/

DGS faz recomendações aos adeptos que estiveram nos festejos do Sporting

2

Patricia De Melo Moreira / AFP

A Direção-Geral da Saúde (DGS) divulgou um conjunto de recomendações para os adeptos que estiveram em ajuntamentos nos festejos do título do Sporting.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

A Direção-Geral da Saúde (DGS) aconselha quem esteve na terça-feira nas celebrações da vitória do Sporting no campeonato de futebol a reduzir os contactos nos próximos 14 dias e estar atento a sintomas de covid-19.

Em resposta à agência Lusa, a DGS diz ainda que, se houve momentos em que a pessoa não respeitou as medidas de proteção contra a covid-19, deve fazer um teste entre o 5.º e o 10.º dia a contar das celebrações.

A DGS considera que os festejos associados à vitória do Sporting no campeonato aumentaram a probabilidade de contacto entre as pessoas presentes e aconselha todos os que participaram a estarem atentos a sintomas como febre, tosse (de novo, agravada ou associada a dores de cabeça ou dores generalizadas do corpo), dificuldade respiratória ou perda total ou parcial do olfato ou do paladar e que contactem o SNS24.

Citado pelo Expresso, o virologista Paulo Paixão considera que “fazia sentido organizar um rastreio em massa” para acautelar eventuais consequências na sequência da concentração de milhares de pessoa  em Lisboa, na noite desta terça-feira.

“Se fosse autoridade de saúde pública, perante este evento não controlado era o que faria”, afirmou. “Em alternativa a um rastreio organizado, as pessoas podem tentar entrar em contacto com o seu médico ou com a linha SNS24” ou podem optar por fazer um teste rápido.

Ao semanário, o epidemiologista Manuel Carmo Gomes sublinhou ser conveniente que os jovens presentes nos festejos que eventualmente convivam “com pessoas mais velhas ainda não vacinadas” evitem qualquer contactos com essas mesmas pessoas “antes de saberem a sua situação”.

Quem esteve presente nas celebrações do título deve “estar atento a eventuais sintomas e reforçar os comportamentos individuais e medidas de segurança”, sobretudo “protegendo contactos mais vulneráveis para limitar os riscos”, acrescentou o presidente da Associação Nacional de Médicos de Saúde Pública, Ricardo Mexia.

  ZAP // Lusa

2 Comments

  1. Em vez de condenar veementemente o comportamento dos “heróis” do Marcelo, não… Dizem apenas “pérolas” como “A Direção-Geral da Saúde (DGS) aconselha quem esteve na terça-feira nas celebrações da vitória do Sporting no campeonato de futebol a reduzir os contactos nos próximos 14 dias e estar atento a sintomas de covid-19.”, ou “DGS diz ainda que, se houve momentos em que a pessoa não respeitou as medidas de proteção contra a covid-19, deve fazer um teste entre o 5.º e o 10.º dia a contar das celebrações.”, ou ainda “fazia sentido organizar um rastreio em massa” para acautelar eventuais consequências na sequência da concentração de milhares de pessoa em Lisboa, na noite desta terça-feira. Se fosse autoridade de saúde pública, perante este evento não controlado era o que faria”. Ha! E estes iluminados e iluminadas acham que milhares de pessoas que se estavam nas tintas se infetavam alguém ou não, vão estar preocupados com isso? Oh, pá… Acordem! O povo continua irresponsável e as autoridades acabam por validar tais comportamentos porque não atuaram e praticamente não deteram ninguém. VERGONHA!

    • Se em termos de “Autoridades”, se faz alusão as Forças Policiais que não detiveram ninguém, é porque não receberam Ordens Superiores para tal. Nesta bagunça, todas as Entidades responsáveis por a Organização desta Manifestação, são culpadas. Mas mais uma vez a grande culpa, cabe a uma População irresponsável, sem o mínimo de Civismo, e sem respeito por as Autoridades presentes. Consequências em termos de Saúde Publica agravada, é provável que venha a acontecer !…espero que nada aconteça, para o bem de todos.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.