/

Profissionais de saúde do Algarve podem ter de “sacrificar férias”

O agravamento da pandemia de covid-19 pode obrigar os profissionais de saúde da região do Algarve a “sacrificar as férias”.

Os profissionais de saúde do Algarve podem vir a ter limitações nas férias, como aconteceu no início da pandemia. A informação foi avançada pelo secretário de Estado da Descentralização e da Administração Local e coordenador do combate à covid-19 no Algarve, Jorge Botelho, no programa “Hora da Verdade”, do Público e da Renascença.

“Hoje mesmo a presidente do conselho de administração do centro hospitalar do Algarve disse-me que estavam a programar as coisas e a fazer tudo para tentar evitar prejudicar a atividade normal e já falava que, se calhar, os profissionais de saúde vão ter que sacrificar férias a que têm plenamente direito em função de uma resposta atempada para controlar a pandemia”, disse.

Questionado sobre se essa medida pode avançar mesmo não estando o país em estado de emergência, o responsável disse que “isso está na fase de gestão dos administradores hospitalares”.

“Sim, desde que seja combinado com os profissionais e os profissionais entendam”, salientou.

Tal como os autarcas, o coordenador do combate à covid-19 na região admitiu que foi surpreendido pela decisão de fechar as escolas em cinco municípios do Algarve.

“A informação que tenho e comprovo, pela reunião que tive com eles ontem, é que os autarcas envolvidos não souberam antecipadamente da medida, souberam ao fim da tarde de domingo bem como eu soube ao fim da tarde de domingo, por isso digamos que foi uma certa surpresa”, afirmou.

Questionado sobre se o Algarve deveria ter restrições de circulação, como as que estão em vigor na Área Metropolitana de Lisboa, refere que não é “defensor deste tipo de medidas” e que a situação na região, apesar de ser “preocupante”, não é de “descalabro”.

  Liliana Malainho, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE