Governo não consultou a DGS na exclusão de diabéticos e hipertensos do regime especial de proteção

O Governo não consultou a DGS na decisão de excluir os pacientes diabéticos e hipertensos do regime especial de proteção no contexto da pandemia de covid-19.

O Governo excluiu diabéticos e hipertensos da lista de doentes crónicos que beneficiam de um regime excecional de proteção face à pandemia de covid-19. O Conselho Científico do Programa Nacional para a Diabetes, integrado na Direção-Geral da Saúde (DGS), lamentou “não ter sido consultado” pelo Executivo.

O Expresso teve acesso ao email enviado por Graça Freitas a António Lacerda Sales, em que representantes do conselho científico consideram que a exclusão destes pacientes deste regime especial constitui uma forma de “discriminação das pessoas com diabetes”.

A medida é “desajustada e contrária ao interesse da população, já que esta patologia, quando presente, é das que mais contribui negativamente para a mortalidade e morbilidade”, lê-se no email enviado ao secretário de Estado da Saúde.

Inicialmente integrados nos grupos de risco acrescido face ao novo coronavírus, os doentes hipertensos e diabéticos já não podem justificar faltas ao trabalho, por exemplo.

“Os imunodeprimidos e os portadores de doença crónica que, de acordo com as orientações da autoridade de saúde, devam ser considerados de risco, designadamente os doentes cardiovasculares, os portadores de doença respiratória crónica, os doentes oncológicos e os portadores de insuficiência renal, podem justificar a falta ao trabalho mediante declaração médica, desde que não possam desempenhar a sua atividade em regime de teletrabalho ou através de outras formas de prestação de atividade”, lê-se na declaração de retificação.

No dia 4 de junho, Lacerda Sales salientou que a retificação do decreto “não exclui” diabéticos e hipertensos da proteção especial, uma vez que são considerados doentes crónicos. “A garantia que podemos dar é que, perante a avaliação médica, serão abrangidos pelo regime excecional”, explicou em conferência de imprensa.

No entanto, vários partidos não concordam e entendem que a retificação impede estes doentes de justificar as suas faltas ao trabalho quando não há a possibilidade de trabalhar remotamente. Esta quarta-feira vai-se definir um prazo para a apresentação de propostas de alteração à lei.

“Estou certo de que os partidos vão chegar a uma formulação conjunta e a uma proposta unificada que irá depois a plenário”, disse o presidente da Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal em declarações ao Expresso.

“A diabetes é provavelmente a doença em que as pessoas são mais responsáveis por si próprias. Têm de controlar os valores de açúcar, a alimentação e o exercício físico, e ajustar a medicação. Não há nenhuma outra doença em que as pessoas sejam tão autónomas no seu tratamento e merecem, por isso, consideração e incentivos para que se cuidem”, acrescentou ainda José Manuel Boavida.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Grande carruagem cerimonial descoberta quase intacta em Pompeia

Uma grande carruagem cerimonial de quatro rodas, com elementos de ferro, decorações de bronze e estanho, restos de madeira mineralizada e vestígios de elementos orgânicos, como cordas, foi encontrada quase intacta na área arqueológica de …

FC Porto 0-0 Sporting | Nulo com sabor a vitória para o "leão"

O “clássico” do Dragão, entre FC Porto e Sporting, terminou sem golos, sem grande futebol, e com um “leão” cada vez mais perto do título, apesar de ainda faltar muito campeonato.  A igualdade permite à formação …

Adolesceste entusiasta por pirotecnia construiu o seu próprio simulador profissional de fogos de artifício

O FWsim foi lançado pela primeira vez em 2010 como um software de planeamento de fogos de artifício, voltado para profissionais de pirotecnia e entusiastas de fogos de artifício. Em 2006, conta o Vice, Lukas Trötzmüller …

Pela primeira vez em 45 anos, uma casa vitoriana "flutuou" pelas ruas de San Francisco

A manhã de 21 de fevereiro em San Francisco, nos Estados Unidos, foi um pouco diferente do normal: uma casa vitoriana passou a "flutuar" pelas ruas da cidade. De acordo com o BuzzFeed News, uma equipa …

Nação Cherokee pede à Jeep que deixe de usar o nome da tribo nos seus carros

"É hora de a Jeep reconsiderar chamar os seus SUVs Cherokee e Grand Cherokee". Pela primeira vez, a tribo norte-americana Nação Cherokee pediu diretamente à Jeep para parar de usar o seu nome nos seus …

PCP quer apoios a 100% para pais "imediatamente e com efeitos retroativos"

O secretário-geral do PCP pediu ao Governo, este sábado, apoios a 100% para os trabalhadores que estão em casa com os filhos, pagos "imediatamente e com efeitos retroativos", e defendeu um plano de desconfinamento "setor …

Naufrágio grego que levava partes do Partenon está a revelar os seus segredos

A última expedição de mergulhadores ao navio grego Mentor, que naufragou perto da ilha Citera em 1802, recuperou várias peças do cordame, moedas, a sola de couro de um sapato, uma fivela de metal, uma …

Chega vai reagir "muito veementemente" na rua à tentativa de ilegalização

O líder do Chega disse, este sábado, que o partido vai responder "muito veementemente" e com "presença na rua", já em março, à tentativa de ilegalização da estrutura promovida por Ana Gomes. "Quero deixar claro aqui, …

Procura-se candidato para dormir. Site oferece 1650 euros e uma noite num resort

Este pode ser, literalmente, um emprego de sonho: fazer dinheiro enquanto se dorme, incluindo uma noite num resort de 5 estrelas. O site Sleep Standards, que se dedica a dar informação sobre pesquisas e produtos relacionados …

Catarina Martins faz apelo a Costa. "Moratórias têm de ser estendidas já"

A coordenadora do Bloco de Esquerda fez um apelo direto ao primeiro-ministro, este sábado, para que não espere que "seja tarde demais" e decida já estender as moratórias, evitando assim uma vaga de despejos e …