União Europeia vai receber mais 100 milhões de doses da Pfizer

Jean-Francois Monier / AFP

A União Europeia (UE) vai receber mais 100 milhões de doses adicionais da vacina contra a covid-19 desenvolvida pela Pfizer e pela BioNTech.

O anúncio foi feito através de um comunicado da farmacêutica citado pelo Jornal de Negócios.

“A Pfizer e a BioNTech anunciam hoje que vão fornecer 100 milhões de doses adicionais da [vacina] Cominarty, a vacina contra a Covid-19 das companhias, aos 27 estados-membros da União Europeia em 2021″, é possível ler. As empresas especificam que este anúncio resulta da “decisão da Comissão Europeia de exercer a sua opção de compra de 100 milhões de doses adicionais, ao abrigo do acordo de compra assinado a 17 de fevereiro de 2021”.

No total, indica o comunicado, o número de vacinas da Pfizer entregas à União Europeia (UE) eleva-se para os 600 milhões.

O comunicado refere ainda que estas doses da vacina serão “produzidas pela BioNTech e pela Pfizer nos locais de produção na Europa”.

Na semana passada, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, anunciou que o bloco iria receber 50 milhões de doses da vacina da Pfizer ao longo do segundo trimestre, com o objetivo de acelerar a campanha de vacinação.

Esta notícia surge numa altura em que o comissário europeu para o Mercado Interno, Thierry Breton, admitiu, em declarações à BFM TV, que a UE pode não renovar o contrato para a aquisição da vacina da AstraZeneca, alegando o incumprimento dos prazos de entrega por parte da farmacêutica.

“A minha prioridade, como responsável das vacinas, é que aqueles com quem assinámos um contrato façam as entregas no prazo”, disse Breton.

O comissário lamentou que, após o contrato assinado com a AstraZeneca para a disponibilização de 120 milhões de doses no primeiro trimestre e de 180 milhões no segundo nos países da UE, só tenham sido entregues cerca de 30 milhões entre janeiro e março.

“Isso criou problemas. Nada é definitivo, continuaremos as negociações”, disse o comissário, assegurando que a eventual não renovação do contrato, que termina a 30 de junho, se deve à questão dos prazos e das condições estipuladas. “Olhando para os números, vemos que os benefícios da vacina AstraZeneca são muito maiores do que o risco“.

Neste momento, a Agência Europeia do Medicamento (EMA) aprovou quatro vacinas contra a covid-19 para serem utilizadas na campanha de vacinação na Europa – o fármaco da Pfizer, da Moderna, AstraZeneca e ainda a vacina da Johnson & Johnson.

  Maria Campos, ZAP //

 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE