Ex-ministro da Saúde brasileiro avisa que uso da cloroquina aumenta risco de mortes por arritmia

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta

O ex-ministro da Saúde do Brasil Luiz Henrique Mandetta, demitido em abril passado, afirmou esta segunda-feira que o uso da cloroquina em pacientes com covid-19 pode aumentar o número de mortes por arritmia cardíaca no país.

Em entrevista publicada pelo jornal Folha de São Paulo, Mandetta relatou que percebeu os riscos da substância quando médicos brasileiros começaram a testar a cloroquina em pacientes em estado grave que estão nos hospitais.

“Do que sei dos estudos que me informaram, e não concluíram, 33% dos pacientes que estavam em hospital, monitorizados com eletrocardiograma contínuo, tiveram que suspender a cloroquina porque deu arritmia que poderia levar a parada [cardíaca]. Esse número assustou, é alto”, relatou Mandetta.

“Se todos os velhinhos tiverem arritmia, vão lotar o Centro de Tratamento Intensivo (CTI), porque tem muito mais casos de arritmia que complicação de Covid. E vou ter de arrumar CTI para isso, e pode ser que morra muita gente em casa com arritmia”, acrescentou.

O ex-ministro da Saúde brasileiro afirmou que a intenção do Presidente do país, Jair Bolsonaro, em promover a cloroquina é fazer com que as pessoas pensem que podem voltar ao trabalho porque já existe um remédio.

“É algo para tranquilizar, recuperar a normalidade sem tanto peso na consciência. Se tivesse lógica de assistência, a ideia teria vindo de sociedades especializadas. Portanto, não há ninguém sério que defenda um medicamento como uma panaceia”, afirmou.

Mandetta, demitido por Bolsonaro em abril por apoiar as medidas de isolamento social decretadas por governadores e prefeitos de câmara do país e por não ter aprovado um protocolo de uso da cloroquina para pacientes que não estão em estado grave, afirmou que o Governo não poderá dizer que não foi avisado sobre a crise que a pandemia geraria.

O Brasil já é o quarto no mundo em número de casos de covid -19, com 241.080 infetados, e o sexto com mais mortes, tendo registado 16.118 óbitos, segundo dados do Ministério da Saúde mais atualizados.

“Nada do que está a acontecer é surpresa para o Governo”

“Eu nunca disse e não vou dizer, mas tivemos nossos estudos de cenários de números de casos e mortes. Nada do que está acontecendo hoje é uma surpresa para o Governo”, disse o ex-ministro, cujo sucessor, Nelson Teich, também renunciou ao cargo na última sexta-feira, menos de um mês depois de assumir a pasta da Saúde.

A acentuada curva ascendente da doença indica que, no Brasil, as infeções e mortes continuarão a crescer exponencialmente, pois ainda não há previsões exatas sobre quando a doença atingirá seu pico.

Apesar desses números, o Presidente brasileiro é um dos governantes mais céticos sobre a gravidade da pandemia e insiste em criticar as medidas de distanciamento social adotadas pelos governos regionais para conter o avanço da doença.

“Ele [Bolsonaro] considerou claramente que a crise económica decorrente da crise da saúde era inaceitável, embora o alertássemos de que era uma doença muito grave e que o número de casos poderia surpreender”, afirmou o ex-ministro da Saúde.

“A primeira impressão que tive foi de que o Governo não estava tão interessado no assunto e não estava dando a dimensão adequada. Somente quando já estávamos com o vírus e os casos que somavam, na segunda semana de março, eles perceberam que toda a sociedade estava intimamente ligada ao Ministério da Saúde como o principal ponto de referência“.

Pico não acontecerá antes de julho

De acordo com Mandetta, os governadores e prefeitos começaram a adotar medidas de distanciamento social e foi então que “o Presidente começou a fazer uma leitura diametralmente contrária ao que foi discutido no Ministério [da Saúde] e dificultou tudo”.

O antigo gestor estimou que o pico da covid-19 no país não ocorrerá antes de julho, pelo que os números ainda vão crescer muito.

