Ex-ministro da Saúde brasileiro avisa que uso da cloroquina aumenta risco de mortes por arritmia

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta

O ex-ministro da Saúde do Brasil Luiz Henrique Mandetta, demitido em abril passado, afirmou esta segunda-feira que o uso da cloroquina em pacientes com covid-19 pode aumentar o número de mortes por arritmia cardíaca no país.

Em entrevista publicada pelo jornal Folha de São Paulo, Mandetta relatou que percebeu os riscos da substância quando médicos brasileiros começaram a testar a cloroquina em pacientes em estado grave que estão nos hospitais.

“Do que sei dos estudos que me informaram, e não concluíram, 33% dos pacientes que estavam em hospital, monitorizados com eletrocardiograma contínuo, tiveram que suspender a cloroquina porque deu arritmia que poderia levar a parada [cardíaca]. Esse número assustou, é alto”, relatou Mandetta.

“Se todos os velhinhos tiverem arritmia, vão lotar o Centro de Tratamento Intensivo (CTI), porque tem muito mais casos de arritmia que complicação de Covid. E vou ter de arrumar CTI para isso, e pode ser que morra muita gente em casa com arritmia”, acrescentou.

O ex-ministro da Saúde brasileiro afirmou que a intenção do Presidente do país, Jair Bolsonaro, em promover a cloroquina é fazer com que as pessoas pensem que podem voltar ao trabalho porque já existe um remédio.

“É algo para tranquilizar, recuperar a normalidade sem tanto peso na consciência. Se tivesse lógica de assistência, a ideia teria vindo de sociedades especializadas. Portanto, não há ninguém sério que defenda um medicamento como uma panaceia”, afirmou.

Mandetta, demitido por Bolsonaro em abril por apoiar as medidas de isolamento social decretadas por governadores e prefeitos de câmara do país e por não ter aprovado um protocolo de uso da cloroquina para pacientes que não estão em estado grave, afirmou que o Governo não poderá dizer que não foi avisado sobre a crise que a pandemia geraria.

O Brasil já é o quarto no mundo em número de casos de covid -19, com 241.080 infetados, e o sexto com mais mortes, tendo registado 16.118 óbitos, segundo dados do Ministério da Saúde mais atualizados.

“Nada do que está a acontecer é surpresa para o Governo”

“Eu nunca disse e não vou dizer, mas tivemos nossos estudos de cenários de números de casos e mortes. Nada do que está acontecendo hoje é uma surpresa para o Governo”, disse o ex-ministro, cujo sucessor, Nelson Teich, também renunciou ao cargo na última sexta-feira, menos de um mês depois de assumir a pasta da Saúde.

A acentuada curva ascendente da doença indica que, no Brasil, as infeções e mortes continuarão a crescer exponencialmente, pois ainda não há previsões exatas sobre quando a doença atingirá seu pico.

Apesar desses números, o Presidente brasileiro é um dos governantes mais céticos sobre a gravidade da pandemia e insiste em criticar as medidas de distanciamento social adotadas pelos governos regionais para conter o avanço da doença.

“Ele [Bolsonaro] considerou claramente que a crise económica decorrente da crise da saúde era inaceitável, embora o alertássemos de que era uma doença muito grave e que o número de casos poderia surpreender”, afirmou o ex-ministro da Saúde.

“A primeira impressão que tive foi de que o Governo não estava tão interessado no assunto e não estava dando a dimensão adequada. Somente quando já estávamos com o vírus e os casos que somavam, na segunda semana de março, eles perceberam que toda a sociedade estava intimamente ligada ao Ministério da Saúde como o principal ponto de referência“.

Pico não acontecerá antes de julho

De acordo com Mandetta, os governadores e prefeitos começaram a adotar medidas de distanciamento social e foi então que “o Presidente começou a fazer uma leitura diametralmente contrária ao que foi discutido no Ministério [da Saúde] e dificultou tudo”.

O antigo gestor estimou que o pico da covid-19 no país não ocorrerá antes de julho, pelo que os números ainda vão crescer muito.

“Uma vez eu disse que teríamos 20 semanas muito difíceis pela frente. Passaram 8 semanas. Eu disse que os casos aumentariam em abril, maio e junho; que em julho, quando atingirmos o pico da curva, estabilizaremos, embora os registos permanecerão altos até agosto, quando o número de casos começará a cair, e que em setembro estaremos perto de algo agradável”, concluiu.

O uso da cloroquina como tratamento para a covid-19 tem deixado muitas dúvidas a especialistas por todo o mundo. Também a agência francesa de medicamentos e produtos de saúde alertou que os efeitos colaterais relatados em pacientes covid-19 tratados com o fármaco hidroxicloroquina representam um “sinal de alerta importante” sobre uma “fragilidade particular” no nível cardíaco.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Infelizmente o presidente do Brasil fez a sua escolha. Deixar contaminar a população e gerar a morte de muitos.
    Tenho vergonha do meu governo.
    Perdi meu pai para a covid e na mente desse gestor irresponsável (Bolsonaro) isso faz parte.

Capital das tempestades, Júpiter tem relâmpagos bizarros e chuva "mole" nunca antes vista

Com tempestades constantemente a devastar a sua superfície e uma Grande Mancha Vermelha que se agita há séculos, Júpiter é conhecido como a "capital das tempestades do Sistema Solar". Agora, a missão Juno, da NASA, …

Metro de Nova Iorque pede à Apple para melhorar sistema de reconhecimento facial

A autoridade que gere o metro de Nova Iorque, nos Estados Unidos, pediu à gigante tecnológica Apple para melhorar o reconhecimento facial dos seus dispositivos depois de serem observados vários passageiros a retirar a máscara …

Rival da Tesla diz que o seu carro terá uma autonomia de 832 quilómetros

A empresa Lucid Motors, concorrente direta da Tesla no mercado automóvel elétrico, afirma que o seu carro Air terá uma autonomia de 832 quilómetros. A confirmar-se a autonomia deste carro, o automóvel da Lucid Motors ultrapassará …

Moradores das Maurícias estão a cortar o próprio cabelo para ajudar a evitar um desastre ambiental

Moradores das Maurícias estão a cortar o seu próprio cabelo para para tentar minimizar os danos causados pelo derrame de petróleo de um navio janponês encalhado nos recifes de coral ao largo da ilha. Estima-se que …

Atalanta 1-2 PSG | Reviravolta épica vale bilhete para as “meias”

Um final impróprio para cardíacos e o epílogo perfeito num excelente jogo. O PSG esteve a perder desde o minuto 27, mas em apenas três minutos dos descontos deu a volta ao texto diante da …

Um emblemático transplante nos EUA aconteceu graças a um coração "roubado"

Um dos primeiros transplantes de coração realizados no mundo aconteceu no Estados Unidos. O que muitos não sabem é que este caso de sucesso também deu aso ao primeiro processo civil no país por homicídio …

"Pandemia de sem-abrigo" nos EUA. Há 30 milhões de pessoas sob risco de despejo

Nos Estados Unidos da América avizinha-se uma "pandemia de sem-abrigo". Até ao final de setembro, 30 milhões de norte-americanos estão em risco de despejo devido à covid-19. Nos Estados Unidos, a pandemia de covid-19 pode estar …

Tráfego nas autoestradas cai para quase metade. Foi o pior trimestre de sempre

A rede da Associação Portuguesa das Sociedades Concessionárias de Autoestradas ou Pontes com Portagens (APCAP) registou de abril a junho "o pior trimestre de circulação e tráfego médio desde que há registos", recuando 46% devido …

Bielorrússia cortou acesso à internet e tentou fazer com que parecesse um acidente

No seguimento da reeleição de Alexandr Lukashenko na Bielorrússia, multiplicam-se os apagões de internet. O Governo diz que se trata de um ataque cibernético, mas há suspeitas de que seja um plano do presidente. Os protestos …

Resgatados 28 cães sem registo ou vacinas de barracões onde também vivia a proprietária em Lisboa

Vinte e oito cães foram retirados pela PSP terça-feira de barracões em Lisboa onde também vivia a proprietária, avança a agência Lusa, detalhando que os animais serão depois colocados para adoção.  Os animais foram posteriormente recolhidos …