A longo prazo, o distanciamento social pode até ser melhor para a economia

Alex Plavevski / EPA

O isolamento social durante uma pandemia, como é o caso da covid-19, que já fez mais de 48.000 vítimas mortais por tudo o mundo, pode revelar-se melhor para a economia a longo prazo, revelou uma nova investigação.

Apesar de ser extremamente importante para conter uma epidemia de escala global, o isolamento social implica, por norma, graves problemas económicos – quanto mais tempo as pessoas estiverem em casa, mais a economia de um determinado país tenderá a desacelerar, podendo esta culminar em despedimentos.

Agora, um novo estudo, levado a cabo pelos economistas Sergio Correia, Stephan Luck e Emil Verner, apresenta uma conclusão diferente daquele que é o pensamento mais comum: a longo prazo, o isolamento social pode revelar-se melhor para a economia. 

Para chegar a esta conclusão, explica o portal Vox, os especialistas analisaram a pandemia de gripe entre 1918 e 1920 nos Estados Unidos, comparando as cidades que durante este período adotaram períodos de isolamento social e em que momento é que estas medidas foram tomadas – se mais cedo ou se mais tarde.

Os especialistas perceberam que as cidade que adotaram medidas de isolamento e paralisaram as suas atividades mais cedo não tiveram um desempenho pior e até foram capazes de recuperar mais rapidamente no pós-pandemia.

Estas cidades registaram taxas de mortalidade mais baixas e recuperaram mais rapidamente a sua economia e emprego do período de gripe, que infetou 500 milhões de pessoas e matou 50 milhões em todo o mundo.

Em teoria, explicam os cientistas, as medidas de isolamento social – quarentena, encerramento de escolas e/ ou empresas -, podem inicialmente provocar uma queda direta nas atividades económicas, uma vez que paralisam as indústrias e as empresas.

Mas, de forma indireta, podem também aumentar a atividade da economia ao prevenir mortes em larga escala, algo que tem também um impacto negativo na economia.

Sintetizando: De acordo com os cientistas, e ao mesmo tempo que salva vidas, o isolamento pode também ajudar a amenizar os problemas económicos a longo prazo.

“Descobrimos que as cidades que intervieram mais cedo e de forma mais agressiva não apresentam desempenho pior e cresceram mais rapidamente após o término da pandemia”, escreveram os cientistas no estudo que carece ainda de revisão dos pares.

O artigo, sob o título “As pandemias deprimem a economia, as intervenções de saúde pública não: evidências de gripe de 1918”, está disponível em pré-visualização.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. «…pandemia de gripe entre 1918 e 1920…»

    E também dizem que nessa época devido à gripe ficou tudo em teletrabalho e vídeo chamadas.

    Já agora, para irem buscar o exemplo da gripe de 1918 – 1920 significa então que a doença do coronavírus covid-19 é somente uma gripe? Por isso é que colocam os cidadãos em prisão domiciliária, prejudicando a economia? Por causa de uma gripe?

    • Ó Figueiredo. Vamos lá a ver se nos entendemos. O Figueiredo sabe o que foi a “gripe de 1918 -1920”?
      Usa termos como “gripe de 1918-1920” e “somente uma gripe”. O Figueiredo está bem!?
      A gripe de 1918-1920 é a gripe espanhola!!! Que matou milhões de pessoas! (Há estudos que referem que pode ter vitimado entre 50 a 100 milhões de pessoas)! Não se sabe bem ao certo quantos milhões, mas morreu muita gente. E era apenas uma gripezinha provocada por um vírus banalíssimo, o influenza!

      Informe-se aqui e para a próxima veja se sabe do que está a falar.
      https://pt.wikipedia.org/wiki/Gripe_espanhola

      • O que você escreveu não faz qualquer sentido, pois tenta de uma forma matreira usar/comparar a Gripe Espanhola ocorrida ente 1918 – 1920, do Século XX, para justificar as infundadas medidas adoptadas por alguns governos para combater a doença do coronavírus covid-19 que surge no Século XXI, no ano de 2020.

        Você tenta através do seu comentário que nada acrescenta comparar o incomparável, dar uma falsa ideia aos leitores(as) na esperança que os mesmos aceitem uma versão sem a questionar, uma espécie de consolo para que sejam passivos com o status quo que lhes é apresentado.

        Ao longo da história nunca se procedeu ao isolamento da população saudável para combater uma doença, isso vai contra as leis da ciência, da medicina, da matemática, e da natureza.

        As actuais medidas implementadas por alguns governos para combater a doença do coronavírus covid-19 como o estado de emergência, isolamento social, distância social, ou quarentena, são consideradas sem fundamento e refutadas pela comunidade médica e científica a nível mundial.

RESPONDER

Governo pondera decretar recolher obrigatório e restrições em mais municípios

O Governo está a avaliar avançar com o recolhimento obrigatório e alargar as restrições impostas em Paços de Ferreira, Felgueiras e Lousada a mais municípios, recusando, no entanto, um novo confinamento geral, disse hoje o …

Gigante americana Walmart retira (temporariamente) armas e munições das prateleiras

A gigante de distribuição norte-americana Walmart decidiu retirar temporariamente armas e munições das prateleiras das suas lojas, anunciou na quinta-feira um porta-voz da cadeia. A medida preventiva foi tomada a cinco dias de uma eleição presidencial …

BE afasta para já estado de emergência e defende requisição civil na saúde

A coordenadora do BE afastou para já a necessidade de um novo estado de emergência e defendeu que o Governo utilize toda a capacidade instalada na saúde, se necessário recorrendo à requisição civil dos setores …

Sismo de magnitude 7 abala Turquia e Grécia e provoca mini-tsunami. Pelo menos 4 pessoas morreram

Quatro pessoas morreram no oeste da Turquia, depois de um forte terramoto de magnitude 7 atingir o Mar Egeu na tarde desta sexta-feira. O abalo derrubou edifícios em áreas costeiras e fez pelo menos 120 …

EDP desiste de processo contra o Estado, mas vai levar tarifa social a Bruxelas

A EDP desistiu da litigância judicial com o Estado sobre a contribuição extraordinária sobre o setor energético (CESE), mas vai pedir à Comissão Europeia uma análise sobre o mecanismo de financiamento da tarifa social a …

"Fora com os pretos". Universidades e escolas de Lisboa vandalizadas com mensagens racistas

Várias universidades e escolas secundárias da região de Lisboa foram vandalizadas com mensagens de teor racista e xenófobo. "Viva a Europa Branca" ou "Fora com os pretos" são algumas das frases escritas. Várias pessoas denunciaram esta …

Preços das casas não baixam porque há Fundos a comprar tudo

Apesar de estarmos em plena crise pandémica, os preços das casas não têm sofrido uma baixa significativa. Uma realidade que se pode explicar pelo interesse de alguns Fundos na aquisição de imóveis, com a perspectiva …

Infetados, mortes e internamentos. Portugal bate recordes diários de covid-19

Portugal bateu o recorde diário de infeções, mortes e internamentos de doentes com covid-19. Registam-se mais 4.656 casos positivos, 40 óbitos e 1.834 pacientes internados. Nas últimas 24 horas, Portugal registou mais 4.656 casos positivos e …

CSD tem a "chave" da geringonça açoriana (mas ainda não sabe de que lado vai ficar)

Os Presidentes do PSD e do PS já se reuniram com o líder regional do CDS, Artur Lima. O dilema é entre suportar um executivo PS ou integrar uma coligação à direita. A decisão dos …

Professores "desenrolam" queixas em frente do parlamento (e pedem saída do ministro)

Dirigentes da Federação Nacional dos Professores (Fenprof) colocaram esta quinta-feira grandes faixas com reivindicações junto da Assembleia da República e criticaram o ministro da Educação, que tem que “ir embora”. “Quem não sabe ter uma atitude …