/

Sem casos e com a economia em apuros, Coreia do Norte junta-se a corrida à vacina para a covid-19

1

(cv) Rodong Sinmun

A Coreia do Norte anunciou que se vai juntar à corrida do desenvolvimento de uma vacina para a covid-19, uma competição global que já juntou algumas das melhores mentes médicas e que deverá custar milhares de milhões de euros.

A CNN relata que a Comissão Estatal de Ciência e Tecnologia da Coreia do Norte anunciou que já estão em andamento ensaios clínicos para a candidata nacional e que estão a debater como prosseguir para a terceira fase, que envolve testes em humanos.

Porém, para o resto do mundo, as declarações da Coreia do Norte podem parecer dúbias.

A corrida para desenvolver uma vacina para uma doença que infetou quase 14,5 milhões de pessoas e matou mais de 605 mil em todo o mundo é um desafio tecnológico e científico que deverá custar enormes somas de dinheiro.

Por outro lado, a Coreia do Norte tem um dos sistemas de saúde mais degradados do planeta e conta com a assistência da Organização Mundial da Saúde (OMS) para fornecer vacinas aos seus habitantes há várias décadas.

A questão é: porque é que um país que não registou oficialmente nenhum caso de covid-19 e que tem a economia em apuros gastaria tempo, dinheiro e recurso no desenvolvimento de uma vacina? Segundo a CNN, deverá ser uma combinação de medo genuíno do vírus e uma tentativa de convencer os norte-coreanos de que Kim Jong Un enfrentará o desafio e protegerá o seu povo.

A Coreia do Norte foi um dos primeiros países a ver a covid-19 como uma ameaça séria. A maioria dos especialistas acredita que o seu sistema de saúde seria rapidamente dominado pela pandemia, uma vez que muitas instalações não têm acesso a eletricidade ou água corrente. Medicamentos e outros equipamentos também são escassos.

Além disso, a capacidade de teste parece ser um problema na Coreia do Norte. No início de julho, apenas 922 pessoas num país de 25 milhões tinham sido testadas.

Muitos especialistas duvidam que a Coreia do Norte não tenha casos de covid-19, um vírus altamente infecciosos que poderia facilmente entrar no país sem ser detetado. O país está bem posicionado para impedir que os surtos se espalhem, pois pode aprovar rapidamente o tipo de medidas de bloqueio que outros estados demoraram a adotar, uma vez que é uma ditadura que controla rigorosamente quem entra no país.

A pandemia parece sob controlo na Coreia do Norte. No início do mês, Kim Jong-un disse que os esforços do seu país foram um “sucesso brilhante”, mas alertou os seus funcionários para não serem complacentes, uma vez que a crise global ainda não passou.

Em relação à vacina, não é claro como é que se inclui na estratégia anti-epidemia da Coreia do Norte. Até quarta-feira, havia mais de 140 vacinas candidatas em avaliação pré-clínica e 23 que haviam chegado a ensaios clínicos, de acordo com a OMS. Algumas das gigantes empresas farmacêuticas que apoiam essas vacinas valem mais do que toda a economia da Coreia do Norte.

Financeiramente, a vacina norte-coreana não faz muito sentido. Porém, se se olhar através do prisma do potencial de propaganda, a imagem torna-se bem mais clara.

Durante décadas, a Coreia do Norte foi a metade industrializada tecnologicamente avançada da península coreana devido ao legado da ocupação japonesa. A maioria dos recursos naturais desejados pelos japoneses estava no norte, razão pela qual construíram lá fábricas.

Os media estatais norte-coreanos dão a impressão de que o país se tornou uma potência tecnológica global por causa da liderança da família Kim e da sua ideologia. Em tempos de conflito com a Coreia do Sul e os Estados Unidos, o programa de armas nucleares do Norte será o exemplo mais visível disso. Porém, os media trazem muitas outras histórias sobre conquistas tecnológicas e científicas.

Assim, produzir uma vacina seria uma boa ferramenta de propaganda para um líder cujo mandato se baseia na sua capacidade sobrenatural de proteger o povo coreano.

  ZAP //

1 Comment

  1. Mais uma pergunta, então se na Coreia do Norte não existem casos do Covid 19, como poderão eles testar e fazer ensaios sobre uma coisa que não têm? Propaganda comunista, e sabe-se lá até quantos não terão morrido já por lá com o vírus e nunca se saberá.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.