38 milhões de euros por pagar em propinas

Rodrigo Antunes / Lusa

Aumento de 35% na dívida em instituições de ensino superior. Subida de quase 10 milhões de euros durante os dois anos da pandemia.

Nas instituições de ensino superior há uma dívida de um pouco mais de 38 milhões de euros, em propinas. Um aumento de 35% em relação ao final de 2019.

Os números foram divulgados ao jornal Público por 17 das 29 instituições de ensino superior em Portugal.

Esta subida de praticamente 10 milhões de euros em dois anos está fortemente relacionada com a pandemia, que originou dificuldades económicas em mais casas de estudantes.

Mas este aumento de dívida também está relacionado com uma maior flexibilização dos prazos de liquidação – passou a haver uma maior tolerância por parte das universidades, precisamente por causa da crise económica.

E ainda haverá um outro motivo: o abandono antecipado do ensino superior. A matrícula não é cancelada e, oficialmente, a dívida existe.

O valor “disparou” claramente no Instituto Politécnico de Bragança: há dois anos a dívida era de 657 mil euros e agora é de 1,1 milhões de euros, o que equivale a uma subida de praticamente 70%.

Outras instituições que registaram subidas significativas estão sediadas no Porto e em Coimbra: o as dívidas no Instituto Politécnico do Porto subiram 40% e na Universidade de Coimbra aumentaram quase 30%.

Recentemente a Federação Académica de Lisboa realizou um inquérito e concluiu que mais de 25% dos estudantes – e suas famílias – viram os seus rendimentos serem afectados por causa do coronavírus.

No entanto, os responsáveis pelo Instituto Politécnico de Setúbal consideram que a COVID-19 teve um impacto apenas “ligeiro” nestes números, enquanto o Instituto Politécnico de Lisboa não estabelece uma relação obrigatória entre a pandemia e as dívidas.

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE