Concelho de Portalegre registou o seu primeiro caso (e revela “segredo” para combater pandemia)

Fotomovimiento

Um comportamento recatado e os habitantes sempre alerta com “o bicho” são apontados como os “segredos” que têm “protegido” Fronteira (Portalegre) da covid-19, que só esta semana registou o primeiro infetado desde o início da pandemia.

O único caso existente naquele concelho do distrito de Portalegre foi detetado na quarta-feira a uma jovem do concelho, mas que estuda em Évora.

Maria de Jesus é proprietária de um café no largo do município e, em declarações à agência Lusa, explicou que as pessoas que residem naquela vila alentejana estão “mais preocupadas” com a evolução da pandemia, não existindo movimento nas ruas e no comércio ao final do dia.

“As pessoas estão mais preocupadas, sente-se e vê-se de manhã, à hora de almoço e depois, para o lado da tarde, as pessoas deixam de aparecer, estão mais resguardadas“, disse.

Para a comerciante, o “segredo” do reduzido número de casos no concelho passa pelo pouco movimento existente e pelas “precauções” tomadas pelos habitantes.

“Não há muito movimento, mesmo no verão não houve aquele movimento que havia com as festas do verão, vários eventos que havia e não houve, e também acho que isso contribuiu para não haver casos”, acrescentou.

Já no centro da vila, António Ferreira, que também dirige um café, revela à Lusa que a população vai fazendo uma “vida normal”, tentando cumprir com as regras que os “comandantes disto” vão indicando.

O comerciante, que não se “queixa” da falta de clientes como sucedeu na “anterior crise financeira” alerta, no entanto, que este “bicho” [covid-19] impõe “um bocado respeito” e que “estamos a brincar com a morte”, perante um “inimigo invisível” que “mudou” o mundo.

O concelho de Fronteira tem cerca de três mil habitantes, a maioria da população é envelhecida e no lar da Santa Casa da Misericórdia todos os cuidados são poucos para que o “bicho” não entre naquele espaço.

“O que nós temos feito tem sido, ao fim e ao cabo, o que todas as outras instituições também fizeram: limitámos o acesso dos fornecedores, os nossos colaboradores têm sido estimáveis na colaboração, de eles próprios se prevenirem e evitarem os contágios, e isso julgo que é o fundamental. Quem trabalha com os idosos tenha o máximo de cuidado na sua vida social para que não transporte o vírus para dentro do lar”, explicou à Lusa o provedor da Santa Casa da Misericórdia de Fronteira, Jaime Teles.

O responsável, que enalteceu a ação do município logo no início da pandemia, com a distribuição de equipamentos individuais de proteção e a colaboração que tem existido ao longo dos tempos entre as diversas entidades no combate ao vírus, relatou ainda que, no interior da instituição, com 70 utentes, o ambiente é “tranquilo”.

“Os lares hoje cada vez mais têm pessoas mais dependentes e algumas com algumas dificuldades já cognitivas, mas aqueles mais conscientes estão bem, nós temos tentado levar-lhes atividades com animação sociocultural para que se sintam bem e, portanto, o ambiente é tranquilo”, disse.

Jaime Telles explicou ainda que as visitas dos familiares e amigos aos utentes são efetuadas no exterior, permanecendo os visitantes num alpendre e os utentes “atrás de uma janela”.

Em declarações à Lusa, o presidente da Câmara de Fronteira, Rogério Silva, elogia o comportamento da população que desde o início e de forma célere “conseguiu assimilar” todo este problema, tendo sido “sensível” no acolhimento das recomendações que eram indicadas pelas autoridades.

Este comportamento, segundo o autarca, obteve resultados que “acabam por ter expressão”, uma vez que passados vários meses desde o início da pandemia só agora surgiu o primeiro caso naquela comunidade.

