/

Mais 20 mortes e 3396 casos de covid-19. Não havia tantos óbitos desde março

2

Portugal registou, este sábado, mais 20 mortes e 3396 casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS).

De acordo com o último boletim da DGS, dos 3396 novos casos, 1286 são na região Norte e 1280 são na região de Lisboa e Vale do Tejo, ou seja, números muito semelhantes. Na região Centro há mais 302 casos, no Algarve 276, no Alentejo 151, nos Açores 72 e 29 na Madeira.

No total, o número de pessoas infetadas pela doença desde o início da pandemia é agora de 950.434. Há, neste momento, 52.782 casos ativos, menos 752 do que na sexta-feira.

O boletim da DGS também indica que se registaram mais 20 mortes nas últimas 24 horas, sendo que 10 ocorreram em Lisboa e Vale do Tejo, sete no Norte, uma no Centro, uma no Alentejo e outra no Algarve. Desde o início da pandemia, Portugal regista 17.284 óbitos associados à doença.

Segundo o jornal online Observador, não havia tantas mortes desde o dia 18 de março, quando se registaram 21 vítimas mortais. Entre as 20 mortes registadas nas últimas 24 horas, 10 são de mulheres com mais de 80 anos e três de homens na mesma faixa etária.

De acordo com o mesmo jornal digital, houve também quatro mortes de homens e de duas mulheres acima dos 70 e uma morte de um homem que tinha entre 50 e 59 anos.

Neste momento, existem 835 doentes internados em Portugal (menos 20 do que ontem), dos quais 181 nos cuidados intensivos, mais três pessoas do que ontem.

O boletim da DGS também aponta para mais 4128 doentes recuperados, verificando-se já um total de 880.368 pessoas. Há ainda 82.924 pessoas em vigilância pelas autoridades de saúde, mais 1073 em relação ao dia de ontem.

Na chamada matriz de risco, Portugal está na zona vermelha. O país tem uma média de 418,3 casos de infeção por 100 mil habitantes e o índice de transmissibilidade (Rt) está nos 1,07.

Esta quinta-feira, depois da reunião do Conselho de Ministros, a ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, anunciou que o número de concelhos em risco elevado e muito elevado aumentou para 55 e 61, respetivamente, num total de 116.

  Filipa Mesquita, ZAP //

2 Comments

  1. Só Covid é que interessa… e quantos morreram por falta de tratamento adiados? E quantos doutras doenças? Tristeza!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.