Governo investe cinco milhões de euros para aumentar capacidade de rastreio e testagem

Guillaume Horcajuelo / EPA

O Governo vai investir cinco milhões de euros para aumentar a capacidade de os centros “Heróis dos Testes” fazerem rastreios e testagens de covid-19 no país, anunciou esta sexta-feira a ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa.

“Estes cinco milhões que o Ministério da Coesão Territorial coloca à disposição desta rede de centros é para que, no período crítico que estamos a viver, a nossa capacidade de testagem aumente e as metodologias e resultados sejam cada vez mais seguros”, disse em Faro a governante.

A ministra explicou ainda que os cinco milhões de euros preveem de fundos europeus dos Programas Operacionais Regionais Norte 2020, Centro 2020, Lisboa 2020, Alentejo 2020 e CRESC Algarve 2020 – Programa Operacional do Algarve.

A medida “Testar” é dirigida especificamente à rede de instituições “Heróis dos Testes”, constituída por 21 instituições de ensino superior, institutos de investigação e centros de estudos certificados pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) para a realização de testes de diagnóstico à covid-19.

Cada entidade pode receber um apoio máximo de 300 mil euros para o seu projeto.

Falando à margem de uma visita a uma entidades envolvidas, o ABC – Algarve Biomedical Center, sediado no campus de Gambelas da Universidade do Algarve, Ana Abrunhosa realçou que a verba permitirá a essas entidades “robustecerem, melhorarem e investigarem o que toca à capacidade de testagem, metodologia de análise e outra investigação”.

De acordo com o presidente do ABC, Nuno Marques, com este apoio específico, as 21 instituições envolvidas “muito facilmente chegarão, entre cada uma delas, a 300 até 600 testes/dia”.

“Multiplicando pelo número de instituições, estamos a falar de um número muito significativo de testes e com uma distribuição geográfica de norte a sul, dando capacidade a todas as zonas do país”, acrescentou o responsável, revelando que o ABC atingiu na quinta-feira um total de 30.500 testes realizados desde o início da pandemia.

“Serão apoiadas, a fundo perdido, despesas com equipamentos científicos e técnicos, recursos humanos, registo de patentes e adaptação de edifícios e instalações para “uma maior eficácia” no combate à pandemia.

A ministra da Coesão Territorial elogiou o papel dos “Heróis dos Testes” na fase inicial da pandemia, nomeadamente na partilha de conhecimento que permitiu desenvolver a testagem e produção de zaragatoas e kits de testagem e tornar Portugal “autossuficiente” nessa matéria.

“Quando começámos o período da pandemia, estávamos totalmente dependentes em zaragatoas. Estávamos a gastar milhões em importações, quando tínhamos capacidade interna para desenvolver zaragatoas e kits. Nós não tínhamos nada, não produzíamos nada disto no nosso país. Graças a este grupo, ‘Heróis dos Testes’, hoje temos autonomia”, sublinhou Ana Abrunhosa.

“Inicialmente, a rede “Heróis dos Testes” foi financiada pelo Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, disponibilizando-se a trabalhar “a preço de custo laboratorial, colocando os testes à disposição por um preço entre os 35 a 40 euros cada teste”, recordou Nuno Marques.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas medem temperatura a 4 mil borboletas (e revelam a influência do clima no seu habitat)

Um grupo de cientistas do Reino Unido recolheu 4 mil borboletas selvagens para medir a sua temperaturas, alertando que algumas das espécies mais reconhecidas do país estão em ameaça de colapso, e em risco de …

Teia da morte. Cientistas desenvolvem nova forma de matar células cancerígenas

Um novo estudo sugere que, através de uma interrupção direcionada e localizada da estrutura das células cancerígenas, o seu mecanismo de autodestruição pode ser ativado. As células cancerígenas multiplicam-se de forma incontrolável, levando a um crescimento …

Boavista 2-0 Porto | “Manita” em 45 minutos demolidores

Goleada do “dragão” no Bessa. No dérbi portuense entre Boavista e FC Porto, os campeões nacionais sentiram dificuldades na primeira parte, não conseguiram sequer enquadrar qualquer um dos seus remates, mas na segunda parte tudo …

Magawa, o rato que deteta minas, ganhou uma medalha de ouro

Magawa, um rato gigante africano, foi treinado para descobrir minas terrestres e tem estado ao serviço no Camboja. O animal foi agora proclamado herói e premiado por salvar vidas naquele país. A instituição de caridade britânica …

Cientistas descobrem nova espécie de crustáceo no lugar mais quente da Terra

Uma equipa de cientistas descobriu uma nova espécie de crustáceo de água doce durante uma expedição ao deserto de Lute, no Irão, também conhecido como o lugar mais quente do planeta. Hossein Rajaei, do Museu Estadual …

Furacão Sally fragmentou parte de uma ilha da Florida em três

A passagem do furacão Sally fragmentou parte de uma ilha na costa da Florida, no Estados Unidos, criando assim três pequenas porções de terra. Na prática, tal como explica o portal USA Today, o furação abriu …

Benfica 2-0 Moreirense | “Águia” vence e convence cónegos

Após ter perdido e empatado nas duas últimas recepções ao Moreirense, o Benfica voltou a vencer o emblema de Moreira de Cónegos na Luz. Este sábado, em duelo relativo à segunda jornada do campeonato, as “águias” …

"Surpreendente e fascinante". Descoberta pela primeira vez uma aurora sobre um cometa

A nave Rosetta da Agência Espacial Europeia (ESA) detetou uma aurora boreal sobre o cometa 67P / Churyumov-Gerasimenko (67P / C-G). Em comunicado, os cientistas envolvidos na deteção frisam que esta é a primeira vez quem …

Austrália não quer que turistas caminhem na famosa rocha sagrada Uluru (nem no Google Maps)

A Austrália pediu ao Google que remova do seu serviço Maps fotografias tiradas do topo de Uluru, o monólito aborígine sagrado que os visitantes estão proibidos de escalar desde o ano passado. De acordo com a …

NASA vai procurar aquíferos nos desertos com tecnologia já usada em Marte

Uma parceria entre a NASA e a Fundação Qatar tem como objetivo procurar as cada vez mais escassas águas que estão enterradas nos desertos do Saara e da Península Arábica. Este processo deverá ser desenvolvido …