“É legítimo pensar” que restrições sejam concorrência por turistas

António Cotrim / Lusa

O ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, considera “legítimo pensar-se” que a imposição de restrições aos voos entre países da União Europeia (UE) se deva a uma concorrência por mercados turísticos, dada a grave crise do setor em toda a UE.

Em entrevista à agência Lusa, o ministro dos Negócios Estrangeiros diz que “é um erro encarar” a pandemia de covid-19 “como um campeonato” e “um erro pensar que isto já passou”.

Refutando as restrições impostas por vários países da União Europeia a voos provenientes de Portugal — como quarentena, confinamento ou realização de testes –, o ministro insiste que elas se baseiam em dados que não refletem a complexidade da situação epidemiológica.

Questionado sobre se é legítimo pensar que essa “lógica de campeonato” é uma concorrência para ver quem atrai mais turistas, o ministro respondeu: “É legítimo pensar-se isso”. “Eu, que costumo sempre dizer que a ingenuidade não me parece ser um bom princípio em política externa, compreendo perfeitamente esse raciocínio”, diz.

“Os turistas podem parecer hoje um bem escasso, mas, como é típico aliás da ingenuidade, é um raciocínio errado”, acrescenta, explicando que “uma pessoa minimamente informada” vai optar pelo que lhe parecer “mais credível”.

Santos Silva insiste que o critério usado, por exemplo, pela Dinamarca — um número de infeções inferior a 20 por cada 100.000 habitantes –, é apenas um de vários indicadores e Portugal “contesta que se utilize só um indicador” e que, “a utilizar um indicador, seja este”.

“Porque a situação epidemiológica é complexa, portanto, não conta apenas o número de novos casos registados, conta também a taxa de incidência, isto é, a comparação entre os testes realizados e os casos positivos verificados”, que em Portugal é “bastante baixa”, apesar de o país ser, segundo dados de quinta-feira, “o sexto país da UE que mais testes realiza por milhão de habitantes”.

“E conta sobretudo a capacidade de um país de tratar. Portugal tem indicadores de letalidade, isto é, mortos por infetados, dos mais baixos da UE, [e] tem taxas de hospitalização e de internamento em unidades de cuidados intensivos bastante baixas, [o] que mostra que o nosso sistema hospitalar, o nosso Serviço Nacional de Saúde, nunca esteve com resposta insuficiente. Pelo contrário, nós nunca ultrapassámos os dois terços da nossa capacidade de resposta, mesmo no pico da pandemia”, afirma.

Ainda sobre a questão da credibilidade dos países em matéria de combate à pandemia, o ministro assegura que o tal turista “minimamente informado” vai também ter em atenção os comportamentos, salientando que em Portugal “as normas são cumpridas e as regras de segurança são respeitadas”, o que não deve ser posto em causa por “alguém ter ganho um campeonato, ou por se realizar uma manifestação ou por se realizar uma festa”.

Augusto Santos Silva frisa que o combate à pandemia “não é um campeonato” nem “uma luta entre países” e que “é um erro pensar que isto já passou”, até porque com o desconfinamento é sabido “que o risco de contágio sobe”.

“E por isso é que é tão importante termos medidas muito férreas para diminuir esse risco”, diz, mas frisa que “é preciso perceber que o essencial para combater a pandemia não é impedir a mobilidade das pessoas ou obrigar a economia continuar fechada”, mas que “todos tenham consciência” das regras.

O ministro assegura compreender que a reabertura de fronteiras na Europa “não é incondicional” e “que cada Estado-membro possa tomar as medidas que entender para garantir a máxima segurança em matéria sanitária dos seus cidadãos, residentes e visitantes”

“Não contestamos que países como a Dinamarca ou a República Checa tenham essa preocupação, o que contestamos é que utilizem apenas um indicador e um indicador inadequado”, explica.

Augusto Santos Silva recusa que as declarações que fez na sexta-feira de manhã sejam vistas como uma ameaça de “retaliação” aos países que excluíram Portugal dos países com quem reabrem as ligações aéreas, assegurando que fala de “reciprocidade”, “um princípio básico das relações internacionais”, que “é sempre bom lembrar”. Mas, assegura, Portugal responde a estas medidas “com informação”.

Atuação de Guterres “tem sido exemplar”

A atuação do secretário-geral da ONU, António Guterres, durante a pandemia de covid-19, “tem sido exemplar”, afirma o ministro dos Negócios Estrangeiros, que, pelo contrário, lamenta a inação do Conselho de Segurança.

