Mais de um terço dos portugueses não vai vacinar-se contra a covid-19

Mais de um terço dos portugueses afirmam não querer vacinar-se contra a covid-19 por não acreditarem na eficácia do medicamento que deverá chegar a Portugal em janeiro, segundo um estudo da Eurosondagem divulgado este sábado.

À questão “quando houver uma vacina contra a covid-19, acredita nela e vai vacinar-se?”, 48,5% dos inquiridos respondem que “sim”, 37,2% “não” e 14,3% têm dúvidas, não sabem ou não querem revelar o que farão.

Neste estudo da Eurosondagem para o Porto Canal e o semanário Sol, a maioria dos entrevistados que se opõem à vacina são do sexo feminino (37,2%), contra 36,9% do sexo masculino.

Entre os homens a vacina tem mais apoio (49%) do que entre as mulheres (48%). A Eurosondagem não estratificou as respostas a esta questão por grupos etários.

Outra questão colocada na sondagem foi a recandidatura de Marcelo Rebelo de Sousa a Presidente da República, com 72% a responder que “fez bem”, 15,5% “não fez bem” e 12,5% a manifestar dúvidas ou não responder.

O estudo incluiu também uma questão sobre a “grande controvérsia entre as atuais operadoras de telecomunicações e a ANACOM sobre o 5G”. Nas respostas, só 15,2% dos entrevistados disseram concordar com “um leilão aberto a novos operadores”. A “melhoria e universalidade da atual rede móvel em 3G e 4G e voz” foi a opção escolhida por 65,5% dos inquiridos, com 19,3% a não responder.

No tradicional barómetro das legislativas, o PS continua na frente, com 38,8%, subindo quase na mesma proporção (2,4 pontos percentuais) da descida do BE (2,3 pontos percentuais) relativamente aos resultados das últimas legislativas.

O BE cai mais de um ponto percentual (1,1) relativamente à sondagem de novembro, o PS sobe 0,5 p.p. e o PSD 0,3 p.p.

O PSD recolhe agora 29,4% das preferências, o BE 7,2%, a CDU 5,3%, o Chega 5,2%, o CDS 2,5%, o PAN 2,0% e a Iniciativa Liberal 1,1%.

O estudo da Eurosondagem foi realizado entre o segunda e quinta-feira através de 1020 entrevistas telefónicas validadas para fixos e móveis e tem um erro máximo de 3,07% para um grau de probabilidade de 95%.

// Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. A Imunização por via de vacinação, contra certas Doenças, não é un acto “contemporâneo”. Ao longo da Historia da humanidade, fomos assistindo ao aparecimento de inúmeras doenças de origem viral. O desenvolvimento de Vacinas e a sua administração, permitem de preservar a vida Humana na sua grande maioria, isso é um “Facto”, incontestável!. Em relação a esta nova estirpe de Coronavirus, que se avera mais virulenta e letal, e o desenvolvimento de uma Vacina (eficaz) em tempo recorde, com todas as contradições, inquietantes afirmações, duvidas e hipotéticas probabilidades quanto a sua eficácia e segurança, todas estas informações emitidas por a C.S e mesmo por as mais diversas Autoridades na matéria, muitas das vezes polémicas; instalam inevitavelmente a desconfiança numa parte da População. Por mim, espero que independentemente de qualquer laboratório que seja, as vacinas produzidas venham a ser “a” Solução, mais uma vez para travar e aniquilar este invisível inimigo. Ou estaremos condenados a um Dantesco desastre Humanitário!…

RESPONDER

Homicídio com 32 anos resolvido com a menor amostra de ADN de sempre

Um caso de homicídio ocorrido há 32 anos, que muitos consideraram impossível de ser resolvido, foi finalmente desvendado (e tudo graças à amostra de ADN mais pequena de sempre usada para decifrar um caso). De acordo …

Braços robóticos controlados remotamente podem vir a realizar cirurgias delicadas

Um equipa de investigadores está a trabalhar para eliminar movimentos rígidos nos braços robóticos, de modo a torná-los mais ágeis. O objetivo é que no futuro estes possam empilhar pratos ou até realizar cirurgias delicadas. Os …

Alemão foi forçado a remover estátua do pai por esta se parecer com Hitler

Um alemão foi obrigado a retirar uma figura de madeira de um cemitério, que seria para homenagear o seu falecido pai, por ter semelhanças com o antigo ditador nazi. As autoridades do município de Weil im …

Podcast evita morte de um condenado (seis vezes)

Curtis Flowers foi julgado seis vezes pelo mesmo promotor de justiça. Um programa de investigação mudou o seu destino. O promotor continua a acreditar que Curtis é culpado. A própria equipa responsável pelo 60 Minutes, programa …

EUA venderam álbum único dos Wu-Tang Clan (que pertencia a Martin Shkreli)

O álbum do grupo Wu-Tang Clan, confiscado em 2018 ao antigo gestor de fundos Martin Shkreli, também conhecido como "o empresário mais odiado do mundo", foi agora vendido pelo Governo norte-americano. Num comunicado divulgado esta terça-feira, …

Bezos ofereceu 1,7 mil milhões de euros à NASA para entrar na corrida da próxima viagem à Lua

O empresário norte-americano ofereceu 1,7 mil milhões de euros à NASA numa tentativa de reacender a batalha espacial entre a sua empresa, a Blue Origin, e a do "rival" Elon Musk, a SpaceX. De acordo com …

Clientes com certificado digital válido impedidos de entrar em restaurantes

Estão a ser reportados vários casos de clientes que, ao apresentarem o certificado digital para poderem entrar num restaurante, não conseguem fazê-lo porque o documento está a ser considerado inválido pelos dispositivos eletrónicos. Segundo a rádio …

Covid-19 trouxe "paranoia" ao mercado

Diretor do Norwich City, da Premier League, acha que os responsáveis por alguns clubes não sabem bem o que estão a fazer nos últimos tempos. O Norwich City iria jogar contra o Coventry City, num encontro …

Israel cria "task force" para reverter boicote da Ben & Jerry's na Cisjordânia

Israel criou uma task force para pressionar a empresa de gelados norte-americana Ben & Jerry's e a sua proprietária, Unilever, a reverterem a decisão de boicotar a ocupação israelita na Cisjordânia. "Precisamos de aproveitar os 18 …

Violência armada. 430 mortos na última semana nos EUA e 2021 pode ser dos piores anos de sempre

Só na semana passada registaram-se cerca de 430 mortos e mais de 1000 feridos associados a tiroteios, num ano que está a ser marcado pelo aumento da violência armada nos Estados Unidos. O ano passado foi …