/

Confinamento pode levar ao nascimento de mais 214 mil bebés nas Filipinas

As restrições impostas durante a pandemia de covid-19 podem levar ao nascimento de mais 214 mil bebés nas Filipinas. Em 2021, podem então nascer 1,9 milhões de crianças no país.

Os serviços de planeamento familiar nas Filipinas estão praticamente interrompidos devido ao confinamento derivado da pandemia de covid-19. Como tal, as circunstâncias podem levar ao maior baby boom do país dos últimos 20 anos, com o nascimento de mais 214 mil bebés.

Os profissionais de saúde filipinos alertam que, com as restrições do confinamento, o fornecimento de preservativos e outros métodos contracetivos tem falhado em algumas zonas do país. De acordo com o The Guardian, embora os membros da Organização de Planeamento Familiar das Filipinas tenham continuado a trabalhar durante o confinamento, o seu trabalho foi severamente afetado.

As Filipinas registam mais de 35.400 casos confirmados e 1.244 mortes devido ao novo coronavírus. A falta de planeamento familiar faz-se sentir mais nas regiões mais afastadas da capital, nomeadamente em zonas rurais.

Em resposta, a Organização de Planeamento Familiar das Filipinas está a incentivar as mulheres a tomar anticoncecionais de ação prolongada. Além disso, estão a distribuir uma quantidade maior no caso de o confinamento voltar a impedir a saída às ruas.

“Mas o problema com isso é que estamos com falta de abastecimento agora“, disse o diretor executivo da Organização de Planeamento Familiar das Filipinas, Nandy Senoc. “Os serviços de saúde reprodutiva não são considerados prioritários na resposta do Governo”.

As estimativas apontam para o nascimento de mais 214 mil bebés no próximo ano devido a gravidezes não planeadas causadas pela pandemia. Isto significa que, em 2021, podem nascer 1,9 milhões de bebés nas Filipinas.

“As mulheres aqui preferem os contracetivos injetáveis, que as protegem por três meses. Muitas dos que deveriam receber novas injeções em abril, durante o confinamento, só vieram a nós este mês”, disse a médica filipina Rocelle Casilla em declarações ao diário britânico. “Estar confinado em casa e não poder sair, isso afeta muitas coisas, em termos de tomada de decisão das mulheres”.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.