/

Turquia “a perder o controlo”. Número real de casos pode ser 10 vezes superior ao admitido pelo Governo

1

Erdem Sahin / EPA

A Turquia tem registado cerca de 1.260 novos casos diários e 20 óbitos por dia nas últimas duas semanas. No entanto, os números reais podem ser 10 vezes superiores.

O número de casos na Turquia tem aumentado nas últimas semanas, principalmente no sudente do país e na capital, Ancara. Porém, de acordo com o semanário Expresso, muitos desconfiam dos números divulgados pelo Governo.

O ministério está a esconder os dados reais. Ao lançar dados falsos, criou-se complacência na sociedade, e as pessoas continuam a sua vida normal, já que não estão a par da extensão real dos surtos”, acusou Yıldız Ok-Orak, líder do Sindicato de Trabalhadores da Saúde (SES) da província de Diyarbakir.

A Associação Médica da Turquia publicou um relatório que sugere que o número de casos pode ser até dez vezes superior aos dados oficiais, já que “muitos pacientes com sintomas covid-19 não são testados”.

O número oficial de novas infeções é o dobro do de recuperados. O Ministério da Saúde diz que a taxa de ocupação dos cuidados intensivos a nível nacional ronda os 65%, mas vários hospitais relatam situações de rutura. Em julho, o ministério da Saúde deixou de publicar o número de pacientes em cuidados intensivos.

Os líderes das associações médicas das províncias de Diyarbakır, Mardin, Van, Urfa, Antep e Batman falam de “unidades de cuidados intensivos ocupadas a 100%”, e de muitos doentes que não podem ser admitidos porque as enfermarias estão cheias.

Alpay Azap, em doenças infeciosas da Faculdade de Medicina da Universidade de Ancara e membro do painel científico de acompanhamento da pandemia a nível nacional, disse que o “vírus está a espalhar-se de forma descontrolada nas últimas semanas”.

Já a Sociedade de Medicina Torácica emitiu um comunicado segundo o qual a Turquia “estava a perder o controlo da pandemia”.

Governo atribui infeções à negligência da população

O Governo da Turquia nega estar a manipular o número de casos divulgado, defendendo que “desde o primeiro dia, a Turquia tem anunciado o número de casos de uma forma transparente”.

O ministro da Saúde, Fahrettin Koca, disse ainda que o aumento das infeções se deve a atos de negligência por parte da população, que não segue as instruções e regras.

A Turquia levantou a maior parte das restrições a 1 de junho, mas o uso da máscara continua a ser obrigatório na rua. Agora, os cidadãos com mais de 65 anos na capital e em nove outras províncias passaram a estar outra vez parcialmente confinados, estando proibidos de ir a mercados, parques, casamentos, funerais e outros locais com frequência pública.

Dezasseis milhões de crianças e jovens vão começar o próximo ano letivo em casa na próxima segunda-feira. O ensino vai manter-se à distância pelo menos até 21 de setembro.

  ZAP //

1 Comment

  1. Lá o maioral anda mais ocupado na promoção do islamismo, vai convertendo igrejas em mesquitas, é mais importante e certamente dará mais votos.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.