Mais de 80% dos professores não acredita que haja condições para aulas presenciais

Manuel de Almeida / Lusa

Apesar de estarem desconfiados em relação às condições existentes nas escolas, os professores estão autoconfiantes em relação às suas capacidades de levar o ano letivo adiante.

Um estudo sobre as expectativas dos professores para o próximo ano letivo, apresentado esta sexta-feira num debate online com o secretário de Estado Adjunto e da Educação, e promovido pela plataforma docente #SomosSolução, indica que os professores estão empenhados em seguir com o ano letivo, seja em que moldes for.

De acordo com o jornal Público, o estudo tem na base um inquérito realizado nas redes sociais de professores entre 26 de agosto e 4 de setembro, tendo sido validadas 1961 respostas.

Os resultados revelam que 84% dos professores não acredita que as escolas tenham as condições necessárias (infra-estruturas e recursos humanos) para o ensino 100% presencial. 64% também considera que não estão asseguradas as condições de segurança sanitárias para as aulas presenciais.

O Público escreve que só 21% dos inquiridos se mostram confiantes quanto à existência destas duas condições.

Apesar das reservas, 71% dos inquiridos considera que as escolas não têm condições (infra-estruturas e recursos humanos) para garantir um ensino totalmente à distância.

Assim, 66% assume que preferiam “dar aulas em formato misto (presencial e à distância)”, sendo que mais de metade (55%) se sentem “capacitados” para usar as ferramentas necessárias para garantir as aulas à distância. Seja de que tipo for, 87% dos docentes dizem que aquilo que querem mesmo é dar aulas.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas medem temperatura a 4 mil borboletas (e revelam a influência do clima no seu habitat)

Um grupo de cientistas do Reino Unido recolheu 4 mil borboletas selvagens para medir a sua temperaturas, alertando que algumas das espécies mais reconhecidas do país estão em ameaça de colapso, e em risco de …

Teia da morte. Cientistas desenvolvem nova forma de matar células cancerígenas

Um novo estudo sugere que, através de uma interrupção direcionada e localizada da estrutura das células cancerígenas, o seu mecanismo de autodestruição pode ser ativado. As células cancerígenas multiplicam-se de forma incontrolável, levando a um crescimento …

Boavista 2-0 Porto | “Manita” em 45 minutos demolidores

Goleada do “dragão” no Bessa. No dérbi portuense entre Boavista e FC Porto, os campeões nacionais sentiram dificuldades na primeira parte, não conseguiram sequer enquadrar qualquer um dos seus remates, mas na segunda parte tudo …

Magawa, o rato que deteta minas, ganhou uma medalha de ouro

Magawa, um rato gigante africano, foi treinado para descobrir minas terrestres e tem estado ao serviço no Camboja. O animal foi agora proclamado herói e premiado por salvar vidas naquele país. A instituição de caridade britânica …

Cientistas descobrem nova espécie de crustáceo no lugar mais quente da Terra

Uma equipa de cientistas descobriu uma nova espécie de crustáceo de água doce durante uma expedição ao deserto de Lute, no Irão, também conhecido como o lugar mais quente do planeta. Hossein Rajaei, do Museu Estadual …

Furacão Sally fragmentou parte de uma ilha da Florida em três

A passagem do furacão Sally fragmentou parte de uma ilha na costa da Florida, no Estados Unidos, criando assim três pequenas porções de terra. Na prática, tal como explica o portal USA Today, o furação abriu …

Benfica 2-0 Moreirense | “Águia” vence e convence cónegos

Após ter perdido e empatado nas duas últimas recepções ao Moreirense, o Benfica voltou a vencer o emblema de Moreira de Cónegos na Luz. Este sábado, em duelo relativo à segunda jornada do campeonato, as “águias” …

"Surpreendente e fascinante". Descoberta pela primeira vez uma aurora sobre um cometa

A nave Rosetta da Agência Espacial Europeia (ESA) detetou uma aurora boreal sobre o cometa 67P / Churyumov-Gerasimenko (67P / C-G). Em comunicado, os cientistas envolvidos na deteção frisam que esta é a primeira vez quem …

Austrália não quer que turistas caminhem na famosa rocha sagrada Uluru (nem no Google Maps)

A Austrália pediu ao Google que remova do seu serviço Maps fotografias tiradas do topo de Uluru, o monólito aborígine sagrado que os visitantes estão proibidos de escalar desde o ano passado. De acordo com a …

NASA vai procurar aquíferos nos desertos com tecnologia já usada em Marte

Uma parceria entre a NASA e a Fundação Qatar tem como objetivo procurar as cada vez mais escassas águas que estão enterradas nos desertos do Saara e da Península Arábica. Este processo deverá ser desenvolvido …