António Guterres “foi muito vigoroso e muito tempestivo, oportuno, quando fez a proposta, que infelizmente nem todas as partes ainda aceitaram, de um cessar-fogo geral, para não acrescentar aos problemas da pandemia os problemas de conflitualidade militar”, aponta.

ZIPI / EPA

Também “foi e tem sido muito oportuno no seu alerta sobre a gravidade da pandemia em si e das respetivas consequências” e “tem sido incansável na mobilização da comunidade internacional em favor das regiões e dos países mais vulneráveis aos efeitos da pandemia”, acrescenta.

O ministro distingue esta ação do Conselho de Segurança da ONU, afirmando que “é triste constatar que ainda não conseguiu sequer uma posição comum sobre a pandemia”.

Questionado sobre se o Governo português já trabalha para a reeleição de António Guterres, Santos Silva considera que “ainda é cedo para falar disso” e frisa que Portugal respeita “os direitos e a liberdade individual de cada um”.

“O secretário-geral tem mandato até o fim de 2021 [e] não é segredo para ninguém que nos revemos inteiramente quer no programa, quer na ação do atual secretário-geral das Nações Unidas”.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Paços 3-2 Porto | “Castor” épico tomba “dragão” com pés de pau

Surpresa na Capital do Móvel. O campeão nacional FC Porto foi a Paços de Ferreira averbar a segunda derrota nesta Liga NOS, saindo com um resultado desfavorável de 3-2. Num terreno tradicionalmente difícil – os “dragões” …

Teoria da Relatividade de Einstein observada em estrelas distantes

O que é que Albert Einstein, o GPS e um par de estrelas a 29.000 anos-luz da Terra têm em comum? A resposta é um efeito da Teoria Geral da Relatividade de Einstein chamado "desvio gravitacional …

Encontrada possível localização do gigante Snow Cruiser. Está perdido na Antártida há 60 anos

O Snow Cruiser era um veículo de exploração enorme enviado ao Pólo Sul em 1939 que ficou preso após desembarcar na Antártida e foi abandonado alguns anos depois. Redescoberto sob vários metros de neve e gelo …

Mbappé tem uma "mancha" na Liga dos Campeões

Números invulgares do avançado do PSG, que em 2020 ainda não marcou qualquer golo no torneio europeu. Pires e Rami falaram sobre o seu futuro. Kylian Mbappé. Visto por muita gente como o melhor avançado do …

Administração de Nixon recebeu um Nobel por um cessar-fogo que não existiu

O prémio Nobel da Paz foi atribuído em 1973 ao secretário de Estado da Administração de Richard Nixon, e seu assessor de segurança nacional, Henry Kissinger, e ao político vietnamita Le Duc Tho. As duas personalidades foram …

Cidade usa satélite para medir poluição luminosa (e os candeeiros de rua não são o maior problema)

As cidades do mundo desperdiçam uma grande quantidade de eletricidade - e dinheiro - ao deixar ligadas luzes brilhantes durante a noite toda. Porém, os candeeiros de rua não são os maiores culpados. Uma experiência de …

Prevenir uma futura pandemia pode estar dependente de apenas três medidas (e podem ser aplicadas já)

Até 70% das doenças infecciosas que surgiram nos humanos nos últimos 30 anos tiveram origem em animais e foram causadas por patogénicos originados em animais domésticos ou selvagens. Agora, um relatório lança aos princípios básicos …

"Não se torne um fantasma real". Coreia do Sul teme aumento de casos devido ao Halloween

A Coreia do Sul teme que as festividades do Halloween levem a um aumento de casos de covid-19 no país. Assim, para evitar que tal aconteça, investiram numa campanha de informação pública para apelar aos …

Trump Jr. diz que as mortes por covid-19 se reduziram a "quase nada". Têm morrido 1.000 pessoas por dia

Donald Trump Jr., o filho mais velho do Presidente norte-americano, afirmou esta quinta-feira que a taxa de mortalidade por covid-19 caiu para "quase nada nos Estados Unidos", num dia em que o país registou quase …

Agentes russos terão oferecido a ajuda de 10 mil soldados aos separatistas catalães

Alegados agentes russos terão oferecido à Catalunha a ajuda de 10 mil soldados durante a sua tentativa de independência da Espanha, em 2017, relataram na quarta-feira meios de comunicação espanhóis e europeus. As denúncias baseiam-se em …