Diminuição de novos casos não deverá significar alívio nas restrições

José Sena Goulão / Lusa

Filipe Froes, coordenador do gabinete de crise da Ordem dos Médicos para a pandemia de covid-19, considera que a diminuição de novos casos não deverá significar um alívio nas restrições, no dia em que ocorre mais uma reunião do Infarmed.

Em declarações à Rádio Renascença, o pneumologista Filipe Froes, coordenador do gabinete de crise da Ordem dos Médicos para a pandemia de covid-19, disse interpretar a descida do número de novos casos com “muita preocupação e muita prudência”.

Nesse sentido, o especialista, que faz parte do gabinete de crise da Ordem dos Médicos que acompanha a evolução da pandemia em Portugal, avisou que o risco de desconfinar nesta fase é muito grande.

Segundo Froes, a medida poderia traduzir-se num num “retrocesso com implicações tão ou mais graves do que aquelas que acabamos de viver”. “Não há nenhum contexto clínico nem epidemiológico que o possa justificar, pelo menos, nos próximos 15 dias”, afirmou.

“A minha recomendação é a maior prudência e continuar no confinamento, com todas as medidas, para bem de todos e para bem da saúde de todos os portugueses”, frisou o pneumologista.

Confinamento nos dias úteis sobe para 50,6%

O confinamento nos dias úteis cresceu para um valor médio de 50,6% desde que encerraram as escolas a 22 de janeiro até ao dia 5 de fevereiro, segundo dados divulgados pela Produtos e Serviços de Estatística (PSE).

“O processo deste segundo confinamento foi efetuado a dois tempos: de 15 a 21 de janeiro, e de 22 de janeiro até aos dias de hoje com o encerramento das escolas. Antes de o dia 15 o confinamento médio estava em 31.4%. Com o início das medidas a 15, o confinamento subiu para um valor médio de 41.9% até ao encerramento das escolas”, revelou em comunicado a PSE.

A empresa tem monitorizado a mobilidade dos portugueses desde a declaração do primeiro estado de emergência, a 18 de março de 2020, realçou que “com o encerramento das escolas, o confinamento nos dias úteis subiu para um valor médio de 50.6% até à última sexta-feira (5 de fevereiro)”.

Os indicadores mostram também que, tal como já tinha sido verificado no primeiro confinamento, em 2020, as sextas-feiras e segundas-feiras continuam a ser os dias de maior mobilidade dada a aproximação de fins de semana de restrições adicionais.

“Tal como em 2020, sempre que existem dias que antecedem períodos de maior restrição (recolher às 13:00 e inibição de circulação entre concelhos), os portugueses efetuam maiores deslocações e missões de abastecimento”, apontou a PSE.

De resto, a empresa sublinhou que há um “menor confinamento” nesta altura do que no primeiro confinamento do ano passado, vincando a “grande diferença entre fins de semana e dias úteis”.

E acrescentou: “Para além do menor confinamento, há outras diferenças a registar entre o primeiro confinamento e este segundo confinamento de 2021. Em 2020, o confinamento foi antecipado voluntariamente e repentino. A adesão ao confinamento foi visível tanto em dias úteis como fins de semana e, em 2020, os valores de adesão mantiveram-se elevados até ao desconfinamento”.

Porém, observando a evolução semanal do confinamento entre dias úteis e fins de semana a entidade salientou que há diferenças relevantes entre os dois confinamentos gerais.

“No caso do confinamento de 2021 vemos que: a diferença de confinamento entre fins de semana e dias úteis é muito mais elevada, a adesão ao confinamento nos dias úteis é muito menor, a adesão ao confinamento em dias úteis é igualmente menor, a adesão ao confinamento não foi um processo voluntário, antecipado e repentino como no primeiro confinamento”, especificou a PSE.

Segundo a empresa, as principais medidas que inibiram a mobilidade entre outubro de 2020 e janeiro de 2021 foram o recolhimento às 13:00 aos fins de semana e a inibição de circulação entre concelhos também aos fins de semana.

“Estas medidas, tanto no último trimestre de 2020 como agora, tiveram três reflexos: reduzir a mobilidade ao fim de semana, aumentar a mobilidade nos dias úteis, provocar concentrações nas manhãs dos fins de semana (particularmente aos sábados)”, assinalou.

Liliana Malainho, ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Mulheres ganham 9% das câmaras, menos do que em 2017

Das 308 câmaras do país, 28 foram ganhas por uma mulher, o que corresponde a aproximadamente 9% do total e menos do que as 32 autarcas eleitas em 2017, segundo o portal de dados estatísticos …

Turismo só usou um terço das linhas de crédito criadas para o setor

A utilização das linhas de crédito destinadas especificamente ao turismo ficou aquém do esperado. Até agora, as empresas só utilizaram cerca de 30% destas linhas, que disponibilizam um valor conjunto de 400 milhões de euros. Rita …

Carla Tavares reeleita na Amadora. Suzana Garcia assume responsabilidade da derrota

 A socialista Carla Tavares foi reeleita, este domingo, com maioria absoluta, como presidente da Câmara Municipal da Amadora, no distrito de Lisboa. Os resultados da noite eleitoral deram o triunfo à candidatura liderada pela socialista Carla …

Corrida aos combustíveis. A antecipar um "inverno difícil", Reino Unido vai dar vistos temporários a camionistas

A falta de camionistas tem levado a filas nas bombas de combustíveis e entre 50% e 90% já estão vazias em algumas zonas do país. O governo vai dar vistos temporários a camionistas e está …

Vencedores e vencidos, numa noite eleitoral de perder o fôlego

A noite eleitoral foi longa e de perder o fôlego até ao último minuto. Entre alguns imprevistos, surpresas e validações, Lisboa foi o palco dos maiores holofotes: Carlos Moedas foi o grande e surpreendente vencedor …

Isaltino Morais reeleito em Oeiras. CDU perdeu vereador

O candidato independente Isaltino Morais foi reeleito presidente da Câmara de Oeiras nas eleições autárquicas deste domingo, tendo dedicado a vitória à juventude. “Não importa a percentagem. O que importa é que crescemos muito, aumentámos a …

Ganhar os jogos todos: quem consegue fazer o que o Benfica faz?

Ainda ninguém conseguiu travar o líder do campeonato português. Mas há outras equipas europeias a conseguir o mesmo. O Benfica está a construir um percurso inicial no campeonato português que não se via há quase 40 …

Tribunal admite que testemunha de Jeová menor recuse transfusão que lhe pode salvar a vida

Jovem de 16 anos que tem leucemia aguda recusou transfusões de sangue durante internamento no IPO. Caso consiga provar em tribunal capacidade de discernimento e maturidade justiça terá de desistir de lhe impor tratamento. O Instituto …

Koeman não teve dinheiro para reforços, mas Barcelona investiu milhões na equipa B

Embora Ronald Koeman não tenha recebido dinheiro para gastar em transferências, o Barcelona investiu 4 milhões de euros na equipa B. O Barcelona teve de apertar o cinto durante o mercado de transferências de verão. Os …

"O futuro é liberal", mas o presente nem tanto. O balanço da estreia da IL nas autárquicas

A Iniciativa Liberal conseguiu apenas um vereador no Porto. Apesar da presença entre assembleias municipais e juntas de freguesia, falhou a conquista de autarquias. Numa estreia absoluta em eleições autárquicas, a Iniciativa Liberal ficou aquém das …