Marta Temido garante que não há descontrolo em Lisboa (mas assume falhas)

António Pedro Santos / Lusa

Em entrevista à RTP, a ministra da Saúde garantiu que não há “descontrolo” na evolução da pandemia na região de Lisboa e Vale do Tejo, mas sublinhou que se trata de uma “situação de sobressalto, que não nos deixa estar tranquilos”.

Esta quarta-feira, em entrevista à RTP, a ministra da Saúde garantiu que não existe “descontrolo” na evolução da pandemia na região de Lisboa e Vale do Tejo, mas assumiu que “é uma situação de sobressalto, que não nos deixa estar tranquilos”.

Ao contrário do que tem acontecido no resto do território nacional, em Lisboa e Vale do Tejo o número de novos casos diários não tem diminuídos nos últimos dois meses, mantendo-se “num planalto resistente“. Marta Temido assumiu “dificuldades em quebrar cadeias de transmissão” e que “há questões por responder sobre as circunstâncias que justificam esta situação” na região.

No fundo, ainda não existem explicações técnicas e consensuais capazes de explicar este desfasamento de números entre Lisboa e Vale do Tejo – nomeadamente em concelhos como Sintra, Amadora, Loures e Odivelas – e os dados significativamente mais residuais contabilizados noutros pontos do país.

“Há indícios que sugerem, até pela análise daquilo que é a evolução da pandemia em outros países, que zonas mais densamente povoadas e onde as pessoas têm elevado número de contactos têm maior risco de transmissão, geram situações mais difíceis de quebrar as cadeias de transmissão”, começou por explicar a governante.

“Estas zonas [que estão a ser mais afetadas neste momento] são tipicamente zonas desse tipo, densamente povoadas, onde as pessoas circulam muito e onde é difícil intervir pela multiplicidade de contactos”, acrescentou.

Apesar desta situação, Temido garantiu que não há “descontrolo”. “Para haver, teríamos de ter, e não estamos a ter, um crescimento exponencial [de casos] e reflexos em termos de sobreutilização do Serviço Nacional de Saúde. Não é isso, felizmente, que está a acontecer.”

Ainda assim, se o SNS não está sobrelotado é porque a resposta a pacientes com outras doenças foi reduzida nos concelhos mais afetados de Lisboa e Vale do Tejo. A ministra reconheceu que há “dois hospitais que têm tido maior pressão”, por funcionarem em rede e não receberem apenas doentes covid-19.

É o caso do Amadora-Sintra e do hospital Beatriz Ângelo. “Quando há picos de afluência, há deslocalização de doentes para outros hospitais”, disse, reconhecendo que já houve “doentes deslocados para Santarém e para o Médio Tejo, para preservar a capacidade de resposta”.

Questionada sobre o facto de Portugal ter, atualmente, um dos piores valores da Europa, a governante comparou com outros países sem, no entanto, lembrar o número de habitantes: “Se avaliarmos números, a 1 julho a Suécia tinha 784 casos novos, a Roménia 388, o Reino Unido 689, França 451, Alemanha 456”. Portugal teve menos, 313.

Acontece que a comparação do número absoluto de novos casos em cada país não permite tirar conclusões, uma vez que o número de habitantes é fator determinante para perceber a prevalência da pandemia em cada território.

Sobre uma eventual segunda vaga no inverno, Temido reconhece: “Estamos preocupados”. “Estamos a trabalhar no reforço da capacidade laboratorial. Precisamos de ampliar significativamente a nossa capacidade de testagem, que tem sido um dos sustentáculos da nossa ação. Queremos ir mais além.”

Na entrevista, a governante adiantou que o Estado comprou mais 600 mil doses de vacinas para a gripe do que os dois milhões habituais. “A intenção é administrar mais cedo e evitar o mais possível que tenhamos convivência de infeções que nos irão dificultar o trabalho.”

A ministra da Saúde assumiu ainda que Portugal tem um problema: faltam médicos de saúde pública. “Temos 363 médicos de saúde pública no país, no SNS. Não há mais. É claramente pouco. E a idade média são 59 anos. É uma força de trabalho envelhecida.”

Acresce ainda o facto de as equipas de saúde pública em Portugal serem “pouco multidisciplinares” e muito assentes em médicos e técnicos de saúde especializados. Para a governante, é preciso complementá-las com “matemáticos, epidemiologistas, antropólogos, sociólogos. Estamos a fazer isso com protocolos com as universidades”.

Já sobre a aplicação de rastreamento de contactos infetados, Temido lembrou que a Comissão Nacional de Proteção de Dados “veio fazer um conjunto de recomendações que será preciso acautelar, em termos de processo legislativo e de enquadramento da aplicação”.

