Mesmo com o aumento de infetados, diminuir a quarentena para 10 dias é uma hipótese

Manuel De Almeida / Lusa

A DGS deverá decidir em breve se o período de quarentena pode ser reduzido de 14 dias para apenas 10 dias, mas não para todos os casos. Para ficar menos tempo isolado é necessário cumprir vários critérios clínicos que ainda estão a ser estudados.

A verdade é que nos últimos dias o número de infetados por covid-19 tem vindo a aumentar drasticamente, e isso ninguém pode negar. A diretora-geral da Saúde reconhece esse aumento em Portugal, mas ainda assim Graça Freitas admite que o período de 14 dias de isolamento para casos positivos pode ser encurtado para 10 dias.

Na Europa, a lista dos países a diminuir o tempo de quarentena de 14 para 10 dias, com mais ou menos detalhes e algumas diferenças nos contornos da decisão, não pára de aumentar. Portugal poderá em breve fazer parte de um grupo onde já estão inseridos a França, Luxemburgo ou Alemanha. Por enquanto, os portugueses que estiverem em quarentena têm de cumprir os 14 de isolamento e no fim desse período realizar um teste.

Contudo, e de acordo com o Público, isso pode mudar. Graça Freitas já falou nessa hipótese mais do que uma vez, adiantando que essa “seria uma ótima notícia”.

“Os dez dias são mais ou menos consensuais para as pessoas positivas. Mesmo os franceses, que encurtaram para sete dias em relação aos doentes, em relação aos contactos dos doentes testam ao sétimo dia e, eventualmente, se o teste for negativo, só libertam essa pessoa do isolamento ao décimo dia”, disse Graça Freitas esta quarta-feira, mas relembra que caso a ideia avance “temos de ser muito cuidadosos”.

O pneumologista Filipe Froes explicou ao Público que “passados seis meses da pandemia nós já sabemos mais sobre a duração da transmissão e a evolução clínica das pessoas”. Neste sentido, o médico acha viável haver uma redução, mas apenas para “pessoas que tiverem teste positivo e com formas ligeiras de doença (ou seja, um doente que não precisa de internamento)”.

Ainda assim, há mais condições para poder ficar menos tempo isolado. O doente deve estar há pelo menos três dias sem recurso a fármacos que inibam a febre e deve também apresentar uma evolução clínica “favorável e consistente”, ou seja, menos sintomas. De acordo com os especialistas, só nestes casos é que é seguro diminuir o tempo de isolamento para 10 dias sem colocar o doente ou a comunidade em risco, diz o Público.

Além disso, Filipe Froes assume que “estes indivíduos já não precisam de fazer o teste de cura microbiológica”. “Há vantagens para todos nós. Não põem em causa a sua segurança nem a dos outros e poupam um teste de cura microbiológica que pode ser necessário para outras pessoas. E estas pessoas podem retomar a sua atividade laboral quatro dias mais cedo.”

Segundo o Público, a OMS faz a distinção entre isolamento (para casos positivos) e quarentena (para contactos de risco ou viajantes). Assim, os “critérios para a alta dos doentes em isolamento”, sem a necessidade de fazer um novo teste, estão estabelecidos: 10 dias para doentes sintomáticos, a contar após o início dos sintomas, e mais pelo menos 3 dias adicionais sem sintomas (incluindo sem febre e sem sintomas respiratórios).

Nos EUA, o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças também já recomenda apenas 10 dias de quarentena para os casos positivos que cumpram os critérios clínicos. Na Europa, o Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças ainda não se pronunciou sobre o assunto.

Uma redução de quarentena, mesmo que baseada em conhecimento científico, pode ser mal interpretada pela população que pode ver aqui um certo relaxamento nas medidas de controlo da pandemia, explica o Público.

Filipe Froes garante que “se as decisões forem suportadas cientificamente, com clareza e transparência, e permitirem garantir a segurança dos doentes e da comunidade, dissipando qualquer dúvida, não vejo que haja motivos para dúvidas”.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

"Scolari segunda opção? É melhor ver isso do que ser cego"

Frase do treinador Lisca, que deu "muita risada" quando ouviu essa possibilidade. Lisca recusou 14 propostas para mudar de clube, no ano passado. O Cruzeiro andou à procura de treinador, tentou várias direções, mas foi ouvindo …

Covid-19 só explica 27,5% do acréscimo de mortalidade

As mortes por covid-19 em Portugal entre 02 de março e 18 de outubro representam apenas 27,5% do acréscimo da mortalidade registado relativamente à média dos últimos cinco anos, revelou esta sexta-feira o Instituto Nacional …

PCP desafia Governo a renacionalizar os CTT

O secretário-geral do PCP desafiou hoje o Governo a responder "à chantagem" do "grupo Champalimaud", retirar-lhe a concessão do serviço postal e renacionalizar os CTT. A proposta foi feita por Jerónimo de Sousa depois de estar …

"Covid persistente" atinge cerca de 20% dos curados (mas não recuperados)

Um novo estudo britânico indica que vários pacientes podem apresentar sintomas e sequelas durante vários meses, mesmo depois de testarem negativo. Os casos de “covid persistente” afetam maioritariamente mulheres e idosos. Há ainda muito por descobrir …

Acuña já é destaque em Espanha: "Não é bom nos 100 metros, mas..."

O ex-jogador do Sporting será uma referência para Lopetegui e já demonstrou um grande nível no jogo da Liga dos Campeões contra o Rennes. Marcos Acuña chegou a Sevilha há um mês e meio mas começa …

Portagens devem manter preços em 2021

Os preços das portagens nas autoestradas deverão voltar a manter-se em 2021, a confirmar-se a estimativa da taxa de inflação homóloga, sem habitação, de -0,18% em outubro, divulgada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). A fórmula …

Governo estuda novo confinamento total nas duas primeiras semanas de dezembro

O Governo está a ponderar decretar um novo confinamento total da população portuguesa nas duas primeiras semanas de dezembro. A notícia foi avançada esta sexta-feira pela TVI e, entretanto, confirmada por outros órgãos de informação. O …

Pelo menos 140 pessoas afogam-se no naufrágio mais mortal de 2020

Pelo menos 140 migrantes morreram afogados ao largo da costa senegalesa depois de a embarcação em que seguiam se ter incendiado e naufragado, avançou a Organização Internacional para as Migrações (OIM). O barco transportava 200 pessoas …

Nélson Évora terminou contrato com o Sporting

Nelson Évora, campeão olímpico do triplo salto nos Jogos Olímpicos Pequim2008, vai deixar o Sporting após o fim do contrato com o clube, no sábado, confirmou à "Lusa" fonte oficial do Sporting, esta sexta-feira. O atleta, …

Nova Zelândia aprova eutanásia. Mas rejeita legalização da marijuana

Os neozelandeses aprovaram a eutanásia voluntária, mas rejeitaram a legalização da marijuana para uso recreativo, em dois referendos realizados em 17 de outubro, anunciou esta sexta-feira a Comissão Eleitoral. Cerca de 65,2% dos neozelandeses votaram a …