para o desenvolvimento de novos tratamentos para a COVID-19. Os medicamentos entretanto desenvolvidos permitem completar uma estratégia de resposta à COVID-19 assente na prevenção da doença grave, hospitalização e morte.

Os antibióticos não resultam contra os vírus, apenas bactérias. A COVID-19 é uma doença provocada por um vírus (SARS-CoV-2) e, como tal, os antibióticos não devem ser usados para a sua prevenção ou tratamento. Não têm resultados e podem contribuir para o aumento das resistências a antibióticos.

Desde o final de 2020 que a vacinação chegou a Portugal. As vacinas não impedem o contágio, a propagação do vírus, mas na grande maioria dos casos impede que o doente tenha sintomas graves.

Mais informação:

Cronologia da Pandemia Covid-19

Jim Mattis / Wikimedia

18 Jul. 2020