//

Com Florença deserta, as estátuas centenárias “falaram” aos humanos

A cidade de Florença, em Itália, está completamente deserta devido à pandemia de covid-19. Num vídeo, as esculturas centenárias viram, pela primeira vez, a cidade vazia e “falaram”, elogiando a sua beleza.

O vídeo, patrocinado pelo conselho da cidade de Florença, entre outras instituições, é intitulado “Para os humanos, de Florença”. A ideia do estúdio Riprese Firenze era narrar a cidade vazia através da nostalgia causada pelas estátuas, sozinha nas praças, ruas e pontes da capital da Toscana devido à ausência de turistas e locais.

“Que estranho este silêncio, eu não o percebia há anos, as ruas desertas, as cortinas caídas. Nunca teria pensado em dizer algo assim, mas sinto falta daqueles homenzinhos frágeis”, admitem tristemente as esculturas no início das filmagens.

A escultura de Filippo Brunelleschi recorda os turistas que, antes da crise dos coronavírus, admiravam a cidade do alto da imponente cúpula que criaram para a catedral há exatamente seis séculos.

As estátuas na Plaza de la Signoria central também expressam a sua descrença, como a réplica de David de Michelangelo, o Perseus de bronze que triunfantemente segura a cabeça da Górgona Medusa ou Neptuno e os seus tritões que coroam sua fonte.

O busto do artista Benvenuto Cellini aguarda da Ponte Vecchio o retorno dos amantes e o Grão-Duque Ferdinando I, no seu cavalo, confessa que sente falta das crianças que contam as abelhas que decoram o seu pedestal.

Dante Alighieri recomenda ler poesia e refletir sobre o amor durante o confinamento, porque, segudo ele, quando as pessoas voltarem a andar pelas ruas históricas de Florença, as suas estátuas e a sua imensa herança cultural continuarão lá à espera.

O diretor do vídeo, Matteo Gazzarri, explicou, de acordo com o jornal espanhol ABC, que a sua intenção era “construir uma história para mudar” e aproximar a cidade de todo o mundo neste momento de pandemia.

Florença, cujo centro histórico é património da UNESCO desde 1982, é, na sua opinião, “para todos, florentinos de nascimento ou adoção, tuscanos, italianos e estrangeiros”.

O vídeo despede-se com um desejo: “Veremo-nos em breve”, quando a normalidade começar a estabelecer-se em Itália, um país especialmente atingido pelo coronavírus, com mais de 200 mil infeções e mais de 27 mil mortos.

  ZAP //

 

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.