“Emergência sanitária máxima”. Coreia do Norte regista primeiro caso suspeito de covid-19

Gabriel Prehn Britto / Flickr

A Coreia do Norte declarou, este domingo, “emergência sanitária máxima” devido à pandemia de covid-19, decretando o isolamento da cidade de Kaesong, na sua fronteira com o Sul, após detetar um caso suspeito, o primeiro anunciado pelo regime.

Trata-se de um cidadão norte-coreano que se havia mudado para a Coreia do Sul há três anos e que terá regressado ao país depois de “atravessar ilegalmente”, na semana passada, a fronteira militarizada que separa os dois países, anunciou a agência estatal norte-coreana KCNA.

Este cidadão foi, entretanto, colocado em “quarentena rigorosa”, após os testes médicos realizados terem tido “resultados incertos”, segundo a agência estatal, que revela que as pessoas em contacto com esta pessoa também foram isoladas e testadas.

Após a deteção deste caso suspeito, o líder norte-coreano, Kim Jong-un, presidiu a uma reunião da direção do Partido dos Trabalhadores, este sábado, na qual foi decidido “bloquear completamente” a cidade de Kaesong e colocar em isolamento os diferentes distritos da província limítrofe do sul.

Nesse encontro, Kim Jong-un decidiu, também, decretar “emergência máxima” devido à pandemia de covid-19, após o “estado de emergência contra a epidemia” na Coreia do Norte.

Na ocasião, o líder norte-coreano vincou que, “apesar das intensas medidas de combate à pandemia implementadas em todas as áreas e do encerramento rigoroso de todas as entradas durante os últimos seis meses, registou-se uma situação crítica em que o vírus agressivo poderá ter sido introduzido no país”.

Com o alerta a subir de tom, o regime deu, ainda, instruções sobre as “ações e medidas organizacionais” a serem implementadas nos vários organismos do Partido e instituições de saúde e segurança nacional, de acordo com a KCNA. Além disso, as forças militares estão a investigar os detalhes do incidente.

No início do mês, os jornais da Coreia do Norte referiam que o líder tinha apelado à cúpula do partido para se manter alerta contra o coronavírus, avisando que a complacência poderia conduzir a “riscos inimagináveis e a uma crise irrecuperável“.

Apesar do apelo, Kim Jong-un reafirmou que a Coreia do Norte não registava um único caso de covid-19, acrescentando que o país “impediu completamente a invasão do vírus maligno”, apesar da crise sanitária que se regista em todo o mundo.

A nível global, muitos especialistas já demonstraram sérias dúvidas sobre a situação da pandemia na Coreia do Norte devido à proximidade da República Popular da China e por causa das infraestruturas sanitárias precárias do país.

A Coreia do Norte encerrou as fronteiras no princípio do ano, proibiu a entrada de turistas e mobilizou os profissionais de saúde a imporem uma quarentena de 14 dias a todos os cidadãos que apresentassem sintomas da doença.

Para muitos observadores, o recente confinamento do país atingiu fortemente a economia da Coreia do Norte, seriamente afetada pelas sanções impostas pelos Estados Unidos por causa do programa nuclear.

Esta semana, o país anunciou que se vai juntar à corrida pelo desenvolvimento de uma vacina para a covid-19, uma competição global que já juntou algumas das melhores mentes médicas e que deverá custar milhares de milhões de euros.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Tim Cook acaba de se juntar ao clube dos milionário à boleia de recorde histórico da Apple

O diretor-executivo (CEO) da Apple, Tim Cook, acaba de se juntar à lista de multimilionários do mundo, depois de a gigante tecnológica norte-americana atingir um valor de mercado histórico. De acordo com os cálculos da …

Cientistas calculam probabilidade de contágio ao viajar de comboio

Investigadores da Universidade de Southampton, no Reino Unido, calcularam a probabilidade de contrair covid-19 ao viajar numa carruagem de comboio com uma pessoa infetada. Em colaboração com a Academia Chinesa de Ciências, a Academia Chinesa de …

Hong Kong. Magnata da imprensa Jimmy Lai libertado sob caução

O magnata da imprensa e uma das principais figuras do movimento pró-democracia de Hong Kong Jimmy Lai foi esta terça-feira libertado sob caução, constatou a agência France-Presse. Jimmy Lai tinha sido detido na segunda-feira, ao …

Lar de Reguengos de Monsaraz diz ter feito tudo para salvar vidas

A direção do lar de Reguengos de Monsaraz (Évora) onde surgiu o surto de covid-19 que causou 18 mortos garantiu ter feito “tudo” ao seu “alcance” para “salvar vidas”, nesta “crise” com “contornos dramáticos”. A Fundação …

Israel fecha os olhos e deixa palestinianos cruzarem a fronteira para ir a banhos

As autoridades israelitas têm deixado milhares de palestinianos cruzar a barreira de separação entre os dois territórios para poderem ir às praias. Este foi um fim-de-semana muito especial para Siham e os seus cinco filhos. …

Diabéticos e hipertensos voltam a ter faltas justificadas

Os diabéticos e hipertensos sem condições para desempenharem funções em teletrabalho voltam a ter direito a justificar as faltas ao trabalho devido à pandemia de covid-19, segundo um diploma publicado em Diário da República. “Os imunodeprimidos …

Deputada da Coreia do Sul debaixo de fogo. Usou um vestido no Parlamento

Na semana passada, a deputada sul-coreana Ryu Ho-jeong usou um vestido numa assembleia legislativa, sendo bombardeada com críticas que gerou um debate sobre sexismo e a cultura patriacal do país. De acordo com a CNN, na …

SC Braga oficializa "top gun" Gaitán por duas temporadas

O internacional argentino Nicolas Gaitán assinou um contrato com o Sporting de Braga válido por uma época, com outra de opção, informou esta terça-feira o clube minhoto da I Liga de futebol. Formado no Boca Juniors, …

Vacina russa chama-se "Sputnik V" e foi já pedida por 20 países

A vacina russa contra a covid-19, cujo registo foi esta terça-feira anunciado pelo Presidente, Vladimir Putin, chama-se "Sputnik V", vai começar a ser fabricada em setembro e já foi encomendada por 20 países. De acordo com …

Rui Pinto no Twitter: "Travessia do deserto” terminou mas a “luta continua”

Rui Pinto assumiu que a “árdua e longa ‘travessia do deserto’” chegou ao fim, aludindo à sua libertação, mas avisou que “a luta continua”, pois Portugal “continua um paraíso para a grande corrupção” e branqueamento …