Itália levou OMS a acreditar que o país tinha capacidade para responder à pandemia de covid-19

Alejandro Garcia / EPA

Menos de três semanas antes de ter sido confirmado o primeiro caso de covid-19 transmitido localmente em Itália, o país terá levado a Organização Mundial da Saúde (OMS) a acreditar que estaria pronto para enfrentar uma pandemia.

De acordo com o jornal britânico The Guardian, os países vinculados ao Regulamento Sanitário Internacional – um tratado para combater a propagação de doenças – têm de apresentar uma auto-avaliação à OMS sobre o seu nível de preparação para uma emergência de saúde pública.

O último relatório italiano foi entregue a 4 de fevereiro do ano passado e garantia que o país estava muito bem preparado para uma emergência, atribuindo nota máxima (5 em 5) à categoria que afirma que o “mecanismo de coordenação de resposta de emergência do setor da saúde e o sistema de gestão de incidentes ligados a um centro nacional de operação de emergência foram testados e atualizados regularmente”.

No entanto, isso não era verdade. Ainda no ano passado, soube-se que Itália não atualizava o plano nacional para fazer face a pandemias desde 2006, o que pode ter contribuído para muito mais mortes na primeira vaga do que seria normal se esses protocolos estivessem em vigor – pelo menos mais 10 mil.

O relatório é, segundo o jornal britânico, essencial para a investigação em curso de procuradores italianos, que procuram perceber os erros que foram cometidos pelas autoridades do país durante a primeira vaga, na sequência de uma ação civil movida pelas famílias das vítimas da covid-19.

A primeira transmissão local de coronavírus em Itália foi confirmada no dia 21 de fevereiro de 2020 na cidade de Codogno, na Lombardia, e dois dias depois ocorreu um surto no hospital da cidade de Alzano Lombardo, em Bergamo.

Conte, que foi interrogado pelos procuradores em junho passado, disse ao The Guardian que, se convocado, estaria disposto a ser interrogado novamente, mas que fez tudo o que podia para gerir uma situação realmente difícil.

Giuseppe Ruocco, atual secretário-geral do Ministério da Saúde e antigo diretor-geral de saúde preventiva (2012-2014), terá confirmado que o plano para a pandemia não era atualizado há 14 anos, o que contraria as diretrizes da OMS.

Numa análise do documento, Pier Paolo Lunelli, um general reformado do exército que investigou o assunto, considerou 60 das 70 respostas fornecidas pelo país “infundadas”.

Segundo Lunelli, que entregou a sua análise ao Ministério Público, o documento é “um castelo de evidências que certifica o [nível de] despreparo com que” o país abordou a covid-19.

“Mentimos aos cidadãos italianos, alegando que estávamos prontos”, acrescentou Lunelli. “Pior ainda, tentamos enganar a OMS, a UE e os países europeus ‘providentes’, declarando possuir capacidades que, à luz dos factos, não tínhamos”, concluiu.

Até ao momento, Itália acumula perto de 96 mil mortes por complicações associadas à covid-19. De acordo com a plataforma Our World in Data, que se baseia em dados oficiais, estão em causa 1.587 mortes por cada milhão de pessoas, o que coloca o país no quinto lugar deste ranking.

Sofia Teixeira Santos Sofia Teixeira Santos, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Polícia Judiciária ajudou a evitar dois ataques em França

As informações partilhadas pela Polícia Judiciária (PJ) com a Europol foram cruciais para alcançar a detenção do jihadista marroquino que viveu em Portugal. Hicham El-Hanafi foi condenado a 30 anos de prisão em França, na semana …

Duque de Edimburgo foi transferido para outro hospital

O Palácio de Buckingham anunciou esta segunda-feira que o príncipe Filipe, marido da rainha do Reino Unido, Isabel II, foi transferido para outro hospital de Londres para continuar o tratamento de uma infeção. O Palácio disse …

Presidência da UE. Governo trabalha para encontro com Biden durante "semestre português"

A presidência portuguesa do Conselho da União Europeia quer um encontro com o Presidente Joe Biden ainda durante o primeiro semestre. A presidência portuguesa do Conselho da União Europeia (UE) está a trabalhar na realização de …

Vacina da Pfizer. Intervalo entre doses aumenta para 28 dias (e lista de prioritários vai incluir pessoas com trissomia-21)

O intervalo entre a toma das duas doses da vacina da Pfizer/BioNtech contra a covid-19 foi alargado de 21 para 28 dias, anunciou esta segunda-feira o secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda …

Caso do avião com cocaína. PJ vai vigiar Aérodromo de Tires 24 horas por dia

A Polícia Judiciária (PJ) vai vigiar as movimentações de aeronaves e passageiros que chegam e saem do Aeródromo de Tires 24 horas por dia. A informação foi adiantada pelo Correio da Manhã, que falou com …

Facebook paga 650 milhões para encerrar litígio sobre vida privada nos EUA

O juiz federal norte-americano James Donato aprovou a indemnização de 650 milhões de dólares (540 milhões de euros) a 1,6 milhões de utilizadores do estado norte-americano do Illinois por parte do Facebook. Este acordo, assinado na …

"Retoma da normalidade". Bruxelas propõe este mês livre-trânsito digital para vacinados e recuperados

A Comissão Europeia vai apresentar este mês uma proposta legislativa para criar um livre-trânsito digital que permita retomar as viagens em altura de pandemia de covid-19, comprovando a vacinação ou a recuperação dos cidadãos. A informação …

Noiva de Khashoggi pede "punição imediata" de Mohammed bin Salman

As declarações da noiva de Jamal Khashoggi surgem depois de as autoridades norte-americanas terem publicado um relatório em que Mohammed bin Salman é acusado de ter ordenado o assassínio do jornalista. Joe Biden está a ser …

Covax permite que países mais pobres comecem a receber a vacina (mas só garante 20% da vacinação)

A Covax visa fornecer vacinas contra a covid-19 a 20% da população de 200 países e territórios que estão incluídos no sistema através de um sistema de financiamento que permite a 92 economias de baixo …

Reino Unido vacinou 20 milhões com 1.ª dose. País deteta casos de variante de Manaus

O ministro da Saúde britânico, Matt Hancock, anunciou no domingo que mais de 20 milhões de pessoas no Reino Unido já receberam a primeira dose da vacina contra covid-19. "Estou absolutamente encantado por informar que mais …