Suécia e Dinamarca suspendem vacina da Moderna para pessoas mais jovens

Gary Coronado / EPA

A Suécia e a Dinamarca anunciaram, esta quarta-feira, a suspensão da vacina da Moderna para faixas etárias mais jovens por precaução.

A autoridade de saúde pública sueca (Folkhälsomyndigheten), responsável pela campanha de vacinação contra a covid-19, “decidiu suspender o uso da vacina Spikevax da Moderna para todos os nascidos a partir de 1991, por princípio de precaução”, indicou num comunicado enviado à imprensa.

Esta decisão foi tomada “após sinais de maior risco de efeitos secundários, como inflamação do miocárdio e pericárdio”, segundo a nota.

De acordo com o mesmo órgão de saúde, o risco é maior após a segunda dose e no sexo masculino. “Mas o risco de ocorrer é mínimo, sendo um efeito colateral muito raro“, enfatizou a autoridade de saúde pública sueca.

“A miocardite e a pericardite costumam passar por conta própria, sem causar problemas duradouros, mas os sintomas devem ser avaliados por um médico”, explicou o comunicado.

Cerca de 81 mil pessoas com menos de 30 anos receberam a primeira dose da vacina da Moderna na Suécia, mas não a segunda. Em julho, a Agência Europeia do Medicamento (EMA) estendeu a sua autorização para crianças e adolescentes entre 12 e 17 anos.

Por sua vez, a Autoridade de Saúde Dinamarquesa também anunciou que ia suspender a vacina da Moderna para pessoas abaixo dos 18 anos, depois de suspeitas de alguns efeitos secundários raros, como miocardite.

“Nos dados preliminares… há suspeitas de um maior risco de inflamações cardíacas, quando vacinados com a vacina da Moderna”, afirmou num comunicado citado pela agência Reuters.

A autoridade de saúde declarou ter tomado esta decisão, mesmo sabendo que a “inflamação do coração é um efeito secundário extremamente raro que geralmente tem um curso leve e desaparece por conta própria”.

Estes dados são referentes a um estudo nórdico, ainda não publicado, que será agora enviado para a EMA para avaliação posterior. Os dados finais são esperados dentro de um mês, acrescentou.

De acordo com a mesma agência noticiosa, os dois países passam agora a recomendar a vacina Comirnaty, da Pfizer/BioNTech, para estas faixas etárias.

Em declarações à Reuters, um porta-voz da Moderna disse que a empresa está a par da decisão da Suécia e da Dinamarca, tendo explicado que estes casos “são tipicamente leves e as pessoas tendem a recuperar num curto período de tempo”.

“O risco de miocardite é substancialmente aumentado para aqueles que contraem covid-19 e a vacinação é a melhor forma de proteção contra isso”, acrescentou.

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE