/

Resultados preliminares mostram que vacina Sputnik V tem eficácia de 92%

3

PAHO / WHO

A primeira análise de dados provisória da terceira fase dos ensaios clínicos realizados na Rússia revelou que a taxa de eficácia da vacina contra a covid-19 Sputnik V é de 92%.

Segundo o site oficial da vacina russa, “a eficácia da Sputnik V equivaleu a 92%, um cálculo com base nos 20 casos confirmados de covid-19 divididos entre indivíduos que foram vacinados e aqueles que receberam o placebo”.

“A eficácia foi comprovada com base na primeira análise de dados provisória obtida 21 dias depois de 16 mil voluntários terem recebido a primeira injeção”, acrescenta a mesma nota, ressalvando que “não houve eventos adversos inesperados durante os ensaios”.

“O estudo não revelou quaisquer eventos adversos inesperados. Alguns dos vacinados apresentaram eventos adversos de curto prazo, como dor no local da injeção, síndrome semelhante à gripe, incluindo febre, fraqueza, fadiga e dor de cabeça”, revelou a análise.

Atualmente, 40 mil voluntários estão a participar nos ensaios clínicos da Fase III da vacina russa, dos quais mais de 20 mil foram vacinados com a primeira dose e mais de 16 mil com a primeira e a segunda doses, pode ler-se no mesmo comunicado.

Além de estar a ser testada em território russo, esta vacina também está a ser testada na Bielorrússia e deverão começar em breve ensaios clínicos nos Emirados Árabes Unidos, Venezuela e Índia.

Mikhail Murashko, ministro da Saúde russo, congratulou-se com estes resultados. “O uso da vacina e os resultados dos ensaios clínicos demonstram que é uma solução eficaz para impedir a propagação da infeção do coronavírus, uma ferramenta de saúde preventiva, e esta é a forma mais bem-sucedida de derrotar uma pandemia.”

A publicação dos resultados provisórios “demonstram de forma convincente a eficácia da vacina Sputnik V, o que possibilita o início da vacinação em massa na Rússia contra a covid-19 nas próximas semanas”, declarou, por sua vez, Aleksandr Gintsburg, diretor do Centro Gamaleya.

De acordo com a agência Sputnik News, depois da publicação destes resultados, a vice-primeira-ministra russa, Tatiana Golikova, informou que estão a planear produzir, ainda este mês, 500 mil doses da vacina.

Já no próximo ano, espera-se a produção de 1,5 milhões em janeiro, três milhões por mês a partir de fevereiro e seis milhões a partir de abril, acrescentou.

O anúncio da eficácia da vacina russa foi feito dois dias depois de a farmacêutica norte-americana Pfizer, que está a trabalhar com a alemã BioNTech, ter revelado que os dados provisórios da sua vacina indicaram uma eficácia de 90%.

Em agosto deste ano, a Rússia tornou-se o primeiro país do mundo a registar uma vacina contra o novo coronavírus. Na terça-feira, o Presidente russo, Vladimir Putin, garantiu que todas as vacinas contra a covid-19 desenvolvidas pelo país são eficazes, acrescentando que irá ser registada em breve uma terceira, recorda o jornal Público.

  ZAP //

3 Comments

  1. Agora é a competição das vacinas. Tenham juízo isso sim, é andar a brincar c a vida / saúde da pessoas.
    Venham a publico somente quando tiverem tudo preto no branco. Não é andar no disse que disse.

      • Não tenho bem a certeza mas lá em casa tenho uma vacina… que tenho tomado com bastante regularidade desde o confinamento e aparentemente tem gerado resultados fantásticos. É o vinhotol. Recomendo.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE