Da gripezinha ao “problema mundial”. Bolsonaro fala com Trump e anuncia mais medidas

Jair Bolsonaro mudou de tom. Esta quarta-feira, o Presidente brasileiro anunciou um novo pacote financeiro de apoio a medidas para “manutenção de empregos”, uma das suas maiores preocupações diante da pandemia de covid-19.

O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, anunciou esta quarta-feira novas medidas de apoio financeiro face à pandemia, que agora classifica de “problema mundial”, depois de ter conversado com o seu homólogo norte-americano, Donald Trump.

“Conversámos com Donald Trump e trocámos informações sobre um problema que é mundial”, disse Bolsonaro, que insistia em chamar a pandemia provocada pelo novo coronavírus de “gripezinha”. Na terça-feira à noite, o chefe de Estado brasileiro moderou o tom para admitir, num pronunciamento ao país através da cadeia de rádio e televisão, que se trata do “maior desafio desta geração“.

Esta quarta-feira, numa declaração de apenas alguns minutos, Bolsonaro anunciou um novo pacote financeiro de apoio a medidas para “manutenção de empregos”, que é uma das suas maiores preocupações diante da pandemia, e a favor dos estados e municípios do país. O valor total dessas ajudas, que não foram totalmente detalhadas, será de cerca de 110 mil milhões de reais (cerca de 19,5 mil milhões de euros).

Somando outras medidas já anunciadas na semana passada, o valor ascende aos 200 mil milhões de reais (34,8 mil milhões de euros), ou seja, o equivalente a 2,6% do Produto Interno Bruto (PIB) do país, informou o ministro da Economia brasileiro, Paulo Guedes.

Após as breves palavras de Bolsonaro, Paulo Guedes enquadrou essas medidas na “missão do Governo de defender a saúde e o emprego dos brasileiros”, incluindo os trabalhadores informais [sem contrato de trabalho], que no país sul-americano são cerca de 40 milhões e representam cerca de 35% da população economicamente ativa.

“A intenção é que tenham recursos para enfrentar a primeira onda” desta crise, que é a “saúde”, porque logo chegará “a segunda onda, que será a desarticulação económica”, afirmou o ministro.

O tom de Jair Bolsonaro mudou nas últimas 24 horas em relação à pandemia, após durante semanas ter subestimado a covid-19, classificando-a de “gripezinha” e “histeria”.

Embora não haja um posicionamento assumido, a mudança de Bolsonaro coincidiu com um movimento na mesma direção de Trump, a quem o Presidente brasileiro tem como modelo e que, na terça-feira, admitiu de forma crua a realidade da pandemia nos EUA, alertando que o país deve estar preparado para a morte de pelo menos 100.000 pessoas.

O Brasil é o país da América Latina mais afetado pelo novo coronavírus, tendo registado até terça-feira 5.717 infetados e 201 mortos. Segundo o executivo brasileiro, a taxa de mortalidade da covid-19 no Brasil é agora de cerca de 3,5% e todas as regiões do Brasil têm mortes confirmadas pelo vírus.

São Paulo continua a ser o estado brasileiro mais afetado, totalizando 136 mortos e tendo ultrapassado esta quarta-feira os dois mil infetados, registando 2.339 casos confirmados. Segue-se o Rio de Janeiro com 23 óbitos e 708 infetados e o Ceará que, até ao momento, contabilizou sete vítimas mortais e 390 casos positivos da covid-19.

 

ZAP // Lusa

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. “……………………. depois de ter conversado com o seu homólogo norte-americano, Donald Trump.”…………pergunto a mim próprio porque é que em países de uma certa importancia económica e geoestratégica……….colocam lideres nitidamente idiotas e potencialmente corruptos???????

    • A questão não é «como colocam…?» mas,« porque os querem manter?». Apesar de comprovadamente corrupto, ignorante, mentiroso, etc, etc…. Donald Trump arrisca ganhar as próximas eleições. Como? Porquê?

