/

No Chile, dois veterinários estão a ser acusados de administrar vacinas para cães em humanos

Rungroj Yongrit / EPA

Os casos ocorreram em 2020, mas vieram agora a público. Pelo menos 175 pessoas terão recebido a vacina contra um tipo de coronavírus canino.

Em setembro de 2020, quando as vacinas contra a covid-19 ainda não tinham começado a ser administradas, dois veterinários chilenos inocularam mais de 175 pessoas com um fármaco que protege os cães de um outro tipo de coronavírus.

Agora, o caso vem a público, uma vez que os acusados ainda não pagaram as multas a que foram condenados.

Tendo por base um relatório falso que dava conta de tratamentos bem sucedidos com a “vacina óctupla” em humanos, um veterinário da cidade de Calama, no norte do Chile, tomou a substância e começou a administrá-la no seu consultório, avança o jornal espanhol El Mundo.

Segundo a Secretaria de Saúde da região de Antofagasta, a prática acabou por ser replicada por outra veterinária, que terá inoculado ilegalmente pelo menos mais 75 pessoas com o fármaco.

Como noticia o jornal espanhol, a situação foi descoberta em setembro de 2020, quando numa inspeção, os funcionários da clínica veterinária afirmaram que não estariam a usar máscara porque já estavam imunizados contra a covid-19.

A veterinária afirmou, em tribunal, que o seu objetivo nunca foi prejudicar ninguém, colocando-se à disposição para que lhe sejam feitos testes que possam comprovar a eficácia da vacina canina.

O jornal chileno La Tercera avança que a investigação levada a cabo pelas autoridades locais de saúde indica que a maioria das pessoas a quem foi administrado o fármaco terá mesmo tomado as duas doses.

Na sequência dos casos de vacinação com fármacos destinados a animais, o Colégio Veterinário Chileno veio explicar os perigos de vacinar humanos com estas substâncias, afirmando que os tipos de coronavírus que infetam cães e pessoas são muito diferentes.

Os casos foram descobertos no seguimento de uma denúncia feita pelas autoridades de saúde ao Ministério Público chileno.

  ZAP //

 

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.