Turquia acusada de “esconder a verdade” sobre número de infetados com covid-19

A pandemia na Turquia pode ser mais bem mais grave do que aquilo que se conhece. O Governo turco está a ser acusado de esconder o número de infetados e de mortes, após o ministro da Saúde ter revelado que os números diários revelados refletem os doentes com sintomas e não todos os infetados.

O Ministro da Saúde Fahrettin Koca reconheceu durante uma conferência de imprensa na noite de quarta-feira, que desde 29 de julho que a Turquia tem relatado o número de doentes com covid-19 atendidos nos hospitais ou tratados em casa.

Koca disse que a contagem não inclui os casos positivos assintomáticos, ignorando uma pergunta sobre o número diário de novos casos positivos de coronavírus, indicador-chave sobre a evolução da epidemia em qualquer país. “Estamos a falar de pessoas com sintomas. Estamos a divulgar isto como o número diário de doentes”, referiu o ministro aos jornalistas.

A revelação gerou protestos nas redes sociais e pedidos ao Governo para que revele a verdadeira extensão do novo coronavírus entre a população que conta com 83 milhões de habitantes.

As declarações do ministro ocorreram depois de um deputado da oposição, Murat Emir, ter afirmado que o número real de novas infeções diárias na Turquia é 19 vezes maior do que o que tem sido divulgado pelo Governo. Emir pediu hoje a Koca para deixar de divulgar os dados diários da epidemia. “Ninguém acredita nisso. Não tem valor científico”, disse.

“O governo está a lutar contra os números em vez de combater a epidemia”, adiantou Murat Emir.

A Associação Médica Turca pediu transparência, depois de ter vindo a questionar os dados diários sobre o coronavírus desde que a 29 de julho o Governo deixou de se referir a “casos” e passou a indicar “doentes”. A organização considerou que o Governo turco “escondeu a verdade” e “falhou em evitar a propagação” do vírus.

“Temos direito à verdade”, escreveu na rede social Twitter Sebnem Korur Fincanci, presidente da associação.

O governo turco divulgou na quarta-feira 65 mortos e 1391 novos “doentes” com covid-19, assumindo um total de 318 mil infetados, incluindo 8195 mortos, desde o início da pandemia.

Segundo especialistas, os dados divulgados em todos os países subestimam os números reais da pandemia, devido à testagem limitada, a casos falhados, e à falsificação de dados por alguns membros do governo, entre outros fatores.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Documentos mostram que assassinos de Khashoggi usaram aviões de empresa controlada pelo príncipe herdeiro

Documentos judiciais revelam que os dois jatos particulares usados ​​pelos supostos assassinos do jornalista Jamal Khashoggi pertenciam a uma empresa que, menos de um ano antes, tinha sido apreendida pelo príncipe herdeiro da Arábia Saudita. Os …

António Guterres agradece confiança do Governo português

O secretário-geral da ONU expressou, esta quarta-feira, agradecimento e humildade por receber o apoio oficial do Governo português para um segundo mandato e prometeu fazer de tudo para continuar a ser digno da renomeação. "O secretário-geral …

Israel identifica cidadãos que não foram vacinados. Na Galiza, quem recusar vacina arrisca multa

O Parlamento israelita autorizou esta quarta-feira o Ministério da Saúde a comunicar às entidades públicas do país as identidades de pessoas não vacinadas contra a covid-19, levantando preocupações sobre a privacidade dos cidadãos que recusam …

Testes por saliva usados em eventos-piloto antes de festivais de verão

Os agentes ligados a festivais e concertos e a Direção-Geral de Saúde (DGS) vão realizar várias experiências-piloto para se perceber em que moldes se podem concretizar os festivais de música no verão. Uma das ideias é …

Mais 49 mortes e 1.160 casos de covid-19. Há menos doentes internados do que no Natal

O boletim divulgado esta quinta-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS) indica que foram registados 1.160 novos casos de covid-19 em Portugal. Nas últimas 24 horas, morreram 49 pessoas. Portugal registou, esta quinta-feira, 1.160 novos casos de …

Bruxelas vai rever regras de uso de telemóvel em roaming

A Comissão Europeia vai rever as regras sobre o roaming do telemóvel, ajustando as tarifas máximas e aumentando a transparência, tendo em vista que o regulamento em vigor caduca a 30 de junho de 2022. Segundo …

Amnistia Internacional retira estatuto de prisioneiro de consciência a Navalny

A Amnistia Internacional anunciou que não pode considerar o principal opositor russo um "prisioneiro de consciência" devido a algumas declarações nacionalistas e xenófobas feitas por si no passado. Esta informação foi revelada, na terça-feira, pelo jornalista …

CGTP volta à rua com concentrações nos distritos e greves e plenários nas empresas

A CGTP vai voltar à rua pela valorização dos salários e do emprego e o respeito pelos direitos individuais e coletivos. A CGTP volta à rua com uma Jornada Nacional de Luta descentralizada para exigir melhores …

27 reúnem-se numa videocimeira para discutir restrições e a aceleração do processo de vacinação

Esta quinta-feira, os 27 reúnem-se virtualmente, numa cimeira coordenada, a partir de Bruxelas, pelo presidente do Conselho Europeu Charles Michel.  Segundo apurou a TSF, na videocimeira desta quinta-feira, os governos deverão reconhecer que a situação epidemiológica …

Em risco de perder a imunidade, Puigdemont fala em "pressão espanhola"

Carles Puigdemont, Toni Comín e Clara Ponsati estão em risco de perder imunidade. O ex-presidente do governo da Catalunha fala em "pressão espanhola" no Parlamento Europeu. O levantamento da imunidade de Carles Puigdemont e de dois …