/

De mesquita a centro de vacinação. No Reino Unido, um imã combateu o medo da vacina

Darren Staples / AFP

Vacinação no Al-Abbas Islamic Center, no Reino Unido

Às sextas-feiras, durante os seus sermões, o Sheikh Nuru Mohammed começou a lutar contra a desinformação e transformou a sua mesquita num centro de vacinação contra a covid-19.

O Sheikh Nuru Mohammed, imã da mesquita Al-Abbas, no Reino Unido, sabia que uma percentagem significativa dos seus fieis estava hesitante em receber a vacina contra a covid-19. Em dezembro, o líder religioso decidiu lutar contra a desinformação durante os seus sermões online e transformou a sua mesquita num centro de vacinação.

Foi o primeiro a dar o passo na Grã-Bretanha e abriu caminho para dezenas de outros. Centenas de milhares de cidadãos britânicos descendentes do sul da Ásia e britânicos negros mudaram de ideias e decidiram vacinar-se contra o vírus, segundo pesquisas nacionais citadas pelo NPR.

Parth Patel, médico e investigador da University College London, acredita que a liderança local desempenhou um papel significativo em convencer as pessoas a tomar a vacina.

“Usar a mesquita como centro de vacinação é um evento realmente significativo”, disse Patel, que estudou os dados da pesquisa sobre a hesitação em relação à vacina. “É sobre: ​​de onde está a vir a mensagem? É sobre confiança.”

Razões históricas explicam o motivo pelo qual as pessoas de ascendência sul-asiática e negros britânicos hesitam mais em vacinar-se, isto porque ambas as minorias enfrentaram preconceito racial e são mais propensas a desconfiar do sistema.

Boris Johnson, primeiro-ministro britânico, tentou conter a desinformação, mas o governante tem um grande problema de credibilidade. Quando a pandemia começou a ganhar terreno, no ano passado, Boris minimizou-a, brincando sobre continuar a apertar a mão das pessoas.

O imã, originário do Gana, trabalha na mesquita há mais de quatro anos. Quando o Governo britânico começou a anunciar o plano de vacinação, os congregantes bombardearam-no com perguntas: queriam saber se era halal, ou seja, de acordo com os ensinamento do Islamismo.

O Sheikh Nuru Mohammed baseou-se nas escrituras islâmicas para obter respostas, sublinhando que a boa saúde é um presente de Deus. Durante os seus sermões de sexta-feira, criticava a desinformação: “Não devemos permitir que as teorias da conspiração e as notícias falsas nos controlem”, dizia.

Mas a tática mais eficaz do imã foi vacinar-se. Depois de ter recebido a vacina contra a covid-19, os congregantes sentiram-se confiantes em seguir o seu exemplo – uma prova de que pode não haver nada mais poderoso do que ver a experiência de um líder ou amigo de confiança.

Centenas de congregantes foram vacinados e a mesquita administrou mais de 15.000 doses. Desde que a mesquita Al-Abbas foi inaugurada como um centro de vacinação, mais de 50 outras mesquitas do Reino Unido seguiram o mesmo caminho.

  Liliana Malainho, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE