/

“A quarta vaga vai ser maior”. A 100 dias dos Jogos Olímpicos, nova variante preocupa Japão

As autoridades de saúde do Japão estão preocupadas que as variantes do coronavírus estejam a iniciar uma quarta vaga da pandemia a 109 dias dos Jogos Olímpicos.

As variantes parecem ser mais infeciosas e podem ser resistentes às vacinas, que ainda não estão amplamente disponíveis no Japão. A situação é pior em Osaka, onde as infeções atingiram novos recordes na semana passada, levando o governo regional a iniciar medidas de confinamento durante um mês a partir desta segunda-feira.

Uma variante descoberta inicialmente na Grã-Bretanha espalhou-se rapidamente pela região de Osaka, enchendo as camas de hospitais com casos mais graves do que o vírus original.

“A quarta vaga será maior”, disse Koji Wada, um conselheiro do governo sobre a pandemia e professor da Universidade Internacional de Saúde e Bem-estar de Tóquio, citado pela agência Reuters. “Precisamos de começar a discutir como poderíamos utilizar estas medidas direcionadas para a área de Tóquio.”

O Japão declarou duas vezes o estado de emergência que cobriu a maior parte do país no ano passado, mais recentemente logo após o Ano Novo, quando ocorreu a terceira e mais mortal onda da pandemia. As autoridades estão agora a optar por medidas mais direcionadas que permitam que os governos locais reduzam o horário comercial e imponham multas por imcumprimento.

Osaka cancelou os eventos da Tocha Olímpica na região, mas o primeiro-ministro Yoshihide Suga insiste que o Japão irá realizará os Jogos Olímpicos conforme programado. Suga disse que as medidas em Osaka podem ser expandidas para Tóquio e outros lugares se necessário.

A verdadeira extensão dos casos mutantes é desconhecida, uma vez que apenas uma pequena fração dos casos de covid-19 são submetidos ao estudo genómico necessário para encontrar as variantes.

Um relatório do ministério da saúde na semana passada mostrou que 678 casos de variantes mutantes da Grã-Bretanha, África do Sul e Brasil foram descobertos em todo o país e em aeroportos, com os maiores aglomerados em Osaka e Hyogo.

No entanto, o Japão está também preocupado com um outra variante, conhecida como E484K, que pode ser mais difundida. Cerca de 70% dos pacientes com covid-19 testados num hospital de Tóquio no mês passado tinham esta mutação que era diferente das variedades britânica e sul-africana.

“É quase uma certeza que esta nova variante é altamente contagiosa, com uma velocidade de transmissão muito rápida”, alertou o governador de Osaka Hirofumi Yoshimura. “Peço a todos os residentes de Osaka para evitarem saídas desnecessárias”.

As medidas prioritárias que estão a ser implementadas agora têm como objetivo deter um aumento inesperado de casos mutantes, segundo Makoto Shimoaraiso, um oficial do Gabinete do Secretariado para a resposta do Japão ao covid-19. “Aceitamos as críticas quando as pessoas dizem que não conseguimos detetar nenhuma variante”, disse.

  Maria Campos, ZAP //

 

 

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE