Farmácias vão abrir mais vagas para testes gratuitos esta semana

1

Derek Caiden / Flickr

As farmácias têm estado dependentes da desistência para conseguir dar resposta a novos pedidos para marcação de testes rápidos de antigénio gratuitos. A presidente da Associação Nacional das Farmácias garante, contudo, que mais estabelecimentos vão aderir ao programa e que serão disponibilizadas mais vagas.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Marcar um teste rápido à covid-19 esta semana ou na semana do Ano Novo tem-se revelado uma verdadeira dor de cabeça, devido à procura acentuada nesta época festiva.

Em declarações ao jornal Público, Ema Paulino, presidente da Associação Nacional das Farmácias, deu garantias de que mais farmácias vão aderir, nos próximos dias, a este programa e que serão disponibilizadas mais vagas para o efeito.

“Algumas farmácias só agora vão abrir marcações para o Natal e o final do ano. Há ainda várias que estão a funcionar em regime de ‘casa aberta‘, por ordem de chegada, e há outras que, como começaram a testagem mais cedo, abriram logo todas as vagas, e vão tentar disponibilizar mais. É uma questão de as pessoas irem perguntando, irem interagindo com as suas farmácias”, aconselhou a responsável.

Segundo o site do Infarmed, que disponibiliza a lista das farmácias e dos laboratórios de análises e postos de colheita que aderiram ao protocolo com o Serviço Nacional de Saúde (SNS), havia 963 farmácias a realizar este tipo de testes este domingo.

A expectativa da maior associação do setor é que, esta semana, entrem mais no programa, ascendendo no total a “1400 a 1450“, referiu Ema Paulino.

Este tipo de testes é obrigatório apenas em determinadas circunstâncias – como para jantares de Natal e de Ano Novo, visitas a familiares que estão hospitalizados ou institucionalizados – e são comparticipados quatro testes por mês, por pessoa.

“Se se trata apenas de um jantar familiar, é suficiente fazer um auto-teste. É preciso sensibilizar a população para esta questão, de forma a que nenhuma pessoa que precise mesmo fique sem vaga”, recomendou Ema Paulino.

Quanto aos auto-testes, estes também têm escasseado nas farmácias, porque “o abastecimento não tem sido regular e as entregas são faseadas, mas vão chegando e não há uma rutura total“.

O Governo voltou a comparticipar a realização de testes TRAg, uma medida que abrange toda a população e e que se estende até 31 de dezembro.

Na passada sexta-feira, a ministra Marta Temido revelou que o Governo tem intenções de aumentar o número de testes gratuitos por pessoa, que está agora fixado em quatro por mês. A medida poderá entrar em vigor já esta semana.

  ZAP //

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.