      A realidade é que a maioria dos eleitores, não se revê nos políticos. Não se identifica com eles e percebe claramente que, quem governa, está longe…. MUITO longe, de perceber as dificuldades diárias de quem se encontra na base da pirâmide social. Os Trumps desta vida, aparecem quando «qualquer um» é melhor do que quem lá está habitualmente.

      Basta olhar à nossa realidade e perceber de ONDE vêm os nossos governantes. Duvido que qualquer um deles tenha nas suas relações habituais de amizade, alguém que ganhe o salário mínimo por exemplo.

      Mas como é que podemos realisticamente esperar que um grupo de pessoas, que não faz a mais pálida ideia do que é governar a casa com um rendimento total de 1000/1200€ por mês, resolva o que quer que seja? Para eles, não passamos de números e estatísticas em folhas de Excel.

      A solução não será eleger um pedreiro (apesar dos respeito que tenho pelos pedreiros) para primeiro ministro mas é a manutenção deste sistema e desta gente, agarrada à mama vitalícia do estado e ao poder que esta proporciona, que volta e meia, elege (e às tantas reelege) Trumps e Bolsonaros.

RESPONDER

França acaba com máscara no exterior (e Espanha vai pelo mesmo caminho)

Em França, o uso de máscara na rua deixa de ser obrigatório a partir de quinta-feira. Espanha deverá seguir o mesmo caminho "em breve". O uso de máscara no exterior deixa de ser obrigatório em França …

Swissport em Lisboa para tentar comprar a Groundforce

O acionista maioritário da Groundforce, que está a tentar vender a sua participação na empresa de handling, encontra-se agora a negociar com os suíços da Swissport. Depois de o fundo espanhol Atitlan se ter afastado e …

BdP prevê taxa de desemprego de 7,2% e crescimento económico de 4,8%

O Banco de Portugal (BdP) prevê que a taxa de desemprego atinja 7,2% em 2021, recuando para 7,1% em 2022 e 6,8% em 2023, e que o emprego cresça 1,3% este ano. No Boletim Económico de …

Finlândia 0-1 Rússia | Miranchuk recoloca russos na corrida

A anfitriã Rússia conseguiu hoje uma determinante vitória na luta pelo apuramento para os oitavos de final do Euro2020 de futebol, ao bater a Finlândia por 1-0, em São Petersburgo. No primeiro jogo da segunda jornada …

Nove militares da GNR acusados de tortura

O Ministério Público (MP) do Porto acusou nove militares da GNR dos crimes de tortura e outros tratamentos cruéis, degradantes ou desumanos e sequestro agravado. O Ministério Público (MP) do Porto acusou nove militares da GNR, …

Costa garante que Lisboa terá o mesmo tratamento que os outros concelhos

Esta quarta-feira, num dia em que Portugal registou 1.350 novos casos ( 928 dos quais na região de Lisboa e Vale do Tejo), o primeiro-ministro afirmou que a capital terá o mesmo tratamento que os …

Salgado disposto a pagar à massa falida do GES para ficar isento de cumprir pena

Ricardo Salgado está disposto a pagar à massa falida do GES para ser dispensado de cumprir pena no processo que o irá julgar por três crimes de abuso de confiança, segundo a contestação da defesa …

PJ detém 12 pessoas por suspeitas de corrupção na Câmara de Loures

Entre os detidos pela Polícia Judiciária (PJ) estão dois empreiteiros, um arquiteto, um empresário ligado a uma obra particular e oito fiscais. Através da Unidade Nacional de Combate à Corrupção e no âmbito de inquérito dirigido …

Casos disparam: 1350 novas infeções e seis óbitos

Nas últimas 24 horas, houve 1.350 novos casos positivos de covid-19 e morreram seis pessoas, segundo os dados do boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS). Portugal registou 1.350 novos casos e seis óbitos por covid-19 …

Parlamento vai ouvir Medina e ministro dos Negócios Estrangeiros

Fernando Medina e Augusto Santos Silva vão ser ouvidos no Parlamento sobre o caso da partilha de dados pessoais de ativistas russos. O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, e o ministro dos Negócios …