Com os casos a aumentar e uma vacinação morosa, a covid-19 levou a melhor sobre a Europa

Homem de Gouveia / Lusa

A Europa, uma das primeiras regiões a ser duramente atingida pelo coronavírus, está a ficar para trás: os casos estão a aumentar e os processos de vacinação são muito demorados.

Em meados de maio do ano passado, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a Europa como o “epicentro” da pandemia. No verão, o continente ainda respirou de alívio, mas depressa os casos voltaram a aumentar.

Agora, a experiência europeia diverge da dos Estados Unidos e Reino Unido, que implementaram programas de vacinação eficazes e veem cair as taxas de novos casos. República Checa, Hungria, Estónia, Eslováquia, Itália, França, Polónia e Suécia encararam aumentos significativos na média de novos casos diários nas últimas semanas.

De acordo com a Time, a implementação lenta – e algo caótica – do plano de vacinação na União Europeia (UE) ameaça manter os países em confinamento, com graves consequências para a economia.

A República Checa viu os casos aumentarem acentuadamente nas últimas semanas e tem as taxas de infeção mais altas da Europa, com cerca de 110 novos casos por dia por 100.000 habitantes na semana passada.

A Estónia também está a braços com um surto, tendo registado cerca de 100 casos diários por 100.000 habitantes na semana passada, em comparação com os 40 registados no início de fevereiro. A Hungria, a Eslováquia, a Sérvia e a Suécia também registaram picos no início de março.

Mas a República Checa é, de longe, o país que mais sofre com a pandemia, que está a causar uma enorme pressão no sistema de saúde pública. No dia 5 de março, o Governo anunciou publicamente que havia pedido à Alemanha, à Suíça e à Polónia para acolher dezenas de pacientes com covid-19, com o objetivo de aliviar a carga nos hospitais.

A Time escreve que a “explicação mais provável” para o aumento de casos é a disseminação de uma nova variante, identificada pela primeira vez no sudeste de Inglaterra em dezembro. Estima-se que a variante, conhecida como B.1.1.7., seja cerca de 50% mais transmissível do que as formas anteriores do SARS-CoV-2.

Na República Checa, a falta de sequenciamento em massa do vírus, especialmente em dezembro e janeiro, significa que os cientistas não conseguiram identificar se e onde a variante B.1.1.7 se espalhou no país, esclareceu Rastislav Madar, chefe do Instituto de Epidemiologia e Saúde Pública na Universidade de Ostrava e ex-assessor do Governo.

Futuro da economia de mãos dadas com a vacinação

A economia da União Europeia contraiu 6,4% no ano passado, de acordo com o Eurostat. Carsten Brzeski, economista da empresa de serviços financeiros globais ING, considera que o futuro da economia depende da velocidade e eficácia da implementação da vacinação.

Com base na trajetória atual, Brzeski estima que a economia da Europa não recuperará os níveis anteriores à crise até ao final de 2022 ou início de 2023. “A Europa está provavelmente um ano atrás dos Estados Unidos.”

Nos EUA, 18,9% das pessoas receberam pelo menos uma dose da vacina e 9,9% foram totalmente vacinadas até 10 de março, segundo a Time. No Reino Unido, 34,2% da população recebeu a primeira dose e 1,9% foi totalmente vacinada até 10 de março, segundo o Politico.

Já a União Europeia administrou a primeira dose da vacina a 7% da população e vacinou totalmente 3,09% até 10 de março.

A aprovação tardia das vacinas, processos burocráticos de aquisição e atrasos na produção são as principais explicações para o processo moroso no bloco, que ficou para trás em comparação com os Estados Unidos e o Reino Unido.

Dentro da UE, o quadro de recuperação económica varia de acordo com o país. Espera-se que a Alemanha e a Holanda atinjam os níveis anteriores à crise no final de 2021 ou no início do próximo ano, mas Espanha, Itália e Grécia, cujas economias dependem fortemente do turismo, provavelmente só irão atingir esse nível no final de 2023.

Liliana Malainho, ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

    • Nós somos um país que sempre soube gerir os efeitos desta pandemia, por isso, só temos novecentos casos por dia, e alguns mortos. 😉 Tudo COOL. 🙂

RESPONDER

Um fantasma pode fazer com que uma pessoa viva adoeça? Os navajos acreditavam que sim

Os nativos americanos acreditavam que a "doença dos fantasmas" fazia com que pessoas que já morreram pudessem fazer com que os vivos ficassem doentes. Esta crença era mais comum entre o povo navajo no passado. Hoje …

Afinal, Messi deverá mesmo ficar no Barcelona

O internacional argentino já terá chegado a acordo com a direção do Barcelona para a renovação do contrato por mais cinco temporadas. De acordo com o jornal Sport, Leonel Messi irá renovar com o Barcelona até …

Profissionais de saúde pedem clarificação das normas de vacinação dos jovens entre os 12 e os 15 anos

Dificuldades na comunicação das diretrizes da Direção Geral de Saúde tem gerado dúvidas às famílias, aos profissionais de saúde e até ao Presidente da República. A polémica em torno da vacinação dos jovens entre os 12 …

"Temos muito a concretizar". Marcelo e Bolsonaro em encontro sem espaço para debater divergências

As posições comuns entre Portugal e o Brasil marcaram a conversa desta segunda-feira entre Marcelo Rebelo de Sousa e Jair Bolsonaro, num encontro sem espaço para discutir divergências ou uma eventual visita do Presidente brasileiro …

Neandertais tinham tipos sanguíneos, tal como os humanos modernos

Um novo estudo indica que os Neandertais, tal como nós, humanos modernos, também podiam ter outros tipos de sangue encontrados no sistema ABO. De acordo com o site EurekAlert!, cientistas analisaram os genomas previamente sequenciados …

Moedas assume: "Tenho de lutar muito nesta fase em Lisboa"

Carlos Moedas, candidato da coligação Novos Tempos à Câmara Municipal de Lisboa, entregou esta segunda-feira as listas dos candidatos aos órgãos autárquicos. O cabeça de lista da coligação Novos Tempos à Câmara de Lisboa, Carlos Moedas, …

Auto-agendamento para jovens de 16 e 17 anos já está disponível

O auto-agendamento da vacina contra a covid-19 para pessoas com 16 ou mais anos ficou hoje de madrugada disponível no site na Internet da Direção-Geral da Saúde. A possibilidade de os jovens a partir dos 16 …

Jacobs, o americano 100% italiano que quase não fala inglês

O atleta mais rápido nos Jogos Olímpicos foi Marcell Jacobs, que nasceu nos Estados Unidos da América mas viveu (quase) sempre em Itália. Lamont Marcell Jacobs Jr. não estava entre os maiores favoritos à conquista da …

Fernando Pimenta conquista medalha de bronze

O canoísta português Fernando Pimenta, que hoje conquistou a medalha de bronze em K1 1.000 metros, admitiu ter cumprido “um dos sonhos”, mas “faltou o outro, de ser campeão olímpico”. Fernando Pimenta, de 31 anos, que …

Afinal, altos níveis de testosterona não resultam em homens mais bem-sucedidos

Anteriormente, vários estudos relacionaram níveis elevados de testosterona ao sucesso socioeconómico. Contudo, uma ligação é diferente de uma causa e uma pesquisa sugere que este fator pode ser menos importante. Ao contrário do que se concluiu …