/

Mãos no colo e janela aberta. DGS divulga orientações para os transportes públicos

1

Manuel de Almeida / Lusa

Desinfeção frequente das superfícies, distanciamento físico e uso de máscara são algumas das orientações divulgadas pela Direção-Geral da Saúde para os transportes públicos.

A Direção-Geral da Saúde (DGS) publicou esta quarta-feira as orientações de cuidados de saúde pública a manter em transportes públicos como autocarros, comboios, metros e táxis.

As empresas e operadoras de transportes públicos coletivos e individuais devem ter um plano de contingência próprio, ficando encarregues de acompanhar a sua implementação. O plano deverá garantir “aconselhamento técnico aos seus colaboradores, sensibilização para o cumprimento de medidas de proteção contra a covid-19 e materiais de limpeza, máscaras e equipamentos de proteção individual adequados”.

Os trabalhadores devem ser sensibilizados para o cumprimento das regras de etiqueta respiratória, lavagem correta de mãos, distanciamento físico e outras medidas de higienização e controlo ambiental.

“Os trabalhadores que estejam expostos ao público ou que partilhem o mesmo espaço com outras pessoas devem utilizar máscara facial, de preferência cirúrgica”, lê-se ainda no documento citado pelo SAPO24.

Em relação aos passageiros de transportes públicos, a DGS recomenda que sigam as medidas de segurança e de higiene recomendadas, entre as quais a utilização de máscara. Para além do apelo ao distanciamento físico, etiqueta respiratória e lavagem correta de mãos, os passageiros também devem “reduzir ao mínimo o contacto manual com as superfícies”.

Como tal, as empresas e operadoras deverão “disponibilizar, para trabalhadores e utilizadores, uma solução antissética de base alcoólica ou outra solução à base de álcool”.

O pagamento eletrónico deve ser privilegiado, evitando ao máximo o contacto direto com os motoristas e funcionários.

Nos veículos em que tal seja tecnicamente possível, a DGS determina a “abertura automática das portas, efetuando paragem em todas as estações/paragens, no sentido de evitar que os utilizadores tenham de carregar no botão de abertura de portas (botão stop), e privilegiar a entrada e a saída dos utilizadores pela porta traseira do veículo”.

Em táxis e veículos TVDE, os passageiros devem viajar apenas no banco de trás, “mantendo a janela aberta para permitir a circulação do ar”.

“Já os utilizadores deste tipo de transporte devem colocar os pertences próprios na bagageira de forma autónoma e independente, manter as mãos no colo durante a viagem e evitar o manuseamento e toque nas superfícies do interior do veículo e higienizar as mãos antes e após a utilização”, lê-se ainda no documento.

A limpeza e desinfeção das superfícies é também uma das prioridades apontadas pela DGS para todas as empresas e operadoras de transportes públicos.

  ZAP //

1 Comment

  1. Portanto que se ponham a pau as empresas privadas sujeitas a fiscalização e multas. As empresas de estado podem voltar ao modo “lata de sardinha”. Tal como na limpeza das matas, o zé povinho paga mas as matas do estado continuam na mesma…

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.