França investe oito mil milhões de euros para aumentar profissionais de saúde

Ian Langsdon / EPA

O primeiro-ministro francês, Jean Castex

O Governo francês anunciou, esta segunda-feira, que vai disponibilizar quase oito milhões de euros para que os profissionais de saúde possam ter aumentos salariais. 

De acordo com a rádio Renascença, a medida foi anunciada pelo novo primeiro-ministro, Jean Castex, tendo referido que este aumento salarial “representa o reconhecimento perante todos aqueles que lutaram contra a epidemia”.

O investimento é superior a oito mil milhões de euros e representa um aumento médio de 183 euros para enfermeiros e cuidadores. Os médicos que trabalham apenas no setor público também vão beneficiar de um investimento de cerca de 450 milhões de euros.

Esta terça-feira, em entrevista aos meios de comunicação franceses, o Presidente francês, Emmanuel Macron, também anunciou que vão ser disponibilizados mais 100 mil milhões de euros para estimular a economia do país.

“Vamos pôr neste plano de relance da economia, para além do que já pusemos [cerca de 460 mil milhões de euros], pelo menos 100 mil milhões para a indústria, o ambiente, as regiões, a cultura e a educação”, revelou.

A “prioridade” da crise económica causada pela covid-19 são, segundo o líder francês, os jovens. Assim, Macron anunciou que as empresas vão ser incentivadas a assinar contratos com os jovens que saem do ensino profissional em vez de estágios, a criação de 100 mil novos postos no serviço cívico e ainda a exoneração de encargos sociais para os jovens com salários até 1,6 vezes o salário mínimo.

O Presidente assegurou ainda que os impostos não vão ser aumentados, que um novo dispositivo vai ser criado para acompanhar a atividade parcial de longa duração de forma a permitir aos franceses manterem os seus postos de trabalho e ainda a “moderação da distribuição de dividendos” nas empresas ajudadas pelo Estado.

Macron também revelou que o uso de máscara vai passar a ser obrigatório em França. “Temos sinais de que o vírus está a ganhar novamente um pouco de força e é preciso prevenir e preparar. […] Logo, temos de continuar a aplicar os gestos barreira e aí temos algumas fraquezas. Nas próximas semanas vamos tornar obrigatório o uso de máscara em todos os lugares públicos fechados”, disse o Presidente, acrescentando que a medida entra em vigor a partir de 1 de agosto.

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.