Tottenham recua no lay-off e faz do estádio centro de testes para a covid-19

Hzh / Wikimedia

Tottenham Hotspur Stadium

O Tottenham recuou na intenção de colocar em lay-off o pessoal fora do âmbito de competição, indicando que pagará a 100% aos seus funcionários os meses de abril e maio.

“Decidimos que todo o staff fora de competição, seja a tempo total, parcial ou em lay-off, receberá a 100% os seus salários de abril e maio. Apenas a direção terá redução salarial”, referiu o clube em comunicado.

Os spurs lembram que quando anunciaram os cortes, devido à paralisação das atividades e do campeonato, informaram que essa mesma decisão estaria sob avaliação regular e que foi nessa perspetiva que fazem agora esta comunicação.

“Nunca foi nossa intenção, como responsáveis, fazer algo mais do que adotar medidas para proteger empregos, quando o clube procura operar de forma autossuficiente em tempos de incerteza”, assinalou Daniel Lewy, presidente do Tottenham.

O dirigente disse também que as críticas que o clube recebeu na última semana ainda foram mais sentidas, tendo em conta o registo de bom trabalho que a instituição faz, nomeadamente a nível local.

“Lamentamos as preocupações que gerámos durante tempos de ansiedade e esperamos que o trabalho a fazer nas próximas semanas no nosso estádio tome todo um novo significado e deixe os nossos adeptos orgulhosos do seu clube”, acrescentou o dirigente.

De acordo com o Tottenham, o seu estádio será o primeiro da Liga inglesa de futebol a ser usado como centro de despistagem para a covid-19, destinado a pessoal do serviço nacional de saúde (NHS) e às suas famílias e dependentes.

Essa será uma das valências nas instalações do Tottenham, que irá também aliviar a sobrecarga do hospital North Middlesex, que ficará destinado apenas à covid-19, com os serviços de obstetrícia a passarem para o estádio.

Numa total mudança de paradigma, o clube também informou que a sua zona térrea está a ser usada como centro de distribuição pela London Food Aliance, destinado a alimentar os mais vulneráveis na capital inglesa, entre outras ações.

Norwich, Newcastle, Bournemouth e Sheffield United são agora os clubes da Liga inglesa que têm funcionários em regime de lay- off.​​​ O programa garante o pagamento de 80% do salário até 2500 libras (2850 euros).

No início de abril, o Liverpool também anunciou que ia avançar com o regime lay-off, mas acabou por voltar atrás na decisão, após as críticas que recebeu, e até pediu desculpas aos adeptos.

ZAP // Lusa

 

PARTILHAR

RESPONDER

Metro de Nova Iorque pede à Apple para melhorar sistema de reconhecimento facial

A autoridade que gere o metro de Nova Iorque, nos Estados Unidos, pediu à gigante tecnológica Apple para melhorar o reconhecimento facial dos seus dispositivos depois de serem observados vários passageiros a retirar a máscara …

Rival da Tesla diz que o seu carro terá uma autonomia de 832 quilómetros

A empresa Lucid Motors, concorrente direta da Tesla no mercado automóvel elétrico, afirma que o seu carro Air terá uma autonomia de 832 quilómetros. A confirmar-se a autonomia deste carro, o automóvel da Lucid Motors ultrapassará …

Moradores das Maurícias estão a cortar o próprio cabelo para ajudar a evitar um desastre ambiental

Moradores das Maurícias estão a cortar o seu próprio cabelo para para tentar minimizar os danos causados pelo derrame de petróleo de um navio janponês encalhado nos recifes de coral ao largo da ilha. Estima-se que …

Atalanta 1-2 PSG | Reviravolta épica vale bilhete para as “meias”

Um final impróprio para cardíacos e o epílogo perfeito num excelente jogo. O PSG esteve a perder desde o minuto 27, mas em apenas três minutos dos descontos deu a volta ao texto diante da …

Um emblemático transplante nos EUA aconteceu graças a um coração "roubado"

Um dos primeiros transplantes de coração realizados no mundo aconteceu no Estados Unidos. O que muitos não sabem é que este caso de sucesso também deu aso ao primeiro processo civil no país por homicídio …

"Pandemia de sem-abrigo" nos EUA. Há 30 milhões de pessoas sob risco de despejo

Nos Estados Unidos da América avizinha-se uma "pandemia de sem-abrigo". Até ao final de setembro, 30 milhões de norte-americanos estão em risco de despejo devido à covid-19. Nos Estados Unidos, a pandemia de covid-19 pode estar …

Tráfego nas autoestradas cai para quase metade. Foi o pior trimestre de sempre

A rede da Associação Portuguesa das Sociedades Concessionárias de Autoestradas ou Pontes com Portagens (APCAP) registou de abril a junho "o pior trimestre de circulação e tráfego médio desde que há registos", recuando 46% devido …

Bielorrússia cortou acesso à internet e tentou fazer com que parecesse um acidente

No seguimento da reeleição de Alexandr Lukashenko na Bielorrússia, multiplicam-se os apagões de internet. O Governo diz que se trata de um ataque cibernético, mas há suspeitas de que seja um plano do presidente. Os protestos …

Resgatados 28 cães sem registo ou vacinas de barracões onde também vivia a proprietária em Lisboa

Vinte e oito cães foram retirados pela PSP terça-feira de barracões em Lisboa onde também vivia a proprietária, avança a agência Lusa, detalhando que os animais serão depois colocados para adoção.  Os animais foram posteriormente recolhidos …

Pela primeira vez em 300 anos, é possível visitar esta ilha em Cabo Cod

Pela primeira vez em 300 anos, uma ilha ao largo da costa de Cabo Cod, península em forma de gancho no estado norte-americano de Massachusetts, está aberta ao público. A Ilha Sipson é propriedade privada desde …