Apenas 27,2% da população quer tomar a vacina contra a covid-19 assim que for possível

Hendrik Schmidt / EPA Pool

Dados da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP), recolhidos em novembro, revelaram que a persiste a desconfiança face à nova vacina contra a covid-19 que chega a Portugal em janeiro, com apenas 27,2% da população quer tomá-la assim que for possível.

De acordo com o Expresso, que cita dados da ENSP, 7% do portugueses não querem tomar a vacina e 66% prefere esperar – 51,7% durante “algum tempo” e 14,1% “muito tempo”. Os idosos e as pes­soas de risco são as que mais querem tomar, enquanto as que não tomam habitualmente a vacina da gripe estão no lado oposto.

Na reunião de quinta-feira do Infarmed, a diretora da ENSP, Carla Nunes, explicou o que está em causa para haver desconfiança por parte dos portugueses. “É mesmo muito forte essa ligação. É transversal e funciona quase de forma independente de outras variáveis, como a idade das pessoas, o seu risco de ter complicações ou a escolaridade”, frisou.

“É preciso explicar às pessoas que não está a ser ultrapassada nenhuma das fases de aprovação”, explicou.

A vacina contra a covid-19, que deverá chegar a Portugal em janeiro, será universal, gratuita e facultativa. Portugal vai comprar mais de 22 milhões de doses de vacinas, no âmbito dos acordos entre seis farmacêuticas e a União Europeia, o que representa um custo de 200 milhões de euros. Estão previstas três fases para o plano de vacinação.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Se estivéssemos perante uma verdadeira pandemia sentida realmente perigosa por toda a gente e com contornos transparentes certamente que toda a gente desejaria tomar a vacina. Mas vemos que assim não é.
    O Covid cheira a negócio desde que apareceu e felizmente não infecta nem mata a maioria das pessoas.
    As máscaras e o estado de emergência parecem mais servir para alimentar o negócio das grandes empresas internacionais do mundo da saúde do que propriamente para conter o vírus.
    Entretanto pelo meio morrem milhares de pessoas por falta de assistência a outras doenças bem mais graves do que o Covid. Afinal o Covid é das doenças que menos mata.

    • Pois é, nos EUA, onde a malta menos se protegeu, já morreram 280.000 pessoas, só de covid. Coisa pouca. Em Portugal, e com montes de medidas de proteção, já morreram quase 5.000 e ainda não fez um ano. Tanto num lado como do outro destes extremos, existem muito mais mortes por outras doenças devido à pressão dos sistemas de saúde (e também ao medo das pessoas irem ao médico, certamente). É chato quando os números não batem com a nossa ideologia ou com aquilo que achamos ser a verdade, mas sinceramente não compreendo como é possível ignorar a realidade dos factos quando os mesmos são claros, escrutináveis e à vista de todos. Muito triste.

RESPONDER

Homicídio com 32 anos resolvido com a menor amostra de ADN de sempre

Um caso de homicídio ocorrido há 32 anos, que muitos consideraram impossível de ser resolvido, foi finalmente desvendado (e tudo graças à amostra de ADN mais pequena de sempre usada para decifrar um caso). De acordo …

Braços robóticos controlados remotamente podem vir a realizar cirurgias delicadas

Um equipa de investigadores está a trabalhar para eliminar movimentos rígidos nos braços robóticos, de modo a torná-los mais ágeis. O objetivo é que no futuro estes possam empilhar pratos ou até realizar cirurgias delicadas. Os …

Alemão foi forçado a remover estátua do pai por esta se parecer com Hitler

Um alemão foi obrigado a retirar uma figura de madeira de um cemitério, que seria para homenagear o seu falecido pai, por ter semelhanças com o antigo ditador nazi. As autoridades do município de Weil im …

Podcast evita morte de um condenado (seis vezes)

Curtis Flowers foi julgado seis vezes pelo mesmo promotor de justiça. Um programa de investigação mudou o seu destino. O promotor continua a acreditar que Curtis é culpado. A própria equipa responsável pelo 60 Minutes, programa …

EUA venderam álbum único dos Wu-Tang Clan (que pertencia a Martin Shkreli)

O álbum do grupo Wu-Tang Clan, confiscado em 2018 ao antigo gestor de fundos Martin Shkreli, também conhecido como "o empresário mais odiado do mundo", foi agora vendido pelo Governo norte-americano. Num comunicado divulgado esta terça-feira, …

Bezos ofereceu 1,7 mil milhões de euros à NASA para entrar na corrida da próxima viagem à Lua

O empresário norte-americano ofereceu 1,7 mil milhões de euros à NASA numa tentativa de reacender a batalha espacial entre a sua empresa, a Blue Origin, e a do "rival" Elon Musk, a SpaceX. De acordo com …

Clientes com certificado digital válido impedidos de entrar em restaurantes

Estão a ser reportados vários casos de clientes que, ao apresentarem o certificado digital para poderem entrar num restaurante, não conseguem fazê-lo porque o documento está a ser considerado inválido pelos dispositivos eletrónicos. Segundo a rádio …

Covid-19 trouxe "paranoia" ao mercado

Diretor do Norwich City, da Premier League, acha que os responsáveis por alguns clubes não sabem bem o que estão a fazer nos últimos tempos. O Norwich City iria jogar contra o Coventry City, num encontro …

Israel cria "task force" para reverter boicote da Ben & Jerry's na Cisjordânia

Israel criou uma task force para pressionar a empresa de gelados norte-americana Ben & Jerry's e a sua proprietária, Unilever, a reverterem a decisão de boicotar a ocupação israelita na Cisjordânia. "Precisamos de aproveitar os 18 …

Violência armada. 430 mortos na última semana nos EUA e 2021 pode ser dos piores anos de sempre

Só na semana passada registaram-se cerca de 430 mortos e mais de 1000 feridos associados a tiroteios, num ano que está a ser marcado pelo aumento da violência armada nos Estados Unidos. O ano passado foi …