Dormir na Tesla, fome e raiva: o “pesadelo interminável” em Shanghai

5

EPA/Shan Shi China Out

Fila num hospital temporário em Shanghai

Consequências de um confinamento que parecem ser cenas de um filme. Mas não são. Trabalhadores da Tesla dormem na fábrica.

Números recorde e um cenário alarmante originaram medidas apertadas em Shanghai, cidade que ficou quase isolada por causa da COVID-19.

São quase três semanas de confinamento para cerca de 26 milhões de pessoas, numa das cidades mais movimentadas e importantes da China. Shanghai é mesmo o maior centro financeiro do país.

As medidas devem ser aliviadas ainda nesta semana. Mas não é de admirar que, até aqui, em cenário que faz lembrar os primeiros tempos da pandemia na China (há quase dois anos e meio), surjam relatos que poderiam ser incluídas num filme de ficção.

Dormir no chão da Tesla

Mas a realidade é que, por exemplo na Tesla, empresa de Elon Musk dedicada a automóveis eléctricos, o regime mudou.

Após não terem trabalhado durante três semanas, agora é preciso recuperar a produção e, para isso, os funcionários trabalharão nas próximas duas semanas durante 12 horas por dia e seis dias por semana; terão direito a um saco-cama e a um colchão para dormirem na própria fábrica da Tesla em Shanghai.

A indicação partilhada pela Bloomberg acrescenta que as instalações da empresa não têm qualquer zona de dormitórios; mas improvisaram-se locais de banho e as pessoas dormem no chão.

“Fiquei com fome e maluco”

O jornal The Guardian publica o relato de um residente em Shanghai que, conta o próprio, ficou “com fome e maluco” ao longo destas três semanas de confinamento no seu pequeno estúdio.

Milhões de pessoas na China já aprenderam a viver em confinamento: “Já aprendi e pratiquei a arte de me sentar em silêncio num quarto sozinho de forma repetitiva e religiosa nos últimos dois anos”.

Já tenho todas as aplicações de fitness indoor, audiolivros, assinaturas de streaming, aplicações de meditação, aplicações de reuniões remotas de todos os tipos e entregadores de comida que já conheço”, continua o relato.

Março ainda começou em “câmara lenta”, com alguns ajustes pontuais e localizados, mas a situação ficou “cada vez pior”, com “cenas caóticas”. E com um desabafo: “Quanto mais mergulhei no confinamento de Shanghai, mais percebi que acabara de mergulhar num buraco negro”. A cidade está repleta de “moradores desesperados”.

Fome na cidade

O desespero não é só a nível mental: há muitas pessoas com fome em Shanghai porque não há alimentos disponíveis para todos.

Na CNN, Steven Jiang descreve o seu “pesadelo interminável” e conta que percebeu que a “catástrofe” chegou a sua casa quando o seu pai reparou que o fornecimento de alimentos iria terminar poucos dias depois, sem intervenção do Governo local. Só sobrava arroz, bolachas e café para o homem de 73 anos.

O extremo é histórico: os pais de Steven, que viveram a Revolução Cultural Chinesa e o período sob a liderança Mao Tsé-Tung, nunca recearam o cenário de fome, nunca tiveram essa perspectiva. Agora o pai tem.

Aliás, há realmente pessoas a passar fome, já. Faltou planeamento, faltou coordenação e há escassez de alimentos, reconhecem as autoridades locais.

Outras medidas – como “fechar” uma comunidade residencial inteira se houver um caso positivo naquele local – criaram um cenário inédito, explica Steven: “Pela primeira vez, milhões de pessoas em Shanghai – jovens e velhos, ricos e pobres, liberais e conservadores – parecem unidas por uma raiva crescente”.

Embora a propaganda dos canais oficiais do Governo chinês tente esconder o “caos e a miséria” da população, que tenta “fugir na escuridão” às experiências “angustiantes” que têm vivido.

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

5 Comments

  1. Isto está tudo virado do avesso!

    Afinal, parece que só há direitos dos trabalhadores nos países capitalistas e pelo contrário, no paraíso comunista consegue-se impor e praticar a forma mais abjecta do capitalismo, totalmente desregulado e selvagem…

  2. Agora vão lá comprar os vossos teslas para financiar esta escravatura!
    Já não basta a grande treta que os eléctricos são, se tinham duvidas sobre como a tesla realmente funciona aí está!

  3. Venham experienciar como o governo do Brasil lidou com a pandemia: irreponsabilidade, negligência, falta de compaixão, negacionismo, necropolítica. E o próprio povo, com sua cultura da indiferença, também não se importa com quem morre. O resultado é mais de 662 mil mortes de Covid-19 (20/04/2022), representa o 2.país com mais mortes do mundo, de Covid. O 4.minitro da saúde [ou da doença] anuncia o Brasil livre de Covid-19.

    • O Brasil não merecia um presidente troglodita como Bolsonaro. Tenho muita pena dos brasileiros que não o elegeram.

  4. O Desprezo pela vida Humana sempre foi uma constante nos Regimes Ditos Comunistas ,a Hestoria sempre mostrou essa triste Realidade

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE