Utentes de lares “retidos” no hospital ao testar positivo ao fim de 10 dias. “Critérios estão errados”, dizem médicos

Jean-Christophe Bott / EPA

Numa altura em que os hospitais já estão a chegar ao seu limite de lotação, uma norma da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre pacientes dos lares ou estruturas de cuidados paliativos ou integrados está a agravar esse congestionamento.

De acordo com o jornal Público, a norma da Direção-Geral da Saúde (DGS) obriga a que os pacientes internados nas enfermarias dedicadas à covid-19 e que vão ser reencaminhados para lares ou estruturas de cuidados paliativos ou integrados não possam ter alta se, ao fim de 10 dias de evolução clínica favorável, o teste continuar a dar positivo.

Os critérios estão errados e são coresponsáveis pelo congestionamento dos hospitais, porque na prática obrigam a que o doente permaneça internado por mais 10 dias, ocupando camas que são necessárias para outros doentes, quando a evidência científica já demonstrou que já não existe qualquer risco de contágio”, criticou o médico José Manuel Silva, ex-bastonário da Ordem dos Médicos e coordenador de uma enfermaria para doentes com covid no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), em declarações ao Público.

“Estes dez dias em que os doentes ficam retidos nos hospitais têm um efeito dramático porque bloqueiam a entrada dos novos doentes que por isso congestionam as urgências ou não conseguem sair das ambulâncias”, insistiu. “Temos no CHUC dezenas de doentes que só estão à espera dos vinte dias para poderem ser transferidos”.

Este problema também é visível no Hospital Curry Cabral, em Lisboa. “Essa norma da DGS impede uma saída mais célere de doentes que já não reúnem critérios de internamento”, disse Fernando Maltez, diretor do serviço de infecciologia daquele hospital, ao Público. A norma ficou desatualizada “a partir do momento em que se constatou que, a partir do oitavo dia, a probabilidade de o doente continuar contagioso é muito baixa”.

Atualizada a 14 de outubro, a norma 004/2020 da DGS define que os doentes internados que vão ser admitidos em lares, unidades de cuidados continuados ou paliativos, bem como aqueles que serão transferidos para áreas não dedicadas a doentes covid, não poderão sair se continuarem a ter um teste positivo ao fim de três dias sem febre e de 10 dias de evolução clínica favorável.

Segundo o intensivista Carlos Meneses de Oliveira, “os testes PCR são altamente sensíveis e detetam os restos do RNA do vírus nas vias aéreas durante muito tempo”, levando a que o resultado seja “um falso positivo”, nalguns casos muito tempo depois da infecção.

O especialista considerou que há doentes “que estão estacionados à espera de uma ordem burocrática” e lembrou que “os hospitais servem para tratar doentes e não para acumular pessoas com testes positivos”.

Esta norma define ainda que, decorridos mais 10 dias, os doentes poderão sair do hospital sem necessidade de submissão a novo teste. Porém, segundo o responsável do Curry Cabral, “há lares, que, mesmo decorridos os 20 dias, e, apesar de isso não estar contemplado na norma, continuam a exigir um novo teste, sem o qual não aceitam receber a pessoa”.

Em declarações ao Público, a DGS esclareceu que a obrigatoriedade de um teste negativo ao fim do décimo dia de evolução clínica favorável a este universo restrito de doentes “está em linha com a posição do ECDC [Centro Europeu de Controlo de Doenças] que recomenda uma cautela particular em locais de elevado risco de contágio e com pessoas com elevada vulnerabilidade para a covid-19, como é o caso das estruturas residenciais para idosos”.

Por outro lado, consideradas “as novas evidências científicas e a experiência adquirida até à data”, a DGS adianta que a norma está a ser atualizada.

Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Do céu ao inferno. Adeptos do Palmeiras chamam "arrogante" a Abel Ferreira

O Palmeiras perdeu e está cada vez mais longe da liderança do Brasileirão. Os adeptos estão insatisfeitos com as exibições e chamaram "arrogante" a Abel Ferreira. O Palmeiras, treinado pelo português Abel Ferreira, perdeu na deslocação …

Mesmo depois da morte de Ihor, centro do aeroporto ainda tem videovigilância "muito limitada"

Um ano e meio após a morte de Ihor Homeniuk, o centro de instalação temporária do aeroporto de Lisboa (CIT) continua sem cobertura total de câmaras de videovigilância em zonas comuns. A situação atual distancia-se daquilo …

Liveblog Autárquicas. "As eleições autárquicas contam pouco", ironiza Rui Rio

Realizam-se este domingo Eleições Autárquicas em Portugal, nas quais está em jogo a eleição de 308 presidentes de câmaras municipais, os seus vereadores e assembleias municipais, bem como 3091 assembleias de freguesia. Acompanhe tudo no …

Arqueólogos desenterram (acidentalmente) ossadas com 800 anos no Peru

Os restos mortais de oito pessoas, com aproximadamente 800 anos de idade e enterrados com alimentos e instrumentos musicais na mesma câmara funerária, foram encontrados ao sul de Lima, no Peru, durante a instalação de …

Marcelo apela ao voto "por memória deste ano e meio que não esqueceremos"

O Presidente da República considerou que votar nas eleições autárquicas é mais importante do que nunca para o país recomeçar a viver e a sair das crises sanitária, económica e social. Este apelo ao voto foi …

Onde e como? Um guia para votar nas eleições autárquicas

As mesas de voto das eleições autárquicas abriram hoje às 08:00 no continente e na Madeira para a escolha dos dirigentes dos municípios e das freguesias para os próximos quatro anos. Nos Açores, as urnas abrem …

Ensino Superior: 33% dos candidatos ficaram de fora. Veja se ficou entre os colocados

Mais de 49 mil novos estudantes entraram agora para o ensino superior, tendo ficado sem colocação 33% dos candidatos à primeira fase do concurso nacional de acesso, revelam dados divulgados hoje pelo Ministério do Ensino …

Pessoas mais pobres são vistas como menos suscetíveis à dor

Um novo estudo indica que os indivíduos de classe baixa são estereotipados como insensíveis à dor física, o que pode impactar os seus cuidados médicos. “As estatísticas de saúde indicam que as pessoas ricas recebem um …

As crianças têm dez vezes mais micro-plásticos nas fezes do que os adultos

Uma equipa de cientistas da Universidade de Nova Iorque, nos Estados Unidos, usou espectrometria de massa para medir os níveis de micro-plásticos compostos de policarbonato (PC) e de polietileno tereftalato (PET) presentes nas fezes crianças …

MIT desenvolve mão robótica insuflável (que devolve o tato aos amputados)

Apesar de haver membros biónicos altamente articulados, concebidos para detetar os sinais musculares residuais e imitar roboticamente os seus movimentos pretendidos, a destreza de alta tecnologia tem um custo muito alto. Recentemente, engenheiros do Massachusetts Institute …