Eu creio que não há um segredo maior. Aquilo que nós fomos aprendendo ao longo do tempo é que é importante comunicar, é importante sensibilizar, é importante reforçar essa sensibilização, mas eu, sinceramente, aquilo que eu entendo e os resultados até agora de toda esta situação deve-se, essencialmente, ao comportamento de cada um de nós e, felizmente, a população de Fronteira tem assumido esse comportamento”, acrescentou.

Rogério Silva sublinha ainda que tem observado um “recato maior” por parte da população, que está a “combater um inimigo invisível” e que “conhece mal”.

Por último, o autarca apontou como um dos “segredos” para o reduzido número de casos no concelho a gestão efetuada pelo município neste processo, tendo a mesma passado pelo “grande contacto e a grande proximidade”, bem como pela “troca de informação” com as instituições de solidariedade social, bombeiros, agrupamento de escolas, forças de segurança e autoridades de saúde.

“Mantivemos sempre um contacto muito próximo e esse contacto muito próximo acabou por ter efeitos”, concluiu.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Árbitros afastados após os penáltis mais insólitos de sempre

Nani aparece no meio da história mais louca do futebol, no que diz respeito a grandes penalidades. Tudo começou com uns centímetros. Equipa de Nani celebrou o apuramento três vezes - só na última é …

Pacientes que estiveram infetados com covid-19 podem ver a sua voz alterada

Cerca de 80% dos pacientes com covid-19 recuperam-se da doença sem necessidade de serem sujeitos a tratamentos hospitalares, de acordo com a OMS. No entanto, um em cada 6 doentes pode desenvolver uma condição grave …

Aliado de Trump considera que acusações de fraude são "embaraço nacional"

O ex-governador do estado norte-americano de Nova Jérsia, apoiante do ainda Presidente dos Estados Unidos, considera que chegou a hora de este assumir a derrota eleitoral. "Tenho sido um apoiante do Presidente, votei nele duas vezes, …

Há uma vila no Equador conhecida por ser "o vale sagrado da longevidade"

Esta vila no sul do Equador ganhou fama, na década de 70, quando a comunidade científica começou a tentar descobrir o porquê de a maioria dos seus habitantes viver mais de 100 anos. De acordo com …

Bicicleta que fazia parte de obra de arte de Banksy desapareceu (e já se sabe porquê)

O mistério do desaparecimento de uma bicicleta sem uma roda que fazia parte de uma obra de arte do anónimo artista de rua britânico Banksy foi finalmente revelada. Uma bicicleta, que estava acorrentada do lado de …

Abusos sexuais, casamentos forçados e gravidez indesejada: o que piorou em África com a pandemia

Os efeitos da atual pandemia causada pelo covid-19 afetam a população de forma desigual e as pessoas que se encontram nas interseções de diferentes desigualdades (género, pobreza, etnia ou orientação sexual) são as mais afetadas. Este …

Chamadas de valor acrescentado no apoio ao cliente acabam no próximo ano

Os deputados aprovaram, esta segunda-feira, uma proposta do PAN que impede a utilização de linhas de valor acrescentado como única forma de contacto entre os consumidores e as empresas prestadoras de serviços, nomeadamente de contratos …

"Intrigante e preocupante". Portugal abusa de terapias agressivas em doentes com cancro

O nosso país tem "uma elevada prevalência de agressividade terapêutica em fim de vida para doentes oncológicos". A conclusão é de uma investigação levada ao cabo durante 6 anos e envolvendo um total de 92 …

Rei de Espanha em quarentena após ter estado em contacto com infetado

O Rei de Espanha iniciou uma quarentena de dez dias, depois de saber que esteve em contacto com uma pessoa infetada com o novo coronavírus. De acordo com o jornal El País, que cita a Casa Real, …

Estudo europeu releva que carros híbridos são “desastre ambiental”

Um estudo europeu chamou aos carros híbridos plug-in um "desastre ambiental" - as emissões de dióxido de carbono destes carros encontrar-se-ão acima do legalmente declarado e a associação ambientalista Zero pede o fim dos benefícios …