Em Portugal, cinco pessoas morreram após terem vacinação completa. Números não são “preocupantes”

Rungroj Yongrit / EPA

Segundo a Direção-Geral de Saúde, 1.231 pessoas ficaram infetadas com covid-19 já depois de ter concluído o processo de vacinação há 14 dias, 26 delas estão internadas.

A Direção-Geral da Saúde (DGS) reportou a existência de cinco mortes e 26 doentes internados devido à covid-19 entre o grupo de pessoas que já concluíram o processo de vacinação há mais de 14 dias, noticiou a TSF.

No total, 1.231 pessoas ficaram infetadas depois de terem a vacinação contra a covid-19 completa, sendo que 455 doentes têm 80 ou mais anos (37%) e 98 têm entre 70 e 79 anos (8%).

Isto significa que a proporção de pessoas infetadas com o esquema vacinal completo em Portugal é de 0,06%

Em declarações ao Expresso, o investigador Pedro Simas diz que a proporção é baixa e “não é preocupante”.

Já o epidemiologista Nuno Vale recorda que as vacinas não têm uma eficácia de 100%. “Se pensarmos que os melhores resultados das vacinas contra a covid-19 que estão a ser aplicadas andam à volta dos 90%, então isto quer dizer que haverá cerca de 10% de pessoas vacinadas que irão ficar doentes”, partindo do princípio que todas foram expostas ao vírus.

Nos casos de falência vacinal comunicados pela DGS, não se sabe se as infeções ocorreram entre a primeira e a segunda toma ou depois das duas doses. Também não são conhecidas as marcas dos fármacos administrados ou as variantes por trás das infeções.

Das 26 pessoas internadas “com diagnóstico principal por covid-19”, 77% têm mais de 80 anos e 17 estão internadas com “com diagnóstico secundário”.

Ana Isabel Moura, ZAP //

 

 

PARTILHAR

10 COMENTÁRIOS

  1. Copo meio cheio ou meio vazio? Porque não dizer que mais de metade das pessoas infectadas depois da chamada ‘vacina’, que é um tratamento experimental (e em nada se compara com as vacinas normais), tinham menos de 70 anos? Preferem o copo meio cheio…

      • … o JR tem a sua razão.
        “No total, 1.231 pessoas ficaram infetadas depois de terem a vacinação contra a covid-19 completa, sendo que 455 doentes têm 80 ou mais anos (37%) e 98 têm entre 70 e 79 anos (8%).”
        Não querendo patrocinar teorias nem conspirações, penso que o numero a relevar deveria ser o maior, ou seja:
        – 678 doentes (55% mais de metade) dos doentes infectados após a vacinação têm menos de 70 anos.
        Apesar de previsível face por exemplo à pouca eficácia contra as novas estirpes, e mesmo não sabendo se a infecção ocorreu antes do efeito da 2ª dose, parece-me um numero bastante preocupante, que implica reflexão e que continuemos a manter as precauções possíveis (que não afectem o normal funcionamento da sociedade e economia)

        • Penso eu de que… e qual será a quantidade de indivíduos na relaçao de vacinados completos num universo dividido entre estas duas faixas etárias? Essa sim seria uma boa questão. É que querer dar relevância às exceções é um traço dos conspiracionistas. E é o que o jr vem aqui fazer.

          • E atribuir “teoria de conspiração” a tudo o que vai contra a visão dos média, é um traço daqueles “de-que-ninguém-pode-questionar”.

            A questão é, a vacina foi vendida como tendo 80-95% de eficácia (na transmissão) e agora já mudaram a musica que apenas reduz mortalidade.
            E já agora podemos falar de IVERMECTIN? ou é censurável?

  2. Infelizmente continua-se a considerar que, mal se tenha vacinado com a segunda dose, no segundo seguinte, já se está “protegido”. É preciso esperar, pelo menos, duas semanas! Se, entretanto, estiver exposto ao vírus, é bem provavel que fique infetado. De qualquer forma, deveriam saber (quam anda atento a isto, que é uma minoria) a vacina não protege de ficar infetado! Isso já foi dito e reiterado. É mais dificil ser-se infetado mas, quando se é, os sintomas são menores e mais “tratáveis”. É preciso estar-se atento…

    “No total, 1.231 pessoas ficaram infetadas depois de terem a vacinação contra a covid-19 completa”. (…) “Nos casos de falência vacinal comunicados pela DGS, não se sabe se as infeções ocorreram entre a primeira e a segunda toma ou depois das duas doses.” “não se sabe se as infeções ocorreram entre a primeira e a segunda toma ou depois das duas doses.”? Então “No total, 1.231 pessoas ficaram infetadas depois de terem a vacinação contra a covid-19 completa”! Não se sabe se tinha a primeira ou segunda dose mas tinham a vacinação completa? Isso não faz sentido! Ou é alhos ou bogalhos!

    • Tem de procurar no dicionário a definição de “Imunizado”, ser imune.
      E é (era) essa a promessa da vacina.
      80-95% eficácia de imunização, mas você nem nota na mudança da “peruca” dos atores de tão hipnotizado que está.

      • Hipnotizado… Não estou mas se estivesse teria uma melhor desculpa. Assim poderia justificar que não fui capaz de ler um comentário e/ou entende-lo e, claramente, não entendeu o que escrevi. Não só não entende como “justifica” algo (que não entende) com argumentos absolutamente absurdos…
        Não… Não é uma incapacidade de compreensão a sua… É algo de absolutamente abstrato e que não vou tentar “decifrar”. Nem sequer me vou dar ao trabalho para tal.
        Eu pedia-lhe para ler o meu comentário novamente e tentar entende-lo, mas receio que será uma perda de tempo para si. Não se incomode.

RESPONDER

Filho do ex-futebolista Ballack morre em acidente de moto 4 em Tróia

O filho do ex-futebolista alemão, de 18 anos, morreu na madrugada desta quinta-feira num acidente de moto 4 em Tróia, no concelho de Grândola, distrito de Setúbal. De acordo com a TVI24, Emilio Ballack morreu, esta …

Autoagendamento para jovens de 16 e 17 anos termina esta sexta-feira

O autoagendamento exclusivo para os jovens de 16 e 17 anos, para vagas disponíveis no fim-de-semana de 14 e 15 de agosto, termina esta sexta-feira e no sábado volta a estar disponível para os maiores …

Campeãs olímpicas de badminton vão receber casas, vacas e café para o resto da vida

O par de badminton feminino indonésio que ganhou ouro nos Jogos Olímpicos de Tóquio vai receber uma casa, 295 mil euros, mais ainda cinco vacas e café para o resto da vida. O arquipélago indonésio, onde …

Mais 10 mortes e 2581 casos. Morreu uma criança com menos de 10 anos

Portugal registou, esta quinta-feira, mais 10 mortes e 2581 casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 2581 novos …

Bancário do Porto roubou um milhão de euros a clientes para alimentar vício do jogo

O vício em apostas online levaram o gestor de contas da Caixa Geral de Depósitos a desviar verbas para investir no jogo. O arguido é agora acusado de 34 crimes. O caso remonta a 2015 quando …

Bolsonaro diz que só tomará vacina aceite na Europa e nos EUA

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, disse esta quarta-feira que só vai tomar uma vacina contra a covid-19 que lhe permita viajar e voltou a desacreditar a CoronaVac, vacina patrocinada pelo governador de São Paulo, …

Surto com 127 infetados e um morto na Misericórdia de Proença-a-Nova

Um surto de covid-19 detetado na quarta-feira na Santa Casa da Misericórdia de Proença-a-Nova provocou uma morte e regista 127 casos ativos, disse hoje à agência Lusa o presidente da câmara local. Segundo o presidente da …

Não é só Cuomo. Já há anos que se proclama "Me Too" pelos corredores políticos dos EUA

O caso do governador de Nova Iorque colocou novamente o problema do assédio em discussão. Mas Cuomo não está sozinho - entre juízes, ex-presidentes ou congressistas, já vários políticos dos EUA foram acusados de má …

Ryanair vai investir 253,4 milhões de euros no aeroporto de Lisboa com reforço da frota

A companhia aérea Ryanair revelou esta quinta-feira que vai investir 300 milhões de dólares (253,4 milhões de euros) no aeroporto de Lisboa, onde irá alocar mais três aeronaves a partir de novembro como parte da …

Responsabilidade por redução da população "é única e exclusivamente dos Governos dos últimos 40 anos"

A responsabilidade pela redução da população “é única e exclusivamente dos Governos portugueses dos últimos 40 anos”, considera o investigador Manuel Villaverde Cabral. “Se há uma coisa que é muito mais importante do que a política …