/

Em Inglaterra, os vacinados já não precisam de cumprir isolamento após contacto com caso positivo

Facundo Arrizabalaga / EPA

Em Inglaterra, as pessoas que estejam completamente vacinadas contra a covid-19 já não precisam de ficar em isolamento se contactarem com um caso positivo. A medida entra em vigor esta segunda-feira.

As pessoas completamente vacinadas contra a covid-19 em Inglaterra já não serão legalmente obrigadas a cumprir isolamento após contacto com um caso positivo. A medida entra em vigor partir desta segunda-feira, escreve o The Guardian.

Assim, em vez de se auto-isolarem, as pessoas serão contactadas pelo Serviço Nacional de Saúde britânico e aconselhadas a realizarem um teste PCR. Se não apresentarem sintomas, não necessitam de estar isoladas enquanto esperam pelo resultado.

Só os vacinados que apresentarem um teste PCR positivo devem isolar-se obrigatoriamente durante 10 dias, independentemente do estado da vacinação. Caso o teste seja negativo, podem continuar a sua vida normalmente.

O diário britânico acrescenta ainda que os menores de 18 anos e quem não puder ser vacinado por razões médicas vão também poder evitar o isolamento profilático se o teste for negativo.

Na semana passada, o secretário de Estado da Saúde, Sajid Javid, disse que o Governo britânico pôde avançar com esta decisão porque “obter duas doses de uma vacina deu-nos vantagem e permitiu-nos recuperar, em segurança, as liberdades perdidas”.

Boris Johnson, primeiro-ministro britânico, terá sido pressionado a antecipar a data desta nova medida, mas o ministro afirmou que o cronograma já estava decidido e que não existia possibilidade de alteração.

Em julho, o país viu-se a braços com uma “pingdemia“: a aplicação do Serviço Nacional de Saúde britânico enviava alertas – “pings” – sempre que existia contacto direto com um caso positivo, obrigando à realização do auto-isolamento.

Devido a esta medida, vários trabalhadores foram afetados, levando muitos negócios a fechar portas ou a iniciar uma procura repentina de staff.

  Liliana Malainho, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.