Um lapso. Agente da PSP trabalhou durante 14 dias infectado devido a “erro de comunicação”

Um agente da PSP de Rio Tinto, em Gondomar, no distrito do Porto, recebeu a informação de que não tinha Covid-19, apesar de ter tido um resultado positivo. Dessa forma, continou a trabalhar durante 15 dias até ser detectado o “lapso”.

O Jornal de Notícias reporta “um erro na comunicação” do resultado de um teste à Covid-19 que levou a que um agente da PSP continuasse a trabalhar, arriscando infectar outras pessoas, durante um período de 14 dias.

Este agente terá recebido a indicação de que não tinha covid-19 no dia 15 de Abril, continuando a sua actividade profissional como habitualmente.

Só a 29 de Abril é que recebeu a informação de que, afinal, estava infectado, após uma chamada da Delegação de Saúde da sua área de residência.

A Administração Regional de Saúde do Norte (ARSN) não explica o que aconteceu, mas assegura ao JN que é “alheia ao erro”. A entidade assume “o lapso verificado na comunicação do resultado negativo ao elemento da PSP de Gondomar, quando efectivamente era positivo”, mas frisa que não é “da responsabilidade de nenhuma autoridade de Saúde”.

“Estão a desenvolver-se as diligências necessárias, de acordo com as orientações da Direcção-Geral da Saúde”, adianta ainda a ARSN.

Uma fonte oficial da PSP aponta ao jornal que logo após o conhecimento do erro, “de imediato o polícia em apreço e os demais que com o mesmo trabalham de forma permanente e próxima foram colocados em quarentena até realização do teste de despistagem”.

O JN refere que “do total de elementos da PSP testados ao novo coronavírus, 705 revelaram-se negativos”.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.