ZAP //

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. Só há dois culpados de toda a polémica no país com o total descontrolo do Covid.Costa e Marcelo,mais ninguém.

    • E o PCP… com o 1º de maio. E também o Medina que, ao contrário de muitos outros autarcas bem interventivos, a única coisa que se lhe reconhece em matéria de pandemia foi, num tique terceiro-mundista, apresentar a final da liga dos campeões na capital. Uma vergonha total.
      Juízo tiveram os portugueses de um modo geral e a igreja (ao avisar para os crentes não irem a Fátima no 13 de maio, e contrariando a DGS e a Ministra da Saúde).

  2. Queres dizer há anos que os governos não investem na saúde publica, antes pelo contrario foi cada vez menos atribuído verbas “reais” para a saúde publica.

  3. Pois eu baseada no que esta a frente de quem quer ver, GARANTO que a Sra e muitos mais que até ha pouco tempo eram magicos e herois exemplares do combate a pandemia, sao uns retoricos e demagogos.

  4. Retiro tudo o que disse acerca do Costa! Não é verdade que tenha morto mais portugueses com o Siresp do que com o Covid19, bem antes pelo contrário. Os números estão à vista e não deixam margem para dúvidas. O Costa matou muito mais portugueses com o Covid do que com o Siresp, embora neste caso tenha tido a prestimosa colaboração do Marcelo. Podemos tentar encontrar outros responsáveis por este facto mas são responsáveis marginais, só entraram em cena pela responsabilidade destes dois protagonistas.

RESPONDER

Cientistas calculam probabilidade de contágio ao viajar de comboio

Investigadores da Universidade de Southampton, no Reino Unido, calcularam a probabilidade de contrair covid-19 ao viajar numa carruagem de comboio com uma pessoa infetada. Em colaboração com a Academia Chinesa de Ciências, a Academia Chinesa de …

Hong Kong. Magnata da imprensa Jimmy Lai libertado sob caução

O magnata da imprensa e uma das principais figuras do movimento pró-democracia de Hong Kong Jimmy Lai foi esta terça-feira libertado sob caução, constatou a agência France-Presse. Jimmy Lai tinha sido detido na segunda-feira, ao …

Lar de Reguengos de Monsaraz diz ter feito tudo para salvar vidas

A direção do lar de Reguengos de Monsaraz (Évora) onde surgiu o surto de covid-19 que causou 18 mortos garantiu ter feito “tudo” ao seu “alcance” para “salvar vidas”, nesta “crise” com “contornos dramáticos”. A Fundação …

Israel fecha os olhos e deixa palestinianos cruzarem a fronteira para ir a banhos

As autoridades israelitas têm deixado milhares de palestinianos cruzar a barreira de separação entre os dois territórios para poderem ir às praias. Este foi um fim-de-semana muito especial para Siham e os seus cinco filhos. …

Diabéticos e hipertensos voltam a ter faltas justificadas

Os diabéticos e hipertensos sem condições para desempenharem funções em teletrabalho voltam a ter direito a justificar as faltas ao trabalho devido à pandemia de covid-19, segundo um diploma publicado em Diário da República. “Os imunodeprimidos …

Deputada da Coreia do Sul debaixo de fogo. Usou um vestido no Parlamento

Na semana passada, a deputada sul-coreana Ryu Ho-jeong usou um vestido numa assembleia legislativa, sendo bombardeada com críticas que gerou um debate sobre sexismo e a cultura patriacal do país. De acordo com a CNN, na …

SC Braga oficializa "top gun" Gaitán por duas temporadas

O internacional argentino Nicolas Gaitán assinou um contrato com o Sporting de Braga válido por uma época, com outra de opção, informou esta terça-feira o clube minhoto da I Liga de futebol. Formado no Boca Juniors, …

Vacina russa chama-se "Sputnik V" e foi já pedida por 20 países

A vacina russa contra a covid-19, cujo registo foi esta terça-feira anunciado pelo Presidente, Vladimir Putin, chama-se "Sputnik V", vai começar a ser fabricada em setembro e já foi encomendada por 20 países. De acordo com …

Rui Pinto no Twitter: "Travessia do deserto” terminou mas a “luta continua”

Rui Pinto assumiu que a “árdua e longa ‘travessia do deserto’” chegou ao fim, aludindo à sua libertação, mas avisou que “a luta continua”, pois Portugal “continua um paraíso para a grande corrupção” e branqueamento …

PJ deteve suspeita de atear fogo florestal no Parque Nacional da Peneda-Gerês

A Polícia Judiciária (PJ) de Braga deteve uma mulher de 57 anos suspeita de atear um incêndio florestal registado em 4 de agosto no Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG), no concelho de Terras de Bouro. Em …