/

Nasceu o SOS Vizinho, a plataforma criada para ajudar quem mais precisa durante a quarentena

1

“No andar, no prédio, no bairro, na freguesia. Vamos ajudar quem precisa.” O SOS Vizinho é uma plataforma online para apoiar pessoas com doenças crónicas ou que estejam doentes e isolados.

“A Netflix pode esperar, os portugueses que são grupo de risco e necessitam de alimentar-se não. Nasceu assim o SOS Vizinho!” Este é o mote do projeto SOS Vizinho, que tem como objetivo a criação de uma rede de distribuição composta por voluntários. A ideia partiu de Henrique Paranhos, o voluntário que, em menos de 24 horas, juntou mais de 50 pessoas de todo o país.

Segundo o Observador, o projeto surgiu online, organizou-se remotamente e “lançou-se entre a manhã de sábado e este domingo”, lê-se no comunicado enviado ao diário.

O SOS Vizinho vai existir em site e, possivelmente, através de telefone. O site, que pode ser consultado aqui, permitirá dois tipos de inscrição: uma para voluntários, que se predisponham a ajudar, e outra para idosos (com mais de 65 anos) e “doentes crónicos ((como hipertensos, pessoas com problemas cardíacos e cardiorespiratórios, diabéticos, pessoas imunodeprimidas e com doenças autoimunes, entre outras)” que queiram requerer ajuda para evitar sair de casa.

Além disso, explica o diário, o SOS Vizinho contará ainda com um “Manual do Voluntário”, que recordará os inscritos dos “procedimentos de segurança nos vários cenários, desde a receção do pedido de apoio até à sua concretização junto do beneficiário”.

O projeto “já é do conhecimento do ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social”, tendo obtido “apoio da CASES – Cooperativa António Sérgio para a Economia Social”.

Há quem disponibilize casas a profissionais de saúde

São vários os proprietários de alojamento local ou de casas desocupadas que estão a disponibilizar gratuitamente habitação a médicos, enfermeiros e outros profissionais de saúde que estejam na linha da frente no combate à Covid-19, uma vez que estes profissionais se debatem com a questão: “devo voltar para casa, sob risco de contagiar a minha família?”.

Segundo o Observador, no grupo de Facebook “COVID19 – Alojamento SOLIDÁRIO para profissionais de saúde” foram publicadas, em apenas 11 horas, quase 200 ofertas de proprietários e pedidos de trabalhadores.

No mesmo grupo, são também vários os apelos de profissionais de saúde a pedirem um local onde possam ficar enquanto durar a pandemia, para evitarem contagiar a família e amigos.

“O objetivo é tentar proteger os que mais gostamos e que nos são próximos, sobretudo os mais idosos, e descansar o máximo possível, nas poucas horas que vamos ter disponíveis para tal”, diz uma enfermeira, citada pelo diário.

  ZAP //

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.