“É impopular dizer isto, mas o sistema bancário está a ajudar a amortecer” a crise, diz Siza Vieira

António Pedro Santos / Lusa

O ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, e o secretário de Estado do Comércio, Serviços e Defesa do Consumidor, João Torres

O ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, não responsabiliza a banca pela demora nos créditos cedidos às empresas e pela baixa percentagem, prometendo que “nos próximos dias” a tendência será para que comece a chegar mais dinheiro ao tecido empresarial.

“Sei que é impopular dizer isto, que há muitas queixas, mas neste momento o sistema bancário no seu conjunto está a ajudar a amortecer o impacto [da crise], o que não se verificou há 10 anos”, afirmou, em entrevista ao podcast do PS Política com palavra, citado na quinta-feira pelo Expresso.

Siza Vieira reconheceu as dificuldades em vários campos, que podem atrasar os processos. Uma das demoras é na Garantia Mútua (SPGM), a estrutura pública que concede as garantias do Estado para que os bancos possam ceder o crédito. Questionado se o que se passa na SPGM é o mesmo que na Segurança Social, em que a “máquina” teve de se adaptar, o ministro respondeu: “É isso mesmo”.

A SPGM passou de uma avaliação de 200 créditos para 40 mil, numa semana. “Estamos a falar de um nível que vai recuperar nos próximos dias. Nos próximos dias vamos ver o dinheiro a chegar às empresas”, indicou.

O ministro referiu que a banca tem tido um comportamento “bem diferente de há 10 anos”, quando ocorreu a última crise financeira. Admitiu ainda que “foi muito difícil assegurar o fluxo de tratamento dos processos”, uma vez que também tem funcionários em casa.

Siza Vieira declarou ainda que os bancos estão a “permitir amortecer bastante a crise no setor económico” e que “não estava à espera” que a adesão das empresas a estes apoios fosse desta ordem de grandeza.

Para o ministro, a crise poderá ser mais profunda no segundo trimestre, com o mês de abril a ser o pior, mas com o terceiro e quarto trimestre já em crescimento. O Banco do Fomento “vai fazer diferença na fase de retoma”, acrescentou o ministro, frisando que a instituição “vai ter de ir para a frente muito rapidamente”.

Quanto à TAP, questionado se o Estado deverá ficar a mandar na empresa, explicou: “Acho que é inevitável e está a acontecer em todo o lado” onde há entrada de dinheiro público em empresas de aviação. “Onde isso tem acontecido, tem havido um acréscimo do poder de controlo dos Estados sobre as empresas”, reforçou.

“Quem mete dinheiro, obviamente tem de ter uma cautela especial como esse dinheiro está a ser utilizado”, concluiu o ministro, que defende a entrada do Estado no capital de algumas empresas.

Para que tal aconteça, são necessários “instrumentos híbridos ou entrada no capital”, em empresas de “setores estratégicos”, “setores industriais” que “são promissores do ponto de vista da sua capacidade técnica, mercado” como indústria da “metalomecânica, dos plásticas, das biotecnologias, da saúde, do agro-alimentar”.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

É a quantidade de alimento que determina quem se torna a abelha-rainha

Um novo estudo sugere que é a quantidade de alimento, e não a sua qualidade, como se pensava até agora, que determina quem se torna a abelha-rainha. Quais são os fatores que determinam qual é a …

Em Miami e Nova Iorque, os polícias ajoelharam-se por George Floyd

Em Miami e em Nova Iorque, alguns agentes da autoridade juntaram-se aos manifestantes por breves momentos, para mostrar o seu respeito pela memória de George Floyd. Nos Estados Unidos, os protestos pela morte de George Floyd …

A Nova Zelândia está em cima de uma enorme bolha de lava

A Nova Zelândia situa-se no topo dos restos de uma pluma vulcânica gigante. Este processo é o responsável pela atividade vulcânica e desempenha um papel fundamental no funcionamento do nosso planeta. Nos anos 70, vários cientistas …

Petição busca estatuto de vítima para crianças em contexto de violência doméstica

Uma petição lançada na sexta-feria que reivindica a criação do estatuto de vítima para as crianças que vivem em contexto familiar de violência doméstica já foi assinada por mais de 1300 pessoas, entre elas personalidades …

Assimétrica e flutuante. A primeira casa impressa em 3D na República Checa vai "nascer" em 48 horas

A primeira casa impressa em 3D na República Checa vai estar pronta no próximo mês para demonstrar a velocidade e a eficácia de uma técnica de construção que será sete vezes mais rápida e terá …

Anonymous garantem que princesa Diana foi assassinada para abafar caso Epstein

O movimento internacional de ciberativistas Anonymous - ou alguém que alega operar em seu nome - garante que a princesa Diana, que morreu num acidente de viação em agosto de 1997, foi, na verdade, assassinada …

Empresa de mineração pede desculpa por destruir cavernas sagradas aborígenes

A empresa mineira Rio Tinto admitiu que destruiu as cavernas pré-históricas que eram locais de culto para os aborígenes australianos e pediu desculpa. As cavernas de pedra Juukan Gorge 1 e 2 – dois locais de …

Itália exige "respeito": vai abrir fronteiras, mas excluir países que impõem restrições a italianos

Apesar de acredita "no espírito europeu", o ministro dos Negócios Estrangeiros italiano sublinhou que o país está pronto "para fechar as fronteiras" àqueles que não o respeitem. A Itália vai abrir as suas fronteiras internacionais a …

As Forças Armadas sul-africanas não estavam preparadas para um inimigo invisível

A Força de Defesa Nacional da África do Sul não está preparada para combater uma pandemia silenciosa como a da covid-19. Este "inimigo invisível" veio trazer à tona as fragilidades do país. As Forças Armadas da …

Putin convoca referendo sobre alterações constitucionais para 1 de julho

A aprovação da reforma constitucional permitirá ao atual Presidente da Rússia, Vladimir Putin, cumprir mais dois mandatos suplementares a partir de 2024. Vladimir Putin anunciou a data de 1 de julho para o referendo nacional de …