“Desnorte” e “falta de liderança”. Marques Mendes considera que Governo “andou a dormir na forma”

PSD / Flickr

Luís Marques Mendes

Para Luís Marques Mendes, o Governo “não tem estado bem” na preparação e resposta à segunda vaga da pandemia de covid-19.

Se o Governo tivesse agido mais cedo, “evitavam-se muitos contágios, podiam evitar-se algumas mortes, evitavam-se eventualmente medidas tão drásticas quanto estas”. “Toda a gente sabe: quanto mais tarde se age, pior”, salientou Luís Marques Mendes, no seu habitual espaço de comentário na SIC.

O antigo líder do PSD referiu ainda que o Governo “andou a dormir na forma” e que revela já “desnorte, de falta de capacidade de antecipação, de falta de planeamento e até de liderança”.

Marques Mendes reconheceu que as medidas dotadas são um “choque”, em particular o recolher obrigatório, mas lembrou que “a situação dos novos contágios começa a ser dramática”, que “os hospitais estão à beira da rutura”, que a “pandemia está relativamente descontrolada” e que “o número de mortes está a crescer de forma preocupante”.

Se nada for feito, “ainda acabamos num confinamento geral”, frisou.

Este domingo, na SIC, acusou o Governo de “demagogia” por sugerirem que as medidas vão salvar o Natal. “Estas medidas não são para salvar o Natal. São para salvar vidas. Para salvar o Serviço Nacional de Saúde da rutura e do colapso.”

“O Governo deve falar verdade. E falar verdade, neste caso, é explicar aos portugueses, a tempo e horas, o seguinte: no período do Natal vamos ter limitações à circulação, como houve na Páscoa e no Dia de Finados? E que tipo de limitações? E durante quantos dias? Isso, sim, o Governo tem de explicar a tempo e horas. Para que as pessoas possam programar as suas vidas e o Natal. Fora isso, não abusem da inteligência dos portugueses.”

Em relação à solução encontrada para derrubar Vasco Cordeiro nos Açores, através de uma “geringonça” de direita, Marques Mendes disse que “o PS não tem autoridade para se queixar. Fez o mesmo em 2015, quando Costa fez a geringonça”.

Ainda assim, o antigo líder social-democrata deixou um aviso: Rui Rio corre riscos depois de o PSD/Açores ter aceitado negociar com o Chega e o PSD pode perder capital político se não alterar a perceção instalada de que está a normalizar André Ventura.

“Rio tinha dito que o PSD não fazia acordos com o Chega enquanto ele não mudasse. Como agora houve este acordo, mesmo sem o Chega mudar, há um problema de perceção política. A perceção de que o PSD mudou, normalizou o Chega e que pode repetir esta solução no plano nacional. Esta perceção, se não for desmontada, pode afastar o PSD dos eleitores moderados do centro, vitais para ganhar eleições. Ou seja: o Chega acrescenta votos no Parlamento. Mas pode tirar votos e credibilidade no país”, argumentou.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Marques Mendes é como a Justiça ou falta dela anda a dormir em forma foste apanhado nas escutas dos vistos Gold e ela estava a dormir senão estavas preso assim como muitos outros Mafiosos.

RESPONDER

Ex-CEO da Groundforce admite hipótese de comprar a empresa

O ex-CEO da Groundforce, afastado do cargo em abril por "violação grave dos deveres de lealdade", não exclui a hipótese de vir a comprar a empresa de handling. Em declarações ao jornal online ECO, Paulo Neto …

Viatura onde seguia Eduardo Cabrita atropela uma pessoa na A6

Esta sexta-feira, um homem morreu após ter sido atropelado pelo automóvel em que seguia o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, num acidente na autoestrada A6. Numa nota enviada às redações, o Ministério da Administração Interna …

Portugal com mais 1.298 casos e quatro mortes

Esta sexta-feira, Portugal registou 1.298 novos casos e quatro mortes na sequência da infeção por covid-19. Segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), foram registados, nas últimas 24 horas, mais 1.298 casos e …

Parlamento aprova prorrogação das moratórias bancárias até final do ano

O alargamento aplica-se aos "particulares e para as empresas que desenvolvem a sua atividade em setores especialmente afetados pela pandemia de covid-19". O Parlamento aprovou, esta sexta-feira ,a prorrogação e alargamento das moratórias bancárias, que terminavam …

Tribunal belga obriga AstraZeneca a entregar 50 mihões de doses de vacina à UE

A AstraZeneca vai ter que entregar 50 milhões de doses da vacina para a covid-19 à União Europeia. A entrega deve ser efetuada até 27 de setembro. A justiça belga ordenou, esta sexta-feira, à farmacêutica …

"Dois terços dos problemas estão na Área Metropolitana de Lisboa", justifica Costa

O primeiro-ministro, António Costa, justificou esta sexta-feira a necessidade de tomar medidas localizadas em Lisboa para evitar que o agravamento da situação epidemiológica se alastre.  Em Bruges, na Bélgica, à margem da sessão de encerramento do …

CDS critica “enorme infelicidade” do Presidente e "comunicação desastrosa" do Governo

O CDS-PP criticou hoje as declarações do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, quando disse que no que depender dele não haverá "volta atrás" no desconfinamento, considerando-as de “uma enorme infelicidade”, lamentando também a …

Astronautas entraram pela primeira vez na nova estação espacial chinesa

Três astronautas chineses começaram, esta sexta-feira, a fazer da nova estação espacial da China o seu lar, um dia depois de ali terem chegado, num lançamento bem-sucedido, que marcou um novo avanço no ambicioso programa …

Homicida de Bruno Candé tinha plena consciência dos seus atos. MP quer 22 anos de prisão

Evaristo Marinho, o homicida de Bruno Candé, tinha plena consciência dos seus atos quando cometeu o crime, lê-se no relatório do Instituto Nacional de Medicina Legal. O Ministério Público quer 22 anos de prisão. O Ministério …

Pandemia deixa dezenas de bebés por registar, o que pode "potenciar o tráfico humano"

O encerramento do balcão "Nascer Cidadão", durante a fase mais crítica da pandemia, impediu o registo de bebés nascidos nessa altura. Citando fontes do Hospital de Faro, a rádio TSF avança que as campainhas de alarme …