Mais de um terço dos portugueses não vai vacinar-se contra a covid-19

Mais de um terço dos portugueses afirmam não querer vacinar-se contra a covid-19 por não acreditarem na eficácia do medicamento que deverá chegar a Portugal em janeiro, segundo um estudo da Eurosondagem divulgado este sábado.

À questão “quando houver uma vacina contra a covid-19, acredita nela e vai vacinar-se?”, 48,5% dos inquiridos respondem que “sim”, 37,2% “não” e 14,3% têm dúvidas, não sabem ou não querem revelar o que farão.

Neste estudo da Eurosondagem para o Porto Canal e o semanário Sol, a maioria dos entrevistados que se opõem à vacina são do sexo feminino (37,2%), contra 36,9% do sexo masculino.

Entre os homens a vacina tem mais apoio (49%) do que entre as mulheres (48%). A Eurosondagem não estratificou as respostas a esta questão por grupos etários.

Outra questão colocada na sondagem foi a recandidatura de Marcelo Rebelo de Sousa a Presidente da República, com 72% a responder que “fez bem”, 15,5% “não fez bem” e 12,5% a manifestar dúvidas ou não responder.

O estudo incluiu também uma questão sobre a “grande controvérsia entre as atuais operadoras de telecomunicações e a ANACOM sobre o 5G”. Nas respostas, só 15,2% dos entrevistados disseram concordar com “um leilão aberto a novos operadores”. A “melhoria e universalidade da atual rede móvel em 3G e 4G e voz” foi a opção escolhida por 65,5% dos inquiridos, com 19,3% a não responder.

No tradicional barómetro das legislativas, o PS continua na frente, com 38,8%, subindo quase na mesma proporção (2,4 pontos percentuais) da descida do BE (2,3 pontos percentuais) relativamente aos resultados das últimas legislativas.

O BE cai mais de um ponto percentual (1,1) relativamente à sondagem de novembro, o PS sobe 0,5 p.p. e o PSD 0,3 p.p.

O PSD recolhe agora 29,4% das preferências, o BE 7,2%, a CDU 5,3%, o Chega 5,2%, o CDS 2,5%, o PAN 2,0% e a Iniciativa Liberal 1,1%.

O estudo da Eurosondagem foi realizado entre o segunda e quinta-feira através de 1020 entrevistas telefónicas validadas para fixos e móveis e tem um erro máximo de 3,07% para um grau de probabilidade de 95%.

// Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. A Imunização por via de vacinação, contra certas Doenças, não é un acto “contemporâneo”. Ao longo da Historia da humanidade, fomos assistindo ao aparecimento de inúmeras doenças de origem viral. O desenvolvimento de Vacinas e a sua administração, permitem de preservar a vida Humana na sua grande maioria, isso é um “Facto”, incontestável!. Em relação a esta nova estirpe de Coronavirus, que se avera mais virulenta e letal, e o desenvolvimento de uma Vacina (eficaz) em tempo recorde, com todas as contradições, inquietantes afirmações, duvidas e hipotéticas probabilidades quanto a sua eficácia e segurança, todas estas informações emitidas por a C.S e mesmo por as mais diversas Autoridades na matéria, muitas das vezes polémicas; instalam inevitavelmente a desconfiança numa parte da População. Por mim, espero que independentemente de qualquer laboratório que seja, as vacinas produzidas venham a ser “a” Solução, mais uma vez para travar e aniquilar este invisível inimigo. Ou estaremos condenados a um Dantesco desastre Humanitário!…

RESPONDER

Novo máximo diário com 218 mortes. Morre uma pessoa com covid-19 a cada 7 minutos

Portugal contabilizou esta terça-feira 218 mortes, um novo máximo de óbitos em 24 horas, relacionados com a covid-19, e 10.455 novos casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS). Quase metade das …

Ana Gomes teme que processos BES e Operação Marquês acabem como o dos submarinos

A candidata presidencial Ana Gomes disse ontem temer que processos como os do BES e da Operação Marquês terminem como o dos submarinos, em que considerou que se "trabalhou para a prescrição". Na conversa online que …

Recuperação só em 2022, disse Vestager. Leão quer aprovação rápida dos planos para a UE

A vice-presidente executiva da Comissão Europeia, Margrethe Vestager, afirmou que a recuperação europeia só será "sentida como tal" em 2022, mas que no outono já poderão ser visíveis alguns sinais, caso a vacinação contra a …

Marcelo aprova novas medidas e anuncia reunião com especialistas para discutir situação das escolas

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, assinou esta terça-feira o decreto do Governo que altera a regulamentação do estado de emergência devido à pandemia de covid-19 e anunciou uma reunião com especialistas na …

Jerónimo na campanha de João Ferreira para homenagear os que "se levantaram contra o fascismo"

O candidato presidencial comunista contou com a presença do secretário-geral do PCP, esta segunda-feira, na Marinha Grande, que destacou a importância de lutar contra os atuais "traços de regressão democrática". Durante uma ação na Escola Secundária …

Gilberto, Vertonghen, Grimaldo, Diogo Gonçalves e Waldschmidt infetados

Os futebolistas do Benfica Gilberto, Vertonghen, Grimaldo, Diogo Gonçalves e Luca Waldschmidt são os mais recentes casos positivos ao novo coronavírus no plantel do Benfica, informou esta terça-feira o clube da Luz. “O Sport Lisboa e …

Hospital de Portalegre abre inquérito a morte de doente que esteve 3 horas em ambulância

O hospital de Portalegre vai abrir um inquérito para apurar as circunstâncias da morte de um octogenário, na noite de segunda-feira, na área dedicada aos doentes respiratórios, depois de estar quase três horas numa ambulância, …

"Não somos heróis". Há quartéis que podem fechar se não houver vacinas para os bombeiros

O presidente da Associação Nacional de Bombeiros Profissionais (ANBP), Fernando Curto, disse que se o número de bombeiros infetados com covid-19 continuar a este ritmo muitos quartéis podem ter de encerrar. "As carrinhas de transporte de …

Mayan ouve lesados da pandemia e diz que "limitações têm de vir acompanhadas do cheque"

Tiago Mayan Gonçalves ouviu as lamentações de uma série de empresários algarvios afetados pela pandemia. O candidato aponta o dedo ao Governo, argumentando que "limitações severas têm de vir acompanhadas do cheque". Esta segunda-feira, Tiago Mayan …

Itália: Da crise pandémica à crise política. Conte tem agora o voto de confiança dos deputados

O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, obteve ontem a confiança dos deputados para se manter no governo, depois da demissão de duas ministras do partido Itália Viva (IV) ter aberto uma crise política, deixando o governante …