UE já comprou mil milhões de doses de vacinas contra a covid-19. Injeções podem ser dadas antes de março

Para garantir a segurança dos Estados-Membros no combate à pandemia de covid-19, a Comissão Europeia já adquiriu de pelo menos mil milhões de doses de vacinas contra a covid-19.

A Comissão Europeia já assegurou a compra de mais de mil milhões de doses de potenciais vacinas contra a covid-19, abrangendo quatro contratos já fechados e dois ainda em negociação.

Se todas estas vacinas se demonstrassem seguras e eficazes (o que é altamente improvável) as doses encomendadas poderiam dar para vacinar toda a população da União Europeia.

Contudo, pode haver alguns entraves. Pelo menos uma das vacinas experimentais adquiridas por Bruxelas ainda está em fase preliminar de testes e algumas exigem ainda dupla vacinação para terem o efeito desejado, o que corta para metade o seu alcance e distribuição. Para além disso, nenhuma foi, até ao momento, aprovada pelos reguladores.

Num cenário mais negro, em que nenhuma das quatro vacinas se revele eficaz e segura, a UE poderá não ter nenhuma vacina disponível, avança o ECO.

Numa conjuntura mais positiva, o Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças admite que as primeiras injeções possam ser dadas até março. “De uma forma otimista, no primeiro trimestre do próximo ano, mas não posso ser mais preciso”, prevê a diretora do ECDC, Andrea Ammon, em entrevista à “Reuters”.

Apontar uma data certa é, ainda impossível, porque ainda nenhum consórcio terminou a terceira e última fase dos ensaios clínicos, mas há uma esperança para a primavera, avança o JN.

Segundo um balanço feito pelo Infarmed, e somando o novo contrato que foi assinado esta quarta-feira entre a Comissão Europeia e o consórcio Pfizer/BioNTech, Bruxelas já garantiu um potencial de mil milhões de doses de vacinas contra a Covid-19. Juntando a possibilidade de compra adicional de 100 milhões de doses prevista no contrato com esse mesmo consórcio, o número alcança assim um total de 1.100 milhões de doses.

Em causa está a compra de 300 milhões de doses da vacina de vetor viral contratada com o consórcio AstraZeneca e Universidade de Oxford, que está em fase três do ensaio clínico, e da qual se esperam os primeiros resultados mais perto do fim do ano.

Está ainda fechada a compra de 200 milhões de doses da vacina da Johnson & Johnson, que também está na fase três de ensaio clínico, a última antes do pedido de aprovação.

Há ainda um quarto contrato assinado para a compra de 300 milhões de doses da vacina da Sanofi-GSK, que está ainda em fase um e fase dois de ensaio clínico.

Às 1.100 milhões de doses de vacinas poderão juntar-se outras mais em breve. Segundo anunciou a Comissão Europeia, foram já concluídas negociações exploratórias para a compra de doses das vacinas da CureVac e também da Moderna.

Esta semana, o consórcio Pfizer/BioNTech revelou que a sua vacina genética tem “mais de 90%” de eficácia a proteger a Covid-19, passando para a frente da “corrida”.

Esta quarta-feira, a Comissão Europeia anunciou ter fechado a compra de 200 milhões de doses dessa vacina experimental, com a possibilidade de adquirir mais 100 milhões se esta se mostrar verdadeiramente eficaz e segura. No entanto, esta vacina tem de ser administrada em duas doses.

Polémica na Pfizer

O presidente executivo da Pfizer, Albert Bourla, está no centro de uma polémica por causa da venda de ações da empresa no dia em que a farmacêutica anunciou dados positivas contra o novo coronavírus, e que as ações disparam em bolsa.

A venda de 132.508 ações, a 41,94 dólares cada, ascendeu a 5,6 milhões de dólares (cerca de 4,6 milhões de euros), de acordo com a informação enviada à entidade de supervisão do mercado de capitais norte-americano, a Securities and Exchange Commission (SEC). Face à cotação das ações na sessão anterior ao anúncio da novidade (sexta-feira), Bourla ganhou mais 734 mil dólares, cerca de 624 mil euros.

Segundo o mesmo documento, a transação fazia parte de um plano programado, estabelecido pelo CEO, para vender periodicamente algumas ações da Pfizer, detidas no âmbito do seu plano de remunerações. E que essa ordem de venda foi dada pelo CEO da farmacêutica em 19 de Agosto.

Entretanto, o CEO da farmacêutica disse à canal de televisão CNN que só soube do anúncio dos resultados relativos à eficácia da vacina um dia antes de serem tornados públicos.

  ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Parlamento aprova diplomas para alargar gratuitidade das creches e "direito ao esquecimento"

O Parlamento aprovou, esta sexta-feira, um projeto-lei para o alargamento da gratuitidade das creches e de soluções equiparadas e ainda um diploma que consagra o "direito ao esquecimento". A Assembleia da República aprovou um projeto-lei do …

Costa está muito empenhado num acordo pelo OE, mas não "a qualquer preço"

O primeiro-ministro disse, esta sexta-feira, que o Governo vai fazer tudo ao seu alcance para chegar a um acordo sobre o Orçamento do Estado para 2022 (OE2022), mas advertiu que "um acordo não se obtém …

Evergrande escapa por um triz ao default e garante o pagamento de juros de 71.7 milhões de euros

A gigante imobiliária chinesa conseguiu cumprir com o pagamento dos juros no limiar do fim da extensão do prazo. No entanto, persistem os receios sobre a possibilidade da crise na China contagiar a economia mundial. A …

Pessoas a andar na rua em Viena, Áustria

Em caso de apagão geral, Áustria é o primeiro país europeu a ter um Plano B(lackout)

E se houvesse um apagão que afetasse todo o continente europeu? O cenário é o argumento que o Ministério da Defesa austríaco tem usado para enviar um aviso à população desde o início deste mês. A …

Só um terço das empresas em Portugal têm gestores com um curso superior

O estudo da Fundação Francisco Manuel dos Santos refere que este valor é negativo para o país já que a formação superior dos gestores está associada à produtividade e há maior probabilidade da empresa começar …

Governo avança com desconto de 10 cêntimos por litro nos combustíveis para as famílias

O Governo vai criar um desconto de dez cêntimos por litro nos combustíveis para todas as famílias, até 50 litros por mês. Uma medida que estará em vigor entre novembro deste ano e março do …

Inês Sousa Real, porta-voz do PAN

PAN já enviou memorando de entendimento ao Governo

O partido Pessoas–Animais–Natureza enviou ao Governo, esta sexta-feira, o memorando de entendimento com cerca de 60 propostas, no âmbito do Orçamento do Estado para 2022 (OE2022). "O PAN fez chegar ao Governo um memorando do qual …

Alterações ao Orçamento de 2021 custaram, afinal, muito mais do que o estimado pelo Governo

Apenas duas das 291 medidas adicionadas representaram um impacto anual de 88 milhões de euros, com o Governo a calcular, durante a especialidade, que a totalidade custaria 3,2 milhões de euros. As alterações feitas ao Orçamento …

Entre a pandemia e os preços da energia, Marcelo alerta que chumbo do OE criaria "mais um problema"

O Presidente da República reiterou, esta sexta-feira, que deseja evitar uma crise política criada por um eventual chumbo do Orçamento de Estado, porque "só juntaria um problema" à pandemia e à subida dos preços dos …

França dá a partir de dezembro "cheque-combustível" de 100 euros

França vai dar a partir de dezembro um “cheque-combustível” único de 100 euros a cerca de 36 milhões de condutores que ganham menos de 2.000 euros por mês devido à escalada dos preços do gasóleo …