“Uma vez eu disse que teríamos 20 semanas muito difíceis pela frente. Passaram 8 semanas. Eu disse que os casos aumentariam em abril, maio e junho; que em julho, quando atingirmos o pico da curva, estabilizaremos, embora os registos permanecerão altos até agosto, quando o número de casos começará a cair, e que em setembro estaremos perto de algo agradável”, concluiu.

O uso da cloroquina como tratamento para a covid-19 tem deixado muitas dúvidas a especialistas por todo o mundo. Também a agência francesa de medicamentos e produtos de saúde alertou que os efeitos colaterais relatados em pacientes covid-19 tratados com o fármaco hidroxicloroquina representam um “sinal de alerta importante” sobre uma “fragilidade particular” no nível cardíaco.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Infelizmente o presidente do Brasil fez a sua escolha. Deixar contaminar a população e gerar a morte de muitos.
    Tenho vergonha do meu governo.
    Perdi meu pai para a covid e na mente desse gestor irresponsável (Bolsonaro) isso faz parte.

RESPONDER

FC Porto 1-0 Guimarães | Dragão já vê Sporting no horizonte

O Porto venceu no fecho da 28ª jornada da Liga NOS pela margem mínima, na recepção ao Vitória SC, e conseguiu o principal objectivo, que passava por somar os três pontos e reduzir para quatro …

Italiano faltou ao trabalho durante 15 anos, mas ganhou quase 600 mil euros

Um funcionário de um hospital no sul de Itália recebeu o salário durante 15 anos, apesar de nunca ter aparecido para trabalhar. De acordo com a polícia italiana, citada pela cadeia televisiva CNN, Salvatore Scumace está …

Google ficou sem o domínio na Argentina (e Nicolás achou que ia ser o novo dono)

Na última quarta-feira, um jovem argentino achou que ia ficar rico à custa da distração da Google no seu país. Acabou por não acontecer e tudo ficou resolvido. "Que pague a dívida externa", "que compre vacinas", …

Lola, a robô humanóide, dá "passos de bebé" (e equilibra-se com as mãos)

Uma equipa de cientistas está a ensinar a robô humanóide Lola a dar "passos de bebé", equilibrando-se com as suas mãos em vários pontos de contacto. Há muito tempo que os investigadores estudam a locomoção de …

Presidente da República veta decreto sobre inseminação post mortem

O Presidente da República vetou, esta quinta-feira, o decreto do Parlamento sobre inseminação post mortem, considerando que suscita dúvidas no plano do direito sucessório e questionando a sua aplicação retroativa. Na mensagem dirigida à Assembleia da …

Primeiro-ministro francês está a receber centenas de peças de lingerie no correio

O primeiro-ministro francês tem estado a receber roupa interior feminina na sua caixa de correio. Foi a forma encontrada pelas lojas de lingerie para protestarem contra as restrições da pandemia que as obrigam a estar …

Inteligência artificial "identifica" autores dos Manuscritos do Mar Morto

Investigadores da Universidade de Groningen, nos Países Baixos, recorreram à inteligência artificial para concluir que os Manuscritos do Mar Morto foram redigidos por vários escribas, o que abre uma "nova janela" para o estudo do …

Inteligência Artificial vai ajudar a identificar fontes de poluição no Bangladesh

A produção de tijolos é uma fonte de poluição que ameaça a saúde da população e do planeta, mas regular esta indústria pode ser uma tarefa difícil para as autoridades. Para resolver o problema, uma …

Portimonense 1-5 Benfica | "Águia" arrasa em solo algarvio

O Benfica regressou aos triunfos depois de ter vencido o Portimonense por 5-1, numa partida relativa à 28.ª jornada da Liga NOS, após o desaire registado na recepção ao Gil Vicente.  Porém, não foi um duelo …

Vigaristas burlaram mulher de 90 anos em 32 milhões de dólares

Uma mulher de Hong Kong, de 90 anos, foi defraudada em 32 milhões de dólares por burlões que se fizeram passar por agentes policiais chineses, via chamada telefónica. A Agence France-Presse (AFP) escreve que um jovem …