Tenista avisa durante jogo: “Estou infectado pelo coronavírus”

8

Bernard Tomic pagará um jantar se não apresentar teste positivo. João Sousa venceu, João Domingues perdeu, Nuno Borges impedido de entrar a poucos minutos do jogo.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

João Sousa, João Domingues e Nuno Borges tiveram desfechos bem diferentes na qualificação para o quadro principal do Open da Austrália em ténis.

O único português a vencer foi João Sousa, que não teve muitas dificuldades para superar Manuel Guinard, derrotando o francês em apenas dois parciais: 6-3 e 6-2.

João Domingues não conseguiu ultrapassar o indiano Yuki Bhambri, com um resultado semelhante: 6-4 e 6-2.

O caso anormal foi o de Nuno Borges. O tenista iria defrontar o belga Ruben Bemelmans mas, poucos minutos antes de entrar no campo, soube que não iria jogar: apresentou um teste positivo contra a COVID-19. Assim, ficou fora do torneio, enquanto Bemelmans defrontou o “substituto” Andrea Vavassori e perdeu, também sendo afastado do evento australiano.

“Pago-te um jantar se não tiver teste positivo”

O episódio mais insólito desta ronda de qualificação aconteceu no duelo entre Bernard Tomic e Roman Safiullin. Mas não foi por causa do resultado (o russo Safiullin ganhou por 6-1 e 6-4).

Durante uma pausa, no início do segundo parcial, Tomic – depois de ser visível que não se sentia bem – comentou com um juiz de linha: “Garanto-te que, daqui a dois dias, vou apresentar um teste positivo”.

“Pago-te um jantar se não apresentar um teste positivo daqui a três dias. Caso contrário, és tu quem me paga um jantar”, continuou o tenista da casa, antes de deixar críticas à organização do torneio.

“Não acredito que ninguém esteja a ser testado. Estão a permitir que tenistas joguem depois de fazerem um teste rápido no balneário. Então? Não há testes oficiais PCR?

Tomic, apesar de não estar muito bem, continuou a jogar mas perdeu o segundo parcial e foi eliminado.

Mais tarde, o próprio tenista indicou que se sente “mesmo doente” e que recebeu indicação de isolamento por parte dos médicos.

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

8 Comments

    • LOL, já existem países a sair da loucura do covid e preparar para que se trate como uma gripe,
      Isso de coisa muito séria era antes da existir uma vacina e também porque a sociedade achou que éramos imortais e que só se morria por COVID
      Hoje já começam a perceber que por dia morrem 350 pessoas e que apenas uma pequena % é de covid…

      Vamos lá ver, não acho que devemos ir para o autocarro quando estamos infectados, mas também não embarco na loucura que se nos infectamos morremos, e muito menos com a vacina…

      Agora porque raio deviam eles ser expulsos por brincarem com a situação!!!
      A democracia chegou até si e parou !

        • Está notícia não é sobre o Djokovic, mas sim sobre o Tomic

          Podemos discutir a situação do Djokovic e como a federação deveria intervir, sendo que a vacina não é obrigatória a nível universal e apenas alguns países a tem como obrigatória,.
          Nem a Austrália ou a federação a tem como obrigatória, por isso não permitir a entrada é uma medida ilegal (assim declarou um tribunal australiano), de todas as formas esta notícia não tem nada a ver com isso.

          • Por acaso diz-lhe esta noticia dentro do texto? . . .

            . . . “O tenista sérvio Novak Djokovic reconheceu que foram cometidas falhas no preenchimento dos documentos para entrar na Austrália e que agiu mal ao dar uma entrevista a um jornalista quando já testara positivo à covid-19…”
            Das duas uma, ou não sei ler, mas de BUROO não sou.

        • Mais quais falsas declarações, tu, tal como é hábito, estás a delirar.
          Ele diz que acha que está infectado e vai fazer um teste e o outro brinca e aposta almoço no resultado do teste.

          Mas desde quando isto é motivo para expulsão!!!!

          A vossa democracia tem alguns rasgos de ditadura ou o vosso cérebro alguns rasgos de estu,,,,

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.