Portugal recebe primeiras vacinas da Moderna nos “próximos dias”

Gary Coronado / EPA

As primeiras vacinas da Moderna, cuja comercialização foi hoje autorizada pela Comissão Europeia, chegam a Portugal nos “próximos dias”, anunciou o coordenador da “task-force” para o plano de vacinação contra a covid-19.

“A chegada das vacinas da Moderna está prevista para os próximos dias e não deverá tardar mais do que uma semana”, afirmou Francisco Ramos numa resposta escrita à Lusa, adiantando que ainda está a “ser definido” quando terá início a vacinação com este fármaco.

Francisco Ramos disse que estão previstas chegarem a Portugal “8.000 doses na semana de 11 de janeiro e 11.000 na semana de 25 de janeiro” da vacina da Moderna, que integrarão a primeira fase do plano de vacinação que se iniciou com a vacina da Pfizer e BioNTech.

A entrega das vacinas estará “a cargo da Moderna”, referiu o coordenador do grupo de trabalho para o plano de vacinação, ao adiantar que cada pessoa a vacinar receberá sempre as duas doses da vacina produzida pelo mesmo laboratório.

Em comunicado, o Presidente do Infarmed, Rui Santos Ivo, Presidente do Infarmed, salientou que a vacina da Moderna “vem reforçar a disponibilidade de mais vacinas no plano nacional de vacinação e em toda a União Europeia, de forma a combater a pandemia por covid-19”.

A Comissão Europeia autorizou hoje a comercialização da vacina da Moderna para a covid-19 na União Europeia (UE), após o aval do regulador europeu àquele que é o segundo fármaco contra o novo coronavírus autorizado no espaço comunitário.

“Hoje, a Comissão Europeia concedeu uma autorização condicional de comercialização para a vacina da covid-19 desenvolvida pela Moderna, a segunda na UE”, informou o executivo comunitário em comunicado.

A instituição precisa que esta autorização, o último passo formal antes da entrada do fármaco da Moderna no espaço comunitário, “segue uma recomendação científica positiva baseada numa avaliação exaustiva da segurança, eficácia e qualidade da vacina pela Agência Europeia do Medicamento (EMA) e é aprovada pelos Estados-membros”.

Também hoje, a EMA deu ‘luz verde’ à utilização da vacina da farmacêutica Moderna contra a covid-19 na UE, ao ter recomendando à Comissão Europeia “a concessão de uma autorização condicional de comercialização da vacina covid-19 Moderna para prevenir a doença do coronavírus 2019 em pessoas a partir dos 18 anos de idade”.

Esta aprovação surge depois de o comité de medicamentos para uso humano da EMA ter “avaliado exaustivamente os dados sobre a qualidade, segurança e eficácia da vacina e ter recomendado por consenso a concessão de uma autorização formal condicional de comercialização pela Comissão Europeia”, adiantou o regulador comunitário na nota de imprensa.

A vacina da Moderna, com uma eficácia comprovada superior a 90%, foi a segunda a ter aval da EMA, após a aprovação, a 21 de dezembro de 2020, do fármaco desenvolvido pelas farmacêuticas Pfizer e BioNTech, que está a ser utilizado no espaço europeu desde 27 de dezembro.

Um amplo ensaio clínico promovido pela Moderna, envolvendo 30 mil pessoas, revelou que a vacina desta farmacêutica norte-americana foi eficaz na prevenção da covid-19 em pessoas com mais de 18 anos, com uma eficácia geral de 94,1% e de 90,9% nos casos graves.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

EMA aprova uso da vacina da Moderna para jovens entre os 12 e 17 anos

A Agência Europeia do Medicamento (EMA) aprovou, esta sexta-feira, a administração da vacina da Moderna em jovens dos 12 aos 17 anos. Foi aprovada a administração da vacina da Moderna para jovens menores de idade. A …

Dizer que MAI autorizou festejos do Sporting é "delírio"

Esta sexta-feira, no Funchal, o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, voltou a distanciar-se do modelo adotado pelo Sporting para os festejos do campeonato. Os festejos do Sporting, do passado dia 11 de maio, não cumpriram …

"Não tem emenda." PSD e Bloco de Esquerda criticam relatório do Novo Banco

O Bloco de Esquerda defende que a versão entregue do relatório da comissão do Novo Banco, redigida por um deputado do PS, tem uma "parcialidade evidente" a favor do Governo. O PSD diz que "não …

Frederico Morais falha Jogos Olímpicos. Testou positivo à covid-19

O português Frederico Morais vai falhar a estreia do surf nos Jogos Olímpicos Tóquio2020, por estar infetado pelo novo coronavírus, informou esta sexta-feira o Comité Olímpico de Portugal (COP). O surfista natural de Cascais, de 29 …

Governo propõe que todas as freguesias possam ter pelo menos um autarca a meio tempo

O Governo aprovou uma proposta para que todas as freguesias do país possam ter um autarca a meio tempo independentemente da sua dimensão, anunciou esta sexta-feira a ministra da Modernização do Estado, que tutela as …

Espanha vai administrar terceira dose da vacina

Espanha anunciou esta sexta-feira que será administrada uma terceira dose da vacina contra a covid-19, embora ainda não haja data prevista. Carolina Darias, ministra da Saúde espanhola, anunciou esta sexta-feira que será administrada uma terceira dose …

Portugal com mais 3.794 casos de covid-19 e 16 mortes

Portugal registou, esta sexta-feira, 3.794 novos casos e 16 mortes na sequência da infeção por covid-19, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde, o …

Deputada expulsa do parlamento britânico por chamar “mentiroso” a Boris Johnson

A deputada do Partido Trabalhista, Dawn Butler, foi esta quinta-feira expulsa da Câmara dos Comuns, a câmara baixa do Parlamento britânico, por chamar "mentiroso" ao primeiro-ministro, Boris Johnson. Butler foi expulsa pela presidente adjunta temporária, Judith …

UGT dispara contra o Governo. "Exemplo vem sempre de quem está no topo"

Numa carta aberta ao primeiro-ministro, a UGT criticou a atitude de vários ministros, a destruição de milhares de postos de trabalho durante a pandemia e alertou para a suspeita de existir cartelização entre os grandes …

Greve de fome de 470 pessoas em Bruxelas termina 60 dias depois

Em Bruxelas, mais de 470 pessoas deram por terminada uma greve de fome que durou dois meses. O governo belga disse que não pode ceder a chantagens e saudou a boa decisão. Nos últimos dois meses …