A longo prazo, o distanciamento social pode até ser melhor para a economia

Alex Plavevski / EPA

O isolamento social durante uma pandemia, como é o caso da covid-19, que já fez mais de 48.000 vítimas mortais por tudo o mundo, pode revelar-se melhor para a economia a longo prazo, revelou uma nova investigação.

Apesar de ser extremamente importante para conter uma epidemia de escala global, o isolamento social implica, por norma, graves problemas económicos – quanto mais tempo as pessoas estiverem em casa, mais a economia de um determinado país tenderá a desacelerar, podendo esta culminar em despedimentos.

Agora, um novo estudo, levado a cabo pelos economistas Sergio Correia, Stephan Luck e Emil Verner, apresenta uma conclusão diferente daquele que é o pensamento mais comum: a longo prazo, o isolamento social pode revelar-se melhor para a economia. 

Para chegar a esta conclusão, explica o portal Vox, os especialistas analisaram a pandemia de gripe entre 1918 e 1920 nos Estados Unidos, comparando as cidades que durante este período adotaram períodos de isolamento social e em que momento é que estas medidas foram tomadas – se mais cedo ou se mais tarde.

Os especialistas perceberam que as cidade que adotaram medidas de isolamento e paralisaram as suas atividades mais cedo não tiveram um desempenho pior e até foram capazes de recuperar mais rapidamente no pós-pandemia.

Estas cidades registaram taxas de mortalidade mais baixas e recuperaram mais rapidamente a sua economia e emprego do período de gripe, que infetou 500 milhões de pessoas e matou 50 milhões em todo o mundo.

Em teoria, explicam os cientistas, as medidas de isolamento social – quarentena, encerramento de escolas e/ ou empresas -, podem inicialmente provocar uma queda direta nas atividades económicas, uma vez que paralisam as indústrias e as empresas.

Mas, de forma indireta, podem também aumentar a atividade da economia ao prevenir mortes em larga escala, algo que tem também um impacto negativo na economia.

Sintetizando: De acordo com os cientistas, e ao mesmo tempo que salva vidas, o isolamento pode também ajudar a amenizar os problemas económicos a longo prazo.

“Descobrimos que as cidades que intervieram mais cedo e de forma mais agressiva não apresentam desempenho pior e cresceram mais rapidamente após o término da pandemia”, escreveram os cientistas no estudo que carece ainda de revisão dos pares.

O artigo, sob o título “As pandemias deprimem a economia, as intervenções de saúde pública não: evidências de gripe de 1918”, está disponível em pré-visualização.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. «…pandemia de gripe entre 1918 e 1920…»

    E também dizem que nessa época devido à gripe ficou tudo em teletrabalho e vídeo chamadas.

    Já agora, para irem buscar o exemplo da gripe de 1918 – 1920 significa então que a doença do coronavírus covid-19 é somente uma gripe? Por isso é que colocam os cidadãos em prisão domiciliária, prejudicando a economia? Por causa de uma gripe?

    • Ó Figueiredo. Vamos lá a ver se nos entendemos. O Figueiredo sabe o que foi a “gripe de 1918 -1920”?
      Usa termos como “gripe de 1918-1920” e “somente uma gripe”. O Figueiredo está bem!?
      A gripe de 1918-1920 é a gripe espanhola!!! Que matou milhões de pessoas! (Há estudos que referem que pode ter vitimado entre 50 a 100 milhões de pessoas)! Não se sabe bem ao certo quantos milhões, mas morreu muita gente. E era apenas uma gripezinha provocada por um vírus banalíssimo, o influenza!

      Informe-se aqui e para a próxima veja se sabe do que está a falar.
      https://pt.wikipedia.org/wiki/Gripe_espanhola

      • O que você escreveu não faz qualquer sentido, pois tenta de uma forma matreira usar/comparar a Gripe Espanhola ocorrida ente 1918 – 1920, do Século XX, para justificar as infundadas medidas adoptadas por alguns governos para combater a doença do coronavírus covid-19 que surge no Século XXI, no ano de 2020.

        Você tenta através do seu comentário que nada acrescenta comparar o incomparável, dar uma falsa ideia aos leitores(as) na esperança que os mesmos aceitem uma versão sem a questionar, uma espécie de consolo para que sejam passivos com o status quo que lhes é apresentado.

        Ao longo da história nunca se procedeu ao isolamento da população saudável para combater uma doença, isso vai contra as leis da ciência, da medicina, da matemática, e da natureza.

        As actuais medidas implementadas por alguns governos para combater a doença do coronavírus covid-19 como o estado de emergência, isolamento social, distância social, ou quarentena, são consideradas sem fundamento e refutadas pela comunidade médica e científica a nível mundial.

RESPONDER

Depois de Latifa e Haya, mais uma princesa pediu ajuda para fugir do Dubai (e está desaparecida)

Depois da fuga da princesa Latifa e da princesa Haya do Dubai, outra jovem gravou um vídeo a pedir ajuda para escapar dos seus pais. Agora, está deparecida. De acordo com o jornal espanhol Maitha al …

Caso Maddie. Suspeito alemão alvo de nova investigação por crime semelhante na Alemanha

Christian B., de 43 anos, poderá estar associado ao desaparecimento de uma menina de cinco anos, em 2015, na Alemanha. De acordo com a agência DPA, o Ministério Público alemão abriu uma nova investigação sobre o …

À espera de propostas concretas, Jerónimo quer salário pago a 100%

Jerónimo de Sousa admite que só tomará uma posição quanto ao Orçamento Suplementar quando souber as "propostas concretas". Esta sexta-feira, o secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, disse que só tomará uma posição quanto ao Orçamento …

Do ruído à reciclagem. No Dia Mundial do Ambiente, associação Zero divulga dados preocupantes

As principais preocupações da associação ambientalista Zero em Portugal são ao nível do desperdício de água, do ruído e da reciclagem. Do excesso de lixo produzido por cada habitante ao ruído em excesso provocado pelo …

Esferográfica pessoal e máscara obrigatórios nas eleições do FC Porto

As eleições do FC Porto estão agendadas para este fim de semana e os sócios que quiserem exercer o seu direito de voto terão de levar uma máscara de proteção individual e uma esferográfica. No comunicado …

Açores sem infetados por covid-19. Último paciente internado recuperou

Os Açores estão oficialmente livres de covid-19. Dois meses e meio depois do primeiro caso na região, os Açores não têm qualquer registo de infetados por covid-19. Vasco Cordeiro, presidente do Governo Regional, anunciou no Facebook …

Miguel Albuquerque ainda pondera candidatura a Belém

O Presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque, ainda está a ponderar uma eventual candidatura à Presidência da República. O presidente do Governo Regional da Madeira e da estrutura regional do PSD, Miguel Albuquerque, disse …

Governo reforça oferta de creches e lares com mais espaços e funcionários

O primeiro-ministro, António Costa, considera que "é necessário reforçar em equipamentos como creches, lares ou no apoio domiciliário". Os programas sociais de apoio a idosos vão criar três mil postos de trabalho, anunciou o primeiro-ministro esta …

Marcelo e Rio almoçaram a sós em frente ao Tejo

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, felicitou o líder do PSD, Rui Rio, pela apresentação do programa de recuperação económica. Marcelo Rebelo de Sousa e Rui Rio almoçaram, esta sexta-feira, num restaurante em frente …

75% dos hotéis em Portugal reabre em junho, mas com menos quartos

A maioria dos hotéis em território nacional vai abrir portas a partir de junho, sendo a expectativa dos feriados da próxima semana muito importante para esta reabertura. Segundo um inquérito da Associação da Hotelaria de Portugal …