Alemanha “não opera como a locomotiva da Europa, mas sim como um travão”, diz primeiro-ministro italiano

Presidenza della Repubblica / Wikimedia

Giuseppe Conte, primeiro-ministro de Itália

O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, criticou a forma como alguns países da União Europeia (UE), como a Alemanha e a Holanda, estão a reagir à necessidade de resposta comunitária à crise criada pela pandemia de Covid-19.

Em entrevista ao Suddeutsche Zeitung, citada pela Rádio Renascença, Conte defendeu a emissão de títulos de dívida comum, os “coronabonds”, como a melhor solução para a retoma da economia na UE e como apoio para os países mais necessitados. A Alemanha recusa esta medida.

“A Alemanha tem uma balanço comercial superior ao exigido pelas regras da UE e com este excedente não opera como a locomotiva da Europa, mas sim como um travão da Europa. A UE precisa de utilizar todo o seu poder de fogo, especificamente através da emissão de títulos de dívida comum”, indicou.

Relativamente ao apoio de 500 milhões de euros, aprovado pelo Eurogrupo, canalizado através do Mecanismo Europeu de Estabilidade, Conte apontou os “sacríficios inaceitáveis que foram pedidos aos gregos, na última crise financeira, para obterem créditos”.

A posição da Holanda, que “com o seu ‘dumpling’ fiscal atrai milhares de multinacionais, que para lá transferem as próprias sedes, e obtém fluxo massivo de receitas tributárias, roubadas a outros parceiros da União”, foi também apontada por Conte, que frisou que o país beneficia dos parceiros comunitários, mas retrai-se quando têm que retribuir.

“É indiscutível: deixaram a Itália sozinha. A desconfiança dos italianos da UE nasce no facto de nos termos sentido abandonados por países que tiram grandes vantagens de estar na União”, apontou ainda.

Por sua vez, a presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen, reconheceu que “muitos não agiram a tempo quando Itália mais precisou, no início”. Um gesto apreciado pelo chefe de Governo italiano que espera a Europa acabe por “dar uma resposta”. “Estamos a viver o maior choque desde a II Guerra Mundial”, disse.

A Itália é dos países mais afetados pela Covid-19, registando o maior número de óbitos até à data: 23.660 mortos. É também o terceiro com mais casos (178.972).

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

"Nenhuma era apenas um número". NYT dedica toda a primeira página a mil vítimas da pandemia

Mil nomes de pessoas numa primeira página. O jornal norte-americano The New York Times dedicou a primeira página da edição deste domingo a mil vítimas mortais da pandemia de covid-19, para assinalar a iminente passagem …

A economia é a vítima colateral da estratégia singular da Suécia

A Suécia deixou nas mãos dos cidadãos a responsabilidade pela sua saúde e a abordagem relaxada do país em relação à pandemia de covid-19 trouxe resultados negativos. O Governo sueco não impôs um confinamento à população …

Polícia de Hong Kong detém 180 manifestantes. E elogia lei da segurança nacional

A polícia de Hong Kong elogiou a lei da segurança nacional chinesa, horas depois de ter detido pelo menos 180 manifestantes que protestaram, este domingo, contra a legislação anunciada por Pequim. O comissário da polícia, Tang Ping-keung, …

Pinto da Costa recandidata-se a "pensar nas dificuldades do presente"

Pinto da Costa admitiu, este domingo, no lançamento do site oficial da recandidatura à presidência do FC Porto, que vai a eleições "a pensar nas dificuldades tremendas do presente". No site oficial da sua candidatura, Pinto …

Abraços e apertos de mão. Bolsonaro junta-se a manifestação sem distanciamento social

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, participou, este domingo, em mais uma manifestação sem respeitar as regras de distanciamento social. A manifestação decorrer na Praça dos Três Poderes, em Brasília. De acordo com o jornal Público, …

"Relativamente rápido". Centeno acredita que países europeus vão recuperar da crise até ao fim de 2022

O ministro das Finanças português e presidente do Eurogrupo, Mário Centeno, acredita que a União Europeia vai conseguir ultrapassar a crise económica provocada pela pandemia de covid-19 de forma "relativamente rápida". Em entrevista ao jornal alemão …

Florentino congelado e Jota (e mais dois) na porta de saída. Mercado já mexe na Luz

Apesar da pandemia, que paralisou quase todas as competições europeias e que deverá atrasar a janela de transferência no futebol, o mercado já mexe na Luz. A imprensa desportiva dá conta nesta segunda-feira que Florentino …

Cova da Piedade abandona direção da Liga e convida Proença a demitir-se

O Cova da Piedade juntou-se ao Benfica na decisão de abandonar a direção da Liga de clubes e convidou Pedro Proença a demitir-se da presidência do organismo. Em comunicado, o Cova da Piedade justifica a decisão …

Milhares foram a banhos este domingo. Só nas praias da Caparica estiveram mais de 180 mil pessoas

As elevadas temperaturas que se fizeram sentir neste domingo levaram milhares de portugueses à praias. Só na Costa da Caparica, no concelho de Almada, mais de 180 mil pessoas foram a banhos. Entre as 9 e …

"Há outras prioridades". Ana Gomes está a refletir sem "pressa" sobre eventual candidatura a Belém

No espaço de comentário da SIC Notícias, a ex-eurodeputada Ana Gomes disse que ainda está a "refletir" sobre uma eventual candidatura à Presidência da República. Ana Gomes ainda não tomou uma decisão sobre uma possível candidatura …