Espanha vai registar pessoas que não querem ser vacinadas (e partilhar lista com países europeus)

O registo das pessoas que se recusam a receber a vacina contra a covid-19 será partilhado com outros países europeus, mas não será divulgado publicamente.

Numa entrevista ao canal de televisão La Sexta, Salvador Illa, ministro da Saúde espanhol, anunciou que as autoridades vão manter um registo de pessoas que se recusam a ser vacinadas contra a covid-19.

A lista será partilhada com outros países europeus, mas o governante adiantou que não será divulgada publicamente.

Em Espanha, a vacinação não será obrigatória. No caso das pessoas que não querem ser vacinadas, o que vai ser feito “é um registo que será partilhado com outros países europeus”, disse o ministro, especificando que se referia “às pessoas a quem for proposto (ser vacinado) e que, simplesmente, se recusem“.

“Este não é um documento que se vai tornar público”, garantiu, acrescentando que o arquivo será elaborado “com o maior respeito pela proteção de dados”.

O instituto público de demografia realizou recentemente um inquérito que mostra que 28% da população espanhola é contra a vacinação imediata. Ainda assim, 40,5% admitem estar dispostos a receber já a vacina e 16,2% contam fazê-lo se o medicamento for “seguro”.

As autoridades de saúde indicaram, esta segunda-feira, que o país ultrapassou as 50 mil mortes por covid-19, ao somar 298 óbitos desde 24 de dezembro, enquanto a incidência acumulada nos últimos 14 dias desceu para 246,9 por cada 100 mil habitantes, revelou esta segunda-feira o Ministério da Saúde.

Além da subida para 50.122 mortes desde o início da pandemia, Espanha registou também 24.462 novos casos, de acordo com os dados dos últimos dias reportados pelas comunidades autónomas, tendo ultrapassado os 1,8 milhões de casos de contágio.

Liliana Malainho, ZAP // Lusa

PARTILHAR

18 COMENTÁRIOS

    • O objectivo é que essas pessoas que não querem ser vacinadas depois têm de arcar com as consequências… (por exemplo: se ficarem doentes pagam o tratamento do bolso delas)

      • Ora nem mais. Não é como este governo português que depois vai pagar essas despesas com o dinheiro dos contribuintes. Esta corja anda completamente à deriva. Por isso é que o volume de impostos está a um nível elevadíssimo e não se vislumbra que com estes canalhas venha a descer.

    • Parece que viveste debaixo de uma rocha 1 ano… O que se passa é que uma boa parte da população se recusa a se vacinar e é contra as medidas de prevenção mais básicas como usar uma máscara ou desinfectar as mãos. Espero que façam o mesmo cá.

  1. Com 80% de assintomáticos, 15% para quem é como uma gripe e apenas 2.5% de mortos dos quais 95% tambem morreriam de outras doenças pois são velhos, cardiacos, doentes respiratórios, renais, etc. Não me parece que para para o suposto bem comum a existencia de uma vacina faça alguma diferença real e muito menos obrigar os assintomaticos a toma-la.

    Vivemos um ano em que a cobardice dos politicos se juntou á ignorancia do povo pouco instruido, pouco inquisitivo e facilmente manipulavel.

    Vou repetir:
    80% Assintomaticos
    15% Como uma gripe
    2.5% precisam de suporte de vida mas nao se sabe se o protocolo é o mais correcto nem se ha alguma droga que possa evitar a inflamação dos pulmoes, provavelmente há.
    2.5% morrem porque já eram velhos e doentes. Já morreriam com uma das gripes beras que aparecem regularmente.

    Resumindo:
    Foste amedrontado por um medo que nao é real porque o mais provavel é estares entre os 95 em cada 100 para quem isto nao tem quaisquer consequencias e continuas alegremente a defender aqueles que por cobardia te fizeram perder o empregoe te obrigam a ficar em casa sem qualquer justificação racional.

    Parabens!

    • hector balboa, falta saber se destes 95% quais os efeitos colaterais a curto, medio e longo prazo de ter tido o coronavirus no organismo a causar estragos no agora virtualmente imperceptíveis.Tipo fertilidade, sistema cardio-respiratório, rins, figado, cérebro, etc…
      Você já parece saber de tudo e ter certezas de tudo, e com antemão de vários anos e décadas.

      Parabens !

  2. Assim é a vida numa “democracia” gerida pelo PSOE e o Podemos (a esquerda do costume). Em nome da democracia não querem decretar obrigatória a vacina. Mas como são totalitários e catalogar a opinião de cada um para criar ficheiros estilo PIDE ou KGB, toca a registar e DIFUNDIR tal registo.
    Como previa Orwell (um comunista que percebeu tudo antecipadamente) criam um “Grande Irmão” que mantem todos sob vigilância e pune quem tem opinião PRÓPRIA. E viva a democracia das esquerdas, que camuflada vai obrigando a fazer e a pensar o que para eles é “correcto”. Em Espanha esta postura já deu mal no passado, exactamente com os mesmos protagonistas.

  3. A toma da vacina não é obrigatória mas quem se recusar vai integrar uma lista (negra) que será distribuída pela Europa, vá-se lá saber com que fins…
    Se isto não é uma obrigatoriedade encapotada não sei o que será.
    E ainda chamam a isto opção democrática.
    Como disse Saramago, o grande problema do nosso sistema democrático é que permite fazer coisas nada democráticas democraticamente.

  4. Registar quem não ser vacinado e partilhar a lista viola todas as leis Europeias relacionadas com bases de dados. Espanha pode fazê-lo se os cidadãos aceitarem.

    Eu não vou tomar nenhuma vacina experimental quando tenho muitas alergias e a probabilidade de reações alérgicas às vacinas estão provadas existirem e serem muito graves em muitos casos. Além de que a melhor vacina ser apenas eficaz em cerca de 90% da população total (e 95% de grupos específicos) – a performance da vacina é menor do que a percentagem mundial até agora infetada com o vírus (supondo que a grande maioria terá sido exposta ao vírus dado que a grande maioria das pessoas expostas por quantidade de tempo limitada não são infectadas).

RESPONDER

Os novos robôs da Samsung fazem pequenas tarefas domésticas (e ainda lhe servem um copo de vinho)

O Samsung Galaxy S21 não é a única surpresa que a empresa tem preparada para 2021. A Samsung apresentou algumas propostas de robôs domésticos, na primeira grande feira de tecnologia do ano. A Samsung levantou um …

Cientistas desenvolveram mini-cérebros (quase) humanos

Cientistas norte-americanos enviaram para a Estação Espacial Internacional (EEI) aglomerados de células nervosas, chamadas de mini-cérebros, que estão, agora, a desenvolver-se de formas que os investigadores não imaginavam ser possível. Os organóides foram criados a partir …

Um medicamento comum utilizado para tratar a diarreia pode ajudar a combater células cancerígenas agressivas

Um fármaco comum prescrito para tratar a diarreia pode ajudar a combater um tipo agressivo de cancro cerebral (glioblastoma), sugere uma nova investigação levada a cabo pela Universidade de Frankfurt, na Alemanha. Em causa está …

"Bola de fogo" cruzou o céu sobre o Mediterrâneo a 105 mil quilómetros por hora

Uma "bola de fogo" atravessou o mar Mediterrâneo e o norte de Marrocos na noite de quarta-feira, a 105.000 quilómetros por hora. A bola de fogo foi observada por um projeto científico espanhol a uma velocidade …

Duterte rejeita que a filha o vá suceder na liderança das Filipinas. "Isto não é para mulheres"

O líder das Filipinas, Rodrigo Duterte, descartou, na quarta-feira, a hipótese de a filha o vir a suceder no próximo ano, acrescentando que a presidência não é tarefa para uma mulher por causa das …

"Uma memória a flutuar no oceano." Encontrada, dois anos depois, uma mensagem numa garrafa

Uma mensagem no interior de uma garrafa sobreviveu a uma viagem de dois anos pelo oceano. Recentemente, chegou às mãos de um ativista ecológico, enquanto limpava uma praia da Papua Nova Guiné. Em novembro do ano …

As células imortais de Henrietta Lacks revolucionaram a Ciência

O ano de 1951 foi muito importante no campo da biotecnologia e, surpreendentemente, tudo começou com a chegada de Henrietta Lacks a um hospital norte-americano. Descendente de escravos, Loretta Pleasant nasceu a 1 de agosto de …

Humanidade não será capaz de controlar máquinas superinteligentes, avisam cientistas

Uma equipa de investigadores do Instituto Max Planck para o Desenvolvimento Humano sugere que seria impossível controlar máquinas superinteligentes. A tecnologia de Inteligência Artificial (IA) continua a evoluir de vento em popa, enquanto alguns cientistas e …

Em 1950, a vacinação em massa salvou a Escócia

Em 1950, Glasgow, na Escócia, viu-se a braços com um surto de varíola e o cenário era muito semelhante ao que vivemos hoje: as autoridades sanitárias tentavam rastrear todos os contactos de pessoas portadoras do vírus, …

Japonês aluga-se a si próprio "para não fazer nada". E tem milhares de clientes

Um homem japonês que ganha a vida a alugar-se a si próprio “para não fazer nada” atraiu milhares de clientes. O negócio começou em 2018. Por 10.000 ienes (cerca de 79 euros) - mais